Transtorno Bipolar e Trabalho



No local de Trabalho eu deveria dizer as pessoas sobre minha doença?


Contar ou não contar às pessoas que vc tem transtorno bipolar é uma decisão muito pessoal.
Tem gente que conta pra todo mundo inclusive seu chefe de trabalho.
Tem gente que conta só pra poucas pessoas os amigos mais chegados e não necessariamente o chefe fica sabendo.
Tem gente que não conta pra ninguém, mas admite ter transtorno bipolar no plano de saúde patrocinado pela empresa, e tem gente que não conta nem ao plano de saúde.

Bem, a melhor opção é aquela que vc se sinta mais confortável e seguro e se no momento não se sente seguro para contar nada, então não conte. Até por que se vc estiver fazendo o tratamento certinho e tiver estável ninguém vai perceber que vc tem uma doença.

Desvantagens de alguma pessoas ficarem sabendo:

Preconceito, as pessoas podem duvidar da sua capacidade ou te tratar com excessos de cuidados, com isso evitar te dá mais responsabilidade, isso inclui comissão, gratificação, etc..

E, se tiver alguém querendo competir com vc ou puxar o seu tapete o fato de vc ter transtorno bipolar pode ser usado contra vc.

Vantagens de contar:

Vc não precisa ficar espalhando pra todo mundo do seu trabalho, não é vantagem contar pra muita gente, pois a doença sofre muito estigma, além disso, por mais que as pessoas tenham estudo na parte psiquiátrica são meio ignorantes sobre os transtornos, a não ser a pessoa que tenha algum familiar que tenha o transtorno aí ela vai ter certa compreensão.

Primeiro lugar contar quebra o estigma da doença e mostra que vc tem mais aceitação da doença, pois está lidando com mais naturalidade. Nessas horas até a pessoa pode admitir que já teve depressão ou tem algum familiar que também teve.

Tem gente que espera pra revelar quando começa a ter um problema, a se sentir mal, a baixar a produtividade ou quando ta faltando muito o trabalho.

Revelar nessas horas serve como justificativa, mas o ideal é que vc revele quando vc está bem, mostrando produtividade, responsabilidade. Pois, no decorrer do trabalho vc pode até negociar com seu chefe algumas alterações que vc precisar como folga, horário, claro tudo isso de forma sensata sabendo que não prejudicaria o trabalho e não está atrapalhando nenhum prazo. O seu chefe só pode ser compreensivo com vc se ele souber o que vc está passando.

Sabendo que quando um bipolar está estável a sua produtividade é alta, pois são pessoas muito inteligentes e trabalhadoras.

Até uma pessoa que não é bipolar pode ter um dia ruim, ou ter um problema isso é do ser humano.

Saber lidar com as situações com o dia a dia e eventuais dificuldades que aparecerem no trabalho faz parte de manter uma vida equilibrada.

De qualquer forma existe preconceito por isso é muito importante a forma como vc vai falar:

Há maneiras de vc falar sobre o transtorno bipolar sem usar o rótulo “bipolar”. Por exemplo, o transtorno bipolar pode ser descrito como um desequilíbrio químico que afeta o humor ou um problema médico relacionado ao nível de energia que afeta a produtividade ou a concentração.

Vc pode também falar usando o nome bipolar que é uma alteração do humor, a gente oscila do estar se sentindo muito bem e depois muito mal, todo ser humano tem essas oscilações mais as nossas oscilações tem picos maiores. Explicar que quando fazemos o tratamento as nossas alterações de humor tendem a ficar normalizadas.

Comparar nossa doença com a debates tipo 1, precisamos tomar remédios para controlar e com isso temos uma vida normal.


Fonte : Adaptação do texto do Dr. David J. Miklowitz, PHD


Acompanhe no Facebook  e no Instagram e Inscreva-se no canal Viviane Vaz Coach no Youtube.  Mais Informações acessem o site coachesdesuperacao.com 

3 comentários:

Gislene disse...

Foi um achado seu blog. Não sou bipolar mas tenho depressão. E vc sabe, esses transtornos são complicados de serem disceutidos no trabalho. Gostei do post e concordo. No meu caso eu tive que contar para minha chefe em um momento de crise. Num quis comentar o asunto com medo do preconceito, mas teve uma hora que não deu para segurar.
Abraços.

Cíntia Vieira Souto disse...

Gostei muito do blog. Eu não contei no trabalho, pois estou estável há bastante tempo. Mas surgiu outra situação. Meu filho de dez anos é bipolar também. Já sabíamos há três anos, mas no final de abril último ele teve uma crise de mania e teve de ser internado. Como sou servidora pública, pedi licença-saúde familiar. Tive então que contar ao meu chefe, que foi muito compreensivo. Ocorre que alguns colegas ficaram sabendo e vieram com perguntas "de onde ele tem essa doença, como é possível?". Diante disso, contei que eu tenho a doença. Tenho uma imagem de pessoa segura, centrada e muito produtiva. As pessoas ficaram espantadas em saber. Mas acho que temos que lutar contra o preconceito.

Aline disse...

Eu não contaria ao chefe. Poderia correr o risco dele não entender, e ainda até achar motivos para me mandar embora. As pessoas que não tem o transtorno não o entendem e nos rotulam. Atualmente meu chefe é meu marido. E mesmo ele não entende minhas oscilações, períodos curtos de alta produtividade e outros de apatia extrema. Percebo que mesmo sabendo da doença, ele se incomoda muito e acha que eu que não me esforço e protelo. Que eu não gosto do trabalho. Vão por mim, ninguém que não esteja na situação entende. Creio que até mesmo um bipolar não entenda outro.