Como Lidar com a BIPOLARIDADE ? ?




COMO LIDAR COM A BIPOLARIDADE ? ?

(obs: Essa postagem é mais direcionada para as pessoas que tem o trastorno bipolar do humor, para os familiares e amigos recomendo a outra postagem que é: COMO A FAMÍLIA E AMIGOS PODEM AJUDAR?)




  Antes de mais nada é levar o tratamento a sério.Quando digo levar a sério, não é apenas seguir é faze-lo por inteiro e não por partes.Fatores fundamentais:

*medicação: O remédio deve ser encarado como um aliado, fundamental na recuperação;

*
psicoterapia:
uma boa terapia quando tem interação do piscicologo e paciente, promove a conciência da situação, dá apoio, fica como uma das bases do tratamento e é também como uma bússola ao paciente. Ela pode ser feita individual ou em grupo.

*Sono regular: O sono não pode ser desrregular, por mais que saia, deve-se evitar ficar dormindo direto tarde. Além da irritabilidade que aumenta pela falta de horas de sono, a falta de sono pode levar a insônia, e , tendo problema de insônia a probrabilidade de surtar aumenta.
O sono é ótimo para regular o humor e diminuir o estresse, uma boa noite de sono restaura as energias.


O bipolar tem que aprender a se olhar mais, a IDENTIFICAR quando o humor está se alterando ,
a partir de :

* Observações que você tem de si mesmo;

* Comentários de pessoas de confiança(Ex: mãe, irmã, melhor amigo);

* daquela voz que tem no seu inconsciente ( intuição), pois mesmo que esteja fora do controle essa voz se manifesta, o problema é que a reeprendemos por causa dos desejos imediatistas.

 ** se tiver em euforia, aprender a ser mais discreto, e estravazar essa energia de outras formas (Ex: atividades físicas) .Mas, CUIDADO pra hipomania não virá mania pois aí vem um surto psicótico.

** se tiver em depressão, aprender a dá enfase nas sua pequenas vitórias, e que mesmo que não termine alguma coisa, deve sempre começar e tentar fazer algo, jamais ficar totalmente parado.

** Toda vez que precisar procurar ajuda, procure! não apenas quando estiver em CRISE, mas por outros motivos também.


É O PRÓPRIO BIPOLAR QUE TEM QUE PROCURAR AJUDA.
( não tem como o familiar obrigar-lo, pois se não ele não vai aderir  de forma adequada ao tratamento)

O 1ª Passo da recuperação é Aceitar o diagnostico. Se o paciente não aceita que tem uma doença a dificuldade é bem maior, pois ele vai permanecer mais tempo doente e alem disso, pode piorar ainda mais a sua situação, pois, a doença sem tratamento, é progressiva, ou seja fica pior com o tempo.

É a partir do momento da aceitação (que é o 1ª passo)  que o paciente vai procurar a ajuda, pois ele vai reconhecer que precisa de ajuda.

O familiar pode ajudar conversando, mas não tem como obrigar o paciente a se tratar, pois é o própio paciente que tem que procurar ajuda e aderir ao tratamento.

Depois da aceitação da doença, as coisas começam a andar, pois ai fica mais fácil a adesão ao tratamento.
Aceitar a bipolaridade é uma maneira de conseguir conviver melhor com ela. Pois, primeiro vem a aceitação, depois a consciência, o conhecimento, a maturidade. A bipolaridade não é um bicho de sete cabeças, mas é uma doença assim com a Diabetes precisa ser cuidada, monitorada pra pode ter qualidade de vida e pra bipolaridade não te atrapalhar tanto no seu dia a dia. Para isso, é fazer o tratamento correto, como eu disse por inteiro e não por parte.
Fazer o tratamento correto significa se cuidar da melhor forma possível, não é deixar de viver e de se divertir, tudo é conversável e negociável com seu medico.

O sucesso da recuperação depende boa parte da gente mesmo.

Uma coisa importante é lembrar que: Os Altos e Baixos vão vindo e vc precisa aprender a cair e se levantar e a recomeçar quando for preciso.
Mais saiba, que com o tempo, com o tratamento, a tendência e das crises virem cada vês menos, com menos intensidade, até que um tempo em que vc entra em remissão e aí não têm mais crise.
Cada caso é um caso. Tem gente que só tem uma crise e nunca mais tem. Outros tem algumas e levam anos para se estabilizar..Mas, um dia estabiliza, se a pessoa estiver seguindo o tratamento correto.

O importante é que o tratamento é fundamental é o Tratamento que vai fazer a gente conviver melhor com a bipolaridade e consequentemente viver melhor a nossa vida.




139 comentários:

Anônimo disse...

olá!
por favor, de onde vc retirou os dados da bipolaridade dos famosos?
houve diagnóstico para todos os citados? quem fez o diagnóstico?
creio q em clube da luta, o moço em verdade é esquizofrênico.
um abraço!

Mente inquieta disse...

Muito Boa pergunta!

Tirei da varias fontes..
*Ulisses Guimarães; Vincent van Gogh; Rita Lee; Robert Downey Jr; Jim Carrey; Cássia Kiss; Elizabeth Taylor; Charles Chaplin; Alberto Santos Dumont; Britney Spears; Fernando Pessoa; Kay Jamison; Elvis Presley entre outros ..Estes foram diagnosticados como psicóticos maníaco depressivo e ou como bipolar.
( quem fez o diagnostico foram os medicos, mas alguns antigos como Ex, Santos Dumont, chegou a conclusão que era PMD só depois do seu suicídio)

**Com relação a Madona, Cazuza e Renato Russo não se tem certeza, pois há uma polêmica com relação ao diagnostico, só se sabe que eles apresentaram comportamento e aspecto bipolar.
---------------------------------

Em relação ao clube da Luta é baseado numa historia da esquizofrenia. Gosto muito do filme pois meu surto psicótico foi muito parecido com o filme. Por isso falo muito no clube da luta, descreve bem a minha mente, o que eu passei, etc..
mas sou bipolar tipo 1.

Espero tenha respondido sua pergunta.

Beijos**

Anônimo disse...

E se eu gostar de ser bipolar? As oscilações que a bipolaridade causa pode servir como meio para ver as coisas de outras formas.
Eu já fiz tratamento com medicamentos e simplesmente me senti "sabotado": primeiro, eu não raciocinava com a mesma rapidez e com a mesma percepção; segundo, minha memória ficou extremamente falha; terceiro, passei a agir com indiferença a muitas coisas.
Hoje reconheço minha situação e percebo a oscilação em meu comportamento, e tento lidar comigo e com as outras pessoas de forma que isso não me afete negativamente. Hoje posso dizer que estou feliz com esse disturbio, e buscar modos para neutralizá-lo é algo que eu nunca mais farei na vida.

Anônimo disse...

Pois é... minha mãe é uma bipolar, e eu estou enlouquecendo com as crises de euforia dela, na verdade não aguento mais passar por isso... minha cabeça fica a mil, não posso trabalhar, tenho que ficar o tempo td em casa... gostaria de sumir quando ela entra em crise, além da doença ela tem um gênio muito dificil... imagina as duas coias juntas? PIRA qualquer pessoa... Se possível, entra em contato comigo por e-mail, vicrist22@yahoo.com.br...
Um grande beijo!

Anônimo disse...

Para a mulher, o marido, de um bipolar, a vida é muito dificl. Como lidar com isso?
é preciso impor limites? Como ajudar o bipolar?

Maria disse...

sou esposa de um bipolar,e pensei que tivesse conseguido amenisar as crises dele,mas me enganei, quando eles entram mesmo em crise,ninguem consegue, principalmente quando obipolar se recusa a usar o tratamento adequado..eu tenho que trabalhar pra pagar contas antigas, que ele durante uma das crises me deixou...alem de ser bipolar é devido a um avc ficou com os movimentos limitados...não aguento mais..estou no limite...

Mente inquieta disse...

COMO A FAMÍLIA E AMIGOS PODEM AJUDAR?

O tratamento medicamentoso é essencial mas não suficiente no THB. A doença possui expressões psicológicas e sociais, com repercussões na escola, no trabalho e na família. Uma das formas de minimizar seus efeitos é obter suporte da rede social e em especial da rede familiar.

A família é o principal cuidador do paciente e deve-se buscar, com esta, uma firme parceria através da difusão de informações quanto ao diagnóstico, tratamento e evolução da doença. Desta forma, a família se instrumentalizará melhor, sentindo-se mais capacitada para, junto com o paciente, buscar maior eficácia no enfrentamento da doença.
É importante ressaltar que, apesar disso, cada novo episódio representa um novo desafio porque nele interferem problemas de natureza individuais, bem como as características e peculiaridades de cada família diante das questões que lhe cabem resolver.

Muitos pacientes apresentam diminuição da sua auto- estima, tendência ao isolamento ou excessiva exposição, dificuldades de identificar os sintomas , limitações para retomar atividades ou de assumir novos papéis na sua vida. Frente a estes fatores, as famílias são encorajadas a:

1) proporcionar uma atmosfera amistosa, com estímulos adequados e com estrutura e limites claros;
2) ajudar o paciente a manter o medicamento na dose prescrita pelo psiquiatra;
3) estimulá-lo a comunicar ao médico quando as medicações estiverem causando efeitos colaterais;
4) auxiliá-lo a identificar sinais de recaída;
5) comunicar imediatamente ao médico idéias de suicídio ou de desesperança;
6) buscar entender a diferença entre jeito de ser (característicos de cada pessoa) e sintomas;
7) evitar tomar atitudes que reforcem a discriminação e o preconceito;
8) estimular o retorno do paciente às atividades da família ( lazer, rotinas domésticas, festas) evitando demasiadas exigência ou super proteção ;
9) reforçar o paciente a retomar sua vida ocupacional, social e afetiva;
10) evitar que a doença do paciente domine o ambiente familiar.

Quanto a impor limites, isso vai de cada caso e muitas vezes é necessario.

** Mente Inquieta **

Anônimo disse...

Oi Meu namorado, é bipolar e neste momento esta passando por uma crise muito grande. Tenho sofrido muito porque gosto muito dele e quero estar ao seu lado. Aconteçe,que na fase da mania ele se apega há alguma coisa que eu tenha feito no passado e me trata muito mal. Não quer me ver, me diz palavras horríveis fico muito mal.
Gostaria de saber o que fazer nos momentos de mania?

Anônimo disse...

Olá, meu marido é bipolar...e realmente não é facil lidar com um, as vezes gostaria de ter uma camera e filmar seus gestos e atitudes para que ele se veja e perceba o que suas ações causam, pq. embora eu saiba que ele é doente, as vezes penso que a doença virou muleta para seu "comportamento", o que mais me pesa na verdade é meu filho, em como tudo isso irá afeta-lo, como se desenvolverá como ser humano. Ele tem 10 anos e sabe da doença do pai, percebo que como todos nós ele anda pisando em ovos, procura fazer coisas que agradem ao pai.
Começo a ver depois de ler e ouvir comentários médicos, de doentes e de familiares que infelizmente a pessoa que tem um disturbio psicológico...no fundo é um ser egoista, narcisista, são adultos que foram crianças mimadas, supervalorisadas na infancia e que hojem não sabem lidar com um não, com a dor, são viciados em atenção, em auto-comiseração. Há sim o problema da quimica, faltam hormonios, faltam ligações neurais, ou coisa e tal...mas o que levou a isso, que atitudes o levaram a desencadear o problema?
Pq. eu apesar dos tombos levanto e recomeço e o doente não??? Pq. tenho dor e não penso em me drogar ou acabar com minha vida? O que me diferencia de quem assim pensa e sente? Pq. apesar de todas as coisas ruins e pessimistas, respiro fundo e penso, ganhei mais um dia e o doente não? O que os torna diferentes? Será que é o amor que devoto a quem precisa de mim? Será que apesar de saber de tudo isso ainda há espaço em mim para o perdão, para o amor, para achar que vale a pena sorrir?? Que a vida, como diz a musica, pode ser maravilhosa???
As vezes bate um cansaço, uma certa rebelião que me diz, pq. continuar apoiando? Pq. Continuar amando...mas ai respiro fundo de novo e penso...um dia vai passar, um dia vai acabar...um dia teremos vencidos esse monstro horroroso....olho la fora e vejo o sol brilhando e penso...Deus está me estendendo suas mãos...e ao segura-las sei que posso vencer esta batalha!
um beijo a todos

Anônimo disse...

Olá!! preciso de ajuda! comecei a namorar um cara e depois de um ano comecei a estranhar as atitudes e após muitas armações da minha parte consegui fazê-lo ir a um médico no qual constatou que ele é hiperativo e bipolar....viajamos juntos e foi tudo otimo...na volta começou tudo...um dia me ama...um dia nao me quer....ele sai comigo hoje...amanha sai com outra...no outro dia me procura como se nada tivesse acontecido....eu só tenho chorado...não sei mais o que fazer pois o amo muito. Me ajudem!!

Anônimo disse...

Ainda não sei se sou bipolar.Mas ao que tudo indica sou mesmo, talvez não no nível tão grave se é que existe. O fato é que: a minha mente é agitada, sou uma pessoa agitada e tenho depressõ. o que ocorre é que eu seja uma daquelas que "gosto de curtir a bipolaridade". parece que a minha mente funciona à mil, no sexo é extermamente maravilhoso,parece q faço usando algum tipo de dfroga. A única coisa q eu realmente acho ruim é a depressão. Estive recentemente em depressão,pesada, mas foram fatores externos que aumentaram muito a depressão.Já estou tomando medicamento, mas o prazer que sinto quando estou bem não queria perdê-lo.

monique disse...

oi ,penultimo anonimo..o meu marido tb é assim..eo pior é que ele tb tem os falsos amigos que o levam pra beber durante o tratamento...estamos separados a 1 ano mais ou menos mas ainda nos amamos..tem dias que ele me ama e tem dias que ele só me evita e humilha..ja falei com ele q se ele se tratar ele não vai conhecer a filha dele q hj tem 9 meses....mas essas pessoas sao fracas...fazem de tudo para ter atenção sao muito mimadas...ele é uma pessoa que sempre teve de tudo e é rico..mas porem so sabe cultivar os falsos amigos dele eo dinheiro ...pra ter uma noçao a filha dele nasceu em hospital publico e ele nunca ajudou com uma fralda...ele é uma pessoa muito instavel e tenho medo de deixa lo so com a minha bb...queria saber se alguem sabe se tem como internar uma pessoa dessa ou so poderia ser internada pelo proprio consentimento..mas se depender dele isso vai acontecer nunca!!!e ele sabe que precisa de ajuda!!!

grata

Anônimo disse...

Triste (mulher)
Olá!
Namoro um bipolar, ele faz tratamento com Seroquel, ele estava muito bem até um mês atrás, mas agora não sei o que ocorreu pra tudo ter mudado tão bruscamente.
Ele sempre foi tão carinhoso comigo, sempre falando que me ama e coisa tal, de um mês pra cá não me fala mais que me ama,nao queria me ver, combinamos a ceia em minha casa e na última hora ele diz que não vai vir, que quer ficar sozinho, que quer dormir... o estranho que passar comigo ele não quer, mas vai "dar" uma passadinha na casa da tia ou irmão.
Se uma pessoa bipolar não está bem e não quer ver ninguém é pq realmente não quer ver ninguem correto??
Ou será que o problema sou eu... que é a mim que ele não quer ver??

Não sei se isso é do bipolar ou não, mas ele tem mania de doença, parece que ele tem prazer em ser um bipolar.

Eu tô chegando a conclusão de que bipolar não passa de uma pessoa mimada, que não sabe enfrentar os problemas, querem ser pessoas poderosas mas nao correm atrás dos seus objetivos. Querem que tudo venha fácil, sem batalhar.
Tudo eles querem, EU QUERO EU QUERO
Tudo eles podem, EU POSSO EU POSSO...
Mas o que fazem para conseguir o que querem???


Bipolaridade é isso??
Ou estou totalmente enganada??

Antigamente como ficavam as pessoas que tinham esse tipo transtorno??

Todo bipolar é igual?

Hoje bipolaridade é moda, moda pra quem tem. Meu namorado enche a boca pra falar para os outros que é bipolar.
Eu jamais me exporia assim.

Quem tá de fora vê o bipolar como louco, pessoas frustradas e que cometem erros e depois colocam a culpa na bipolaridade.

Anônimo disse...

Conheçi um homem à um ano e meio, até então eramos apenas amigos, e esse final de ano começamos a nos relacionar mais e estamos namorando. Ele toma medicamentos fortes antes de dormir, ele disse que se não tomar tem varias alucinaçoes, vê coisas, imagina sei lá.
Só que em pouquissimo tempo, ele muda, tipo uma vez ao dia. Ele fica agressivo, estupido e senti até medo de ele fazer alguma coisa comigo. Até por telefone ele fica um tanto estranho, ele é super ativo, com muita energia, e alem disso é bem forte (oque traz mais desconforto e medo, quando acontecem os momentos de crise). Depois que passa essa crise de loucura ele pede desculpas e se diz arrependido.
Ainda não sei como lidar com isso. Ele é muito ancioso, e quando quer algo tem que se do jeito dele e na hora que ele quer.
Tenho pedido muito a Deus que ele seja curado e restaurado, pois eu creio que para Deus não existe impossivel e tudo ele pode.

Por favor me ajudem, gostaria de saber como posso ajudar e se isso tem cura???
Grata, MDS

Mente inquieta disse...

MDS,
Infelismente o transtorno bipolar não tem cura. Mas, a pessoa que faz o tratamento adequado, tomando as medicações, consegue ter o controle da doênça e com isso ter uma vida normal.
Como vc pode ajudar? dá uma olhada na postagem: COMO A FAMÌLIA E AMIGOS PODEM AJUDAR

bjos

Nádia disse...

Não tenho certeza se o meu marido é bipolar, pois nunca fez tratamento psicológico, nunca conversamos sobre o assunto, tenho medo da agressividade ser pior. Mas pelos relatos acima, acho que ele tem o transtorno bipolar. Ele acorda e não é capaz de dar um bom dia, acorda reclamando que não dormiu, o barulho na rua o fêz ficar acordado, sentiu calor etc Só reclamações! Ignoro, pq se responder ele me ataca com palavras pesadas, de ofensas. Hoje é 3ª feira de carnaval, e não saímos nenhum dia! Mas na 6ª -feira anterior ao carnaval fizemos planos para assistir os blocos, ir à rua ver o movimento, ele chegou a comprar uma churrasqueira para festejar o carnaval. Pois bem, no sábado fomos à garagem de meu pai e eu vi um cesto com cimento, fios e utensílos de pintura em cima de um balcão, por acaso eu lhe pedir para colocar no chão pois estava bem pesado para o meu pai (pessoa idosa) tirá-lo. Notei que sua fisionomia mudou, calou-se de repente, mas eu continuei a conversar normalmente. Chegando em casa ele olhou para mim com olhar de ódio e disse que "eu era insuportável" e que por isto ele queria me deixar (Obs: ele já me ameaçou centenas de vezes). A única coisa que eu fiz foi ouvir, me calar e chorar copiosamente. Ele saiu e só retornou à noite, sem olhar para minha cara. Sentou-se diante do computador, e com a frieza que lhe é peculiar, redigiu uma petição de separação (ele é advogado) e colocou um bilhete dizendo para eu ler e assinar, deixando, ainda, ao lado sua aliança de casamento.Há várias passagens durante estes 10 anos de casamento, de fúrias sem explicação, qualquer palavra ele distorce, e há situações que eu até me sinto a culpada, pq ele faz tudo parecer que a culpa é minha. Nossa sorte é não temos filhos, pois mais difícil seria para mim. Ás vezes fico pensando se ele não faz isto de caso pensado, para me desmoralizar, me deixar para baixo, para se separar e ele não tem coragem de se abrir. Mas ao mesmo tempo eu fico imaginando que ele não seria uma pessoa tão cruel assim. Me ajudem, estou totalmente perdida, eu que pareço que vou entrar numa depressão profunda, pois ando triste, sem vontade de sair. E qdo eu o conheci era pessoa alegre, conhecida até mesmo entre os amigos de "Menina sorriso", agora é uma tristeza só. Vale a pena continuar este relacionamento? Será que ele vai entender numa "boa" que precisa de tratamento? Qual a maneira mais correta de chegar até a ele e dizer tal coisa? Tenho medo dele!!Me ajude!!

Anônimo disse...

Olá pessoal. Sou esposa de um bipolar. Ele continua sendo a pessoa mais amável, educada e gentil que já me relacionei. Confesso que qd
a mãe dele, vendo que o namoro se estendia, conversou comigo, não pensei que fosse tão sério ou tive a ingenua impressão de que iria conseguir ajudá-lo a ficar bom. Tinha uma coisa me intrigava no início do namoro e ainda me intriga: são nossas discussões decasal. Ele sempre vem com umas questões,a ntes eu achava engraçado, hj atribuo ao fato, porque ele foge do assunto, interroga coisas que não tem nada a ver. Coisa que antes eu dava risada e até acabava td numa boa. Ainda não sei muita coisa, por isso procuro esses espaços de discussão e conhecimento, mas o que tenho aprendido é que o bipolar, embora consiga viver normalmente, tem que aprender a se conhecer, se não, não consegue se controlar. Rezo muito e peço a Deus que eu consiga ajudá-lo como posso. Mas tem vezes que fico impaciente e concorro com a crise, pedindo carinho. não é fácil, gente. Sinto-me só às vezes. Brigo com ele e depois me arrependo. Gostaria de saber como faço pra saber se o comportamento dele é da crise ou não. Tipo a falta de carinho e a sensação de que não está nem aí. Eu o amo muito e peço a Deus que nos proteja. Deus abençoe a todos.

Anônimo disse...

Meu primo é bipolar, a convivência as vezes se torna impossível, ele tem características que não sei se são da bipolaridade ou oportunismo, já que ele não faz nada, nem mesmo o seu quarto e seus pertences ele cuida.
Exige coisas e comportamentos de seus pais, coisa que ele não consegue realizar. Trata seus pais com desrespeito e agressões verbais.
Ele tem todo mês uns dias de surto mesmo tomando os medicamentos, parece uma TPM.
è assim mesmo, como os pais podem se defender ou se proteger, pois estão ficando idosos e frágeis.

Anônimo disse...

Sou bipolar e gostaria de expressar como me sinto.
Quando estou na fase eufórica me sinto como se fosse um falcão, que pode voar numa velocidade incrível, sem temer nada. No entanto, logo passo para fase depressiva e aí é como se minhas asas fossem cortadas e passo a rastejar para seguir adiante.
Na fase depressiva desejo ao menos andar ao invés de rastejar. Os vôos da fase eufórica são realmente perigosos e já caí e me machuquei várias vezes. Mas, com a ajuda de Deus, sempre sigo em frente, mesmo caído, continuo me arrastando, tentando me levantar, lutando pra vencer o meu pior inimigo, eu mesmo.
Quando estou "equilibrado", fico tão feliz que começo a me questionar se estou eufórico (hipomania), começo a me questionar se me sentir feliz é sinal de que uma crise está chegando. Não sou só eu que me questiono. Quando percebem que estou feliz as pessoas próximas a mim também começam a me questionar. Talvez a pergunta seria: Não é o seu normal "estar triste"?
Por que? Por que questionam tanto quando há sinais de alegria e contentamento? Porque temem que eu fique eufórico. Temem muito mais a fase eufórica do que a fase depressiva, temem que eu esteja num estágio de hipomania e que logo se torne mania.
Concordo com eles, é melhor estar na fase depressiva, assim machuco menos as pessoas.
É quase inevitável machucar pessoas que amo quando estou eufórico, é fácil dizer "você tem que se controlar", o difícil é entender o que acontece. Difícil de entender porque cometo os mesmos erros, difícil de perdoar os mesmos erros.
Não tenho outra coisa a oferecer a não ser o meu pedido de perdão e a promessa que vou me esforçar pra que não aconteça novamente.
Mas e depois? Depois tudo tem que ser reconstruído. É fácil destruir algo que demorou muito tempo pra ser construído.
Depois que tudo desmoronou às vezes já não sei mais quem sou, procuro minha personalidade mas não consigo encontrá-la por causa da escuridão.
Continuo meu caminho, mesmo sem saber quem sou, muitas vezes duvidando do meu próprio ser, ainda que não veja uma saída, basta acreditar nela.
Tenho certeza que Deus vai me ajudar até o fim, não vou parar, porque Ele sempre me ajuda.

Anônimo disse...

Sou casado com uma mulher bipolar. E sei o quanto é barra. Mas confesso é um dia a dia desgastante. Você sabe quem deixa em casa, mas nunca sabe quem vai encontrar. É uma verdadeira montanha russa, cheio de altos e baixos. Se quando eu namorava minha esposa soubesse que ela era bibolar e tivesse a esperiência que tenho hoje com a doênça jamais teria me casado. Ja tive gastos acima dos 30 mil com minha esposa, e a própria psicologa que a atende ja me disse. É uma doença sem cura, é uma deficiência que só tratamento para amenizar os sintomas. Mas curar nunca.
Minha mulher reclama de tudo. Um Conselho que dou a todos que namoram bipolares, saiam desta enquanto é tempo.

Maria disse...

depois de alguns anos convivendo com um bipolar, posso te dizer..,realmente não émedicamento que resolve,é o dia dia é voce não ceder...ter jogo de cintura, não bater de frente com as idéias, não discutir, mas não deixar se abater,vc tem que ser mais forte que ela...ela tem que ver em vc qualidades que ela procura...édificil, mas ja faz algum tempo,que estou dominando a situação, me sinto e mostro que sou poderosa, mas não é na mão contraria, é caminhar juntos e orar p/ Deus nos dar forças....

Anônimo disse...

Eu sou casada com um bipolar e sempre que penso que as coisas vão melhorar, tem uma novidade, é dificil, não tive filhos ainda, pq não quero ter filhos em um ambiente tão louco, meu conselho mulheres e homens façam como eu se tratem com um psicólogo, isto está me ajudando a tomar uma atitude decisiva , abandonar o barco , porque esperanças não há, e viver sofrendo neste caso, não é necessário, a vida chama pra ser feliz e vida não brota de novo

Anônimo disse...

a maria disse q tem q ser forte e se mostrar poderosa, só que o bipolar geralmente não obtém sucesso em nada, então agindo assim vc vai fazer o bipolar se sentir menor e mais inútil ainda...

Anônimo disse...

NOSSA ... OS COMENTÁRIOS DESSES MARIDOS E ESPOSAS SÃO HORRÍVEIS! jÁ PARARAM PRA PENSAR QUE DIZER PRA CAIR FORA O QUANTO ANTES E QUE E ABANDONAR O BARCO DENOTA UMA TOTAL FALTA DE AMOR? COITAQDOS, DESSES BIPOLARES, VOC~ES CAIREM FORA TALVEZ SEJA A MELHOR COISA QUE PODEM ACONTECER NA VIDA DELES ....SOU BIPOLAR, E SE UM DIA EU ME CASAR , VOU DIUZER QUE SOU BIPOLAR LOGO NO COMEÇO DO NAMORO PRA NAO CORRER O RISCO DE PEGAR PESSOAS COMO VOCÊS....!!!!!é BEM MAIS BONITO DIZER QUE VOC~ES SÓ TAO PENSANDO EM VOCÊS PRÓPRIOS, O BIPOLAR NÃO É A MORTE. E ATÉ PRA MORTE HÁ ESPERANÇA!O BIPOLAR NAO É DOIDO....PORQUE VOÇÊS NÃO FALAM NA CARA DELE O QUE ESTÃO FALANDO AQUI NO BLOG.......TÃO COM MEDO DE QUÊ?

Anônimo disse...

A dificuldades de quem convive com os bipolares é que até se darem conta deste problema sofrem demais, pois nem todo mundo tem essa idéia de que não são eles os problemas. E nem o próprio bipolar se dá conta que tem esse transtorno.E lidar com uma pessoa bipolar é andar na montanha russa o tempo inteiro e imagina o sofrimento até descobrir a real situação? E quando sabe do problema o doente não aceita e não se cuida, acha que a culpa de tudo é do parceiro e até mesmo o próprio pareceito fica tão confuso com seus sentimentos que pira junto.

Anônimo disse...

Bom julgar quem vive com o bipolar é muito fácil, mas não é fácil eu e minha filha sofremos demais realmente se tivesse escolha ou se soubesse disso antes não teria me casado, é muito triste ver seu filho sofrendo pq seu pai vira e mexe se trasforma num ditador, duro e cruel, arrogante sem misericordia, e depois no nada tudo vira cor de rosa como se nada tivesse acontecido fica feliz brincalhão. Só amando demais pra suportar tantas mudanças de personalidade, me identifiquei com vários depoimentos aqui, não sei até quando irei suportar isso já que me marido interrompeu o tratamento depois de eu tentar anos para que ele fosse ao psiquiatra. Sabe o que ele me disse que o tratamento o deixava, mal, irresponsável, etc eu dizia fale com seu médico(obs, ele não me permite acompanha-lo nas consulta) ele ajusta a dose e se sentirá melhor. Estamos cansadas de ter medo de abrir a boca pra falar com ele e sermos mal interpretadas e começar uma discussão insana na qual eu e minha filha sempre estamos erradas

Anônimo disse...

Meu Marido é Bipolar, é um Psiquiatra por incrivel que possa parecer. Mas quem não o conhece não o indentifica como tal.
Quero saber, por ficar receiosa em perguntar para ele, qual a probabilidade de nosso filho nascer Bipolar?

Mente inquieta disse...

Anônima,
A existência do transtorno bipolar em um membro da família aumenta a possibilidade da manifestação da bipolaridade em outro membro da mesma família. Gêmeos univitelinos, por exemplo, se um tem o transtorno bipolar o outro tem 80% de chance de manifestar também. Essa porcentagem é alta por que são pessoas que tem os genes idênticos e mesmo assim 20% não manifestam a doença.
Com relação a filho a possibilidade é bem menor. Além do fator genético do seu marido e o seu também, um fator que influencia muito é o meio que a pessoa vive, as condições externas que pode causar a eclosão o precipitação do problema, só a predisposição genética não garante que a pessoa vai manifestar a bipolaridade, as condições externas tem que desencadear isso.
Bjos

milton D. disse...

Meu Deus,cada comentário,minha mãe antes de falecer era bipolar,e a mudança de humor dela era diária,era incrível minhas irmãs nem chegavam perto dela,uma só conversava por telefone,era sempre a mesma conversa sua mãe tem gênio difícil,incrível que morei anos com ela,suportei todo tipo de humilhação,mas ao mesmo temp era uma pessoa super carinhoso,enetndi sua situação porque a amava mais que tudo nessa vida,e nunca deixei de estar ao seu lado,o bipolar necessita de apoio,muitos não se tratam por medo de pessoas COMO ESSAS QUE FIZERAM OS COMENTÁRIOS,não suportarem a convivencia,minha mãe morreu uma pessoa sozinha,separada e com somente eu estando do lado dela fisicamente,e sinceramente se tivesse que passar por tudo isso de novo eu passava,pois o amor supera tudo

Mente inquieta disse...

Milton,
vc te razão, tb não gosto de alguns comentários que estão aqui, pois mostra que muitas pessoas não tem paciência vê o bipolar de uma forma muito negativa..
Sou moderadora do blog, mas mesmo não gostando de alguns comentários publico para mostrar vários tipos de opiniões.
O mais importante é a pessoa amar o seu parapente que tem o transtorno bipolar, pois é o amor que vai ajudar a lidar melhor com a situação. Esse é o principal problema é que muitos não amam, por isso não consegue se colocar do outro lado, entender como o outro está se sentindo. Pois é fácil julgar difícil é estar na pele de um bipolar.

Anônimo disse...

Sou casada com bipolar, mas quando o conheci não tinha manifestado a doença,vivemos dois anos maravilhosos antes da primeira crise que resultou em internação. Foi um susto, perdi o chão, fiquei muito mal, dormi com um príncipe e acordei com um sapo. Não o reconhecia mais, ele se virou contra mim, porque o internei para evitar algo mais grave. De lá pra cá foram várias crises e quatro internações.Tenho dois filhos do primeiro casamento que gostam muito dele, mas sofrem bastante a cada crise.O que tem me ajudado é a psicoterapia e o conhecimento da doença. Sou terapeuta e por incrível que pareça tem surgido muitos bipolares e familiares em meu consultório e dessa forma posso ajudar e ser ajudada.Ele aceita o tratamento psiquiátrico, mas o difícil é acertar a medicação, quando estabiliza por um período, se aconteçe algo que não está previsto, desiquilibra e entra em crise. Infelizmente, ele não aceita os outros recursos necessários, como psicoterapia constante, atividades físicas e uma alimentação balanceada. Estou lutando há três anos, agora dessa última vez procurei me preservar ao máximo, não posso mais entrar em crise com ele, preciso continuar minha vida com meus filhos, não posso parar, tenho projetos...espero que ele se conscientize de tudo que precisa para não surtar...se vamos ficar juntos não sei...a decisão é dele, já não depende de mim...sentimentos existem, mas sofreram modificações a cada crise, terão que ser reconstruídos em conjunto e disposição.

Angélica disse...

Olá sou esposa de um biplar e o amo muito , pois senão ja teria "abandonado o barco" a muito tempo, todos os comentários no começo da pagina me esclareceram muito, meu marido é exatamente igual aos exemplos dados. Ele é um ótimo marido e pai, mas ... derepente vira um monstro do nada, distorce tudo que faço e me humilha muito, isso suga minhas energias, eu era tbm uma pessoa muito alegre, agora tenho TOC e DEPRESSÃO, vou a psicologa para saber como lidar com ele e comigo. Temos um filho de 4 anos e estou gravida de 6 meses, mas ele rejeitou minhas gravidez(as duas) e nesta ultima pediu até separação pois disse que não o respeitei ficando grávida.!! Ele vem de uma familia com histórico bipolar, avô, tios bisavôs , tias avôs, tias e primos. Claro que tudo é escondido pela familia, eu vou sabendo aos poucos do histórico , pois é uma familia tradicional onde mantêm-se sempre as "aparências", Só que eu naum tenho vergonha de dizer que ele é bipolar e procuro sempre manda-lo ao psiquiatra. O problema é que ultimamente tenho ficado com muito , mas muito receio de meus filhos desenvolverem esse transtorno, naum quero que eles sejam como seu pai, naum mesmo, pois vaum sofrer e fazer suas esposas e filhos sofrerem muito tbm. Fui ao neorologista levar meu filho que na epoca tinha 3 aninhos, de tanto medo que tenho de ele desenvolver o ser bipolar, mas o Médico disse que só dá pra saber com 12 anos!!!! Fiquei desanimada, quero começar a evitar o pior AGORA!!! Se possível antes de nascer o segundo filho. O QUE ME ACONSELHAM ? OQUE DEVO FAZER PARA EVITAR QUE MEUS FILHOS NÃO SEJAM BIPOLARES, E SOFRAM COMO SEU PAI?O ambiente é péssimo em casa e ja se que o ambiente conta muito nestes casos. O que devo evitar,ou fazer para que meus filhos entendam que o pai é doente e precisa de muita comprenssão e amor? E que não quero que eles sejam iguais?!!!! Desculpe o desespero. Vou fazer o que for possivel e impossivel para meus filhos conviverem com o pai, mas naum serem iguais a ele, pois esse transtorno é sofredor. Obrigada bjos.

Anônimo disse...

Olá,
Namoro uma pessoa diagnosticada com TAB. Antes de eu conhecê-la ela teve depressão durante e pós o parto da filha dela, oito anos depois, quando ja estávamos namorando, ela se tornou agitadada, falava sem parar e não dormia de jeito nenhum e ocorreu o pior... um surto psicótico, foi terrível e assustador vê-la do jeito que vi. Ela foi ao médico e diagnosticada, está calma, porém, a pessoa que conheci não voltou, ela anda sem ânimo, com estima baixa, tem vontade de trabalhar, de fazer alguma coisa, mas não consegue sair do lugar, eu, ás vezes, fico irritada em vê-la como a vejo e me sinto só para lidar com ela e por sermos homossexual, não temos o amparo da família, penso em deixá-la para ver se ela tem mais apoio dos familiares, simplesmente porque não sei mais o que fazer para dar ânimo a vida dela.
Ela reclama da vida, que não tem vontade de viver, mas não consegue sair do lugar, não tem vontade de ver as pessoas e ás vezes acho que ela não tem assunto...
E um detalhe importante: Ela sempre foi muito viva, sempre trabalhou, tinha presença, muita personalidade, é inteligente, mas hoje, tem sido o oposto disso, como se ela tivesse se apagado.
Não sei mais o que fazer...
Não quer mais a psicóloga porque disse que não sabe mais o que conversar.
O que eu faço??

Anônimo disse...

Estou casada há 5 anos, quando o conheci achei que era o homem da minha vida. Depois de um ano fomos viver juntos. Foram dois anos maravilhosos, mas descobri que nesses dois anos ele me traia com a ex namorada e talvez com outras, se encontravam em SP. onde ele trabalhava, mentia dizendo que estava trabalhando ficava sempe dois dias sem vir para casa, confiava nele, vivia dizendo que eu era maravilhosa e me amava e eu nunca desconfiei, não o perdoei mas como ele disse que estava arrenpendido e chorou muito continuamos juntos. Mas comecei a ver a verdadeira pessoa que ele era: mentiroso, agressivo, se achava o super-homem, o mais inteligente, folgado, gastava mais do que ganhava e se enchia de dívidas, não podia o contrariar, tinha momentos que era maravilhoso e tinha outros que se tornava um monstro. Depois de tantas brigas e eu sempre saia machucada, falei se não for a um psiquiatra quero que suma de minha vida e fomos e foi diagnosticado tanstorno Bipolar com episódios mistos. Agora está afastado do trabalho e em tratamento. Tem crises ainda apesar dos medicamentos mas não me agrediu mais fisicamente, melhorou.
Meu amor por ele acabou o que restou foi obrigação preocupação e pena.
Sinto muito a todos bipolares, mas me sinto muito infeliz por ter sido enganada, ter sido agredida e tão humilhada, agora tenho que fazer tratamento psicológico, me sinto muito doente. Peço a todos que tem esse transtorno que se tratem para não ferir pessoas que os amam.

Anônimo disse...

Namoro com um bipolar a pouco mais de um ano, desde que o conheci ele me falou, logo comecei a me informar sobre a doença. Ele me explica como é ser bipolar, ele começa e para o tratamento, neste momento ele parou de tomar o medicamento e as consultas com o psiquiatra;falo com ele que se é para ficar bom deve tomar os medicamentos.Graças a Deus ele não tem muita recaida, mas quando tem sofro com ele, porque nem sempre consigo falar coisas que possam ajudar, mas como ele mesmo disse pra mim, para ele o que importa é saber que eu gosto dele como gosto, e isso é o que importa.
Quando vejo pessoas dizendo que devem largar a pessoa ou até mesmo dizendo que é para as pessoas pensarem bem, e não caserem com os mesmos ou até mesmo dando conselho para largar os companheiros, logo penso, será que essas pessoas gostam realmente, e se fosse elas? será que gostariam ver isso? É muito triste, isso é falta de amor pelo companheiro,elas olham apenas pro seu próprio umbigo. Deus tem que ter piedades delas, que não sabem o que falam.
Sou muito feliz com meu namorado, ele me completa em tudo, e nos damos muito bem, eu o entendo e procuro ajuda-lo. Simplesmente adoro estar na presença dele, ele é muito especial pra mim, com ele aprendo cada dia mais e mais. Sua inteligência me facina, sua alegria e a forma de ver as coisas sem comentários.
Pode ser difícil, mas com Deus tudo fica mais facil.
Um grande abraço.

Anônimo disse...

SOCORRO.
Minha espôsa parou o tratamento há quase 2 anos ( disse estar CURADA ) e agora em crise de HIPOMANIA ( segundo me informou por telefone o psiquiatra ), pediu SEPARAÇÃO, Isto já ocorreu ha 18 anos ( ficamos quase 1 ano separados, de cama e residencia ), deu muito trabalho e sofrimento, daí começou o seu tratamento.
Porem agora RECUSA voltar ao médico ou ao psicologo, NÂO gostaria de passar DE NOVO por aquêle TORMENTO e sei que ela precisa de ajuda.
Por favor alguem teria uma boa sugestão de COMO CONVENCER ALGUEM ASSIM a RETOMAR o TRATAMENTO ???
Muito obrigado e FELIZ 2011
* ARY TBP

Anônimo disse...

Ola comecei a namorar no mês anterior um homem maravilhoso, só que tem dias que ele mal fala comigo, segundo explicações de conhecidos ele sempre foi assim vai do 8 ao 80 em segudos, do doce ao amargo, isso caracteriza bipolaridade?Sendo que nessas crises de humor ele se isola e não conversa, muitas das vezez ningem sabe o que houve pra que ele se chatiasse pois ele não fala de jeito nenhum...
Não sei se é ou não, obrigada
Paty

Anônimo disse...

Realmente não é fácil conviver com esses bipolares. Meu marido bipolar e eu estamos fazendo terapia de casal há uns dois meses pra tentar salvar nosso casamento. Já passei por cada situação que só Jesus pra ter misericórdia. No início do namoro ele já tomava Rivotril mas eu achava que não tinha problema, afinal ele me tratava tão bem e tínhamos uma vida sexual tão intensa que eu nem importava com nada. Depois que nos casamos, a coisa começou a se agravar, se mostrava irritado por qualquer motivo, ameaçava me deixar, dizia que não me amava, que queria morrer, ia por fogo na cama, dizia coisas horríveis desejando mal para mim e meu filho. Sei que é meio cruel, mas se eu soubesse que ele era bipolar, JAMAIS teria entrado nesse casamento. Ele ainda vive falando que vai se separar de mim, mas o negócio dele é só fazer terrorismo, agir mesmo, NADA!
Cada época ele invoca (mania) com uma coisa: Tem a fase do todo poderoso, vai onde quer, volta na hora que quer, não dá satisfação, gasta com o que quer. Extremamente egoísta, só pensa em si e crê que não vai colher o que planta. Eu fico na minha, trato bem, procuro não dar muito IBOPE pras atitudes dele, afinal, são 7 anos de convivência e já me acostumei a não dar crédito pras coisas que ele faz ou fala. Ruim né, mas aprendi que me sinto menos frustada se parar de me preocupar com coisas sobre as quais não tenho controle. Deixo pra Deus,que tudo pode!

Anônimo disse...

Hoje honestamente se soubesse que meu esposo tinha este transtorno não me casaria, por vários motivos:
O medo de que meu filho venha a sofrer deste mal. As dificuldades financeiras que acarretam com tratamento. O próprio estresse e possibilidade de ficar doente ou tb. criar um transtorno pelo desgaste da convivência com um bipolar. A certeza de que o mal não tem cura e somente o doente pode se ajudar, pois nada do que fizermos, se ele não tiver consciencia de sua doença, o ajudará.
Recentemente meu esposo ficou 30 dias internado, gastamos o dinheiro que não tinhamos, ele não consegue parar em trabalho algum, ou seja eu corro todo mês para acertar as contas, não compro roupas para mim, não faço unha, não saio, não compro sapatos. Nossos amigos se afastaram a familia o teme, embora tente ajudar.
Ao mesmo temo em que as vezes é amoroso ele é distante com meu filho. E isso me magoa demais. Suporto suas grosserias, seu mal humor, sua falta de vida. Mas não suporto ver meu filho sofrer, chorar, dizer que precisa ser forte para ajudar ao pai. Meu filho so faz o que o pai gosta, pq. esta é a unica forma de estar ao lado dele, caso contrario ele se fecha e sequer fala com o menino.
Antes da internação, ele tomou uma dose cavalar de remedios, e dormiu 48h, como trabalho, meu filho ficou velando ao lado da cama, deu comida, água....vocês acham memso que uma criança de 10 anos tenha que passar por isso.
Em sua volta ele não disse que sentiu nossa falta, mas chorou por causa dos "amigos!" que deixou na clinica, fala de dois rapazes da clinica como seus filhos e não diz ao filho proprio que sabe o quanto ele se esforça para ajuda-lo.
ele esta afastado, mas nao sei como faremos para pagar a escola do meu filho.
Nestes 30 dias que ele esteve fora, economizamos um monte, pois meu filho e eu precismaos de pouco. já meu esposo parece uma criança, quer o celular novo, notebook, roupas caras, sapatos, não vai a lugar algum a pé, de onibus, apenas de carro.
Se eu não o amasse não estaria ao seu lado, pois sei que posso me virar sozinha, posso criar meu filho.
Vou levar meu filho ao psicologo, o pediatra ja recomendou, pois meu filho fala do pavor que sente do pai em suas crises de furia, desde que o pai voltou, ele passa mal todas as manhãs, vomita, engordou um monte, fica irritado, carente.
E meu esposo fica em seu mundo, vendo suas necessidades, se tentamos conversar ele se irita, faz cena, se fecha, ja tentei de todas as formas, não faço cobranças, apenas dou sugestões de como fazer isso ou aquilo. Apesar de estar em casa, ele nada faz e ainda critica a limpeza da casa, compara a organização com a da clinica.
Sinto pena que uma pessoa tão inteligente tenha se tornado tão incapaz. Me doi ver em seus olhos tamanha tristeza, tamanha dor, esta semana ele me disse, sou viciado em dor.
Desde que voltou da clinica esta na fase de mania com sexo, mesmo me vendo cansada, com dor, sabendo que terei que trabalhar no dia seginte, ele quer sexo, e nao são minutos, são horas, e horas.
Como se seu fosse um paliativo para o que não esta certo dentro dele. Fuma feito muito e na frente do filho, sabendo que o filho não gosta e fica chateado.
Esta usando colares, pulseiras, gastou com peças para fazer a continuação da TO, mas até agora não colocou a mão em nada.
Não come, esta fissurado em emgracer. Apesar disso confiante de que Deus esta me amparando, pois conseguimos os remédios de graça aqui na prefeitura, ou seja economizamos mais de 200,00.
Os amigos todos estão orando por ele, vários de religiões diferentes ja me procuraram pedindo autorização para fazer orações por ele.
Isso me mantem firme, mas não sei como falar com ele, sem que ele se atormente, se aterrorize, estou buscando uma clinica para o tratamento psologico, o terapeuta ja me ligou mas ele não quer voltar lá. Então se alguém quer me condenar por minha dor, por meu desabafo, que venha viver minha vida antes de falar algo. Que pague minhas contas, que fique as noites atrás dele, para que nada aconteça em meu lugar.

Anônimo disse...

Boa noite

Acabei um relacionamento com um rapaz que sofre de bipolaridade,tentei ajudá-lo, fiz de tudo por le, mas não foi fácil, graças a Deus, tirei um peso das minhas costas,sentirei saudades, pois me apeguei muito a ele, mas não me arrependo de ter terminado o relacionamento, assim ainda posso tentar refazer a minha vida, quem sabe até ser feliz um dia.

Desejo que Deus continue abençoando ele, pois não tem culpa de ter esta doença terrível.

Anônimo disse...

Olá... Tenho uma amiga que é bipolar, ela é meiga e muito sensível.
quando está, sua presença é pura alegria, canta, toca violão, damos muitas risadas... quando entra em crise é como se no seu exterior e em suas palavras eu não a conhecesse, nao vou dizer que é dificil, pois é muito dificil...
sempre que ela entra em crise, falando coisas ruins de ser ouvidas procuro olhar de maneira diferente, peço a Deus pra que aquelas palavras nao sejam aceita por mim...
e sempre Deus me ouve...
não procuro entende-la e sim compreende-la, procuro olhar o que ela é, que pra mim é incrivél, uma mulher batalhadora e muito amiga...
o bipolar é um ser humano que precisa de amor como todos nós...

Anônimo disse...

namorava uma bipolar. não aguentei todas as crises. ameaça de suicídio a uma euforia sem explicação. conseguia ver negativismo em tudo. foram experiencias terríveis que passei. Porém era uma pessoa maravilhosa, a melhor que já conheci. As vezes desejava que ela fosse menos, pois acho que seria mais aceitável sua instabilidade. Eu só pedia para ela... estabilidade. Com a medicaçao adequada, litio, melhorou muito, mas percebi que o remedio nao resolve, ele evita surtos piores. Creio que a ajuda de um psicologo e Deus ajudaria bastante. Contudo eu não aguentei. Tenho medo! Tenho medo de um dia encontra-la morta ou que em um surto faça mal a filhos ou a mim mesmo. Tive um vizinho bipolar que se matou algum tempo depois que resolveu parar de tomar seus remedios. Li tambem na internet que o fator genetico é muito forte na determinaçao dessa doença. na familia dela todos parecem sofrer de depressao ou alguns transtorno de humor. tenho medo de que algum filho herde essa condiçao. Por varias vezes tentei terminar apos os surtos, mas eu me sentia um covarde ao fazer isso. Eu nao aguentei, tenho medo de um futuro turbulento. Tenho medo de me afundar na depressao dela e isso comprometer toda a familia. Eu ja estava me afundando, me tornando raivoso, depressivo tambem. Fico muito triste com isso, pois eu realmente gosto dela e ela é muito carinhosa. Fica o meu depoimento. Não me condenem. Foram meses vivenciando situaçoes extremas. Chegou um momento que eu me esgotei e nao tinha mais de onde tirar nada.

Anônimo disse...

sou casado com uma bipolar a 25 anos, vc e sua familia não vive , fica doente e triste perde o tesão de tudo pq conviver sercasado com bipolar é viver numa montanha russa 24 horas sua vida inteira e isto ninguem aguenta, neste momento ela esta emfase de euforia e se torna superpoderosa ,não aguento mais , voce ao longo dos anos vai ficando sem forças e estimulo para lidar com todo este turbilhão de vida, só queria viver em paz tranquilo e ser feliz, é como ser condenado de maneira perpetua, até que a morte os separe, e vc perde sua vida pq deixa de viver e ser feliz, é como já estar morto pois só temos esta vida para viver e ser feliz um dia de cada vez com bipolar é impossivel.

Anônimo disse...

Olha meu amigo ! entendo perfeitamente seu estadode animo, fiquei muito assim,ja tive muitos contratempos,ja paguei muitas dívidas, tenho ainda coisa p/acertar,se não fosse o sentimento que me une ao meu marido, eu já teria largado mão e ter vivido a minha vida...mas como uma pessoa sempre correto, meio perfeccionista, pode mudar tanto assim...mas como ele é limitado pela doença (avc) eu estou assumindo tudo e Graças a Deus,ele parou de ter crises de euforia, esta muito dependente de mim, portanto posso respirar um pouco mais aliviada...ele as vezes, manifesta alguma coisa, mas eu ja sei podar e não abro MÃO de nada.segure na mão de DEUS e viva um pouco mais a sua VIDA.

Anônimo disse...

Olha me identifiquei muito com esses comentários das esposas de bipolares, porq vivo à 14 anos com um que simplismente não quer se tratar já teve 2 crises e agora passa pela 3.As fases de depressão dele são muito pequenas já as de euforia são continuas.Ele me humilha, me fala coisas horríveis,simplismente se arruma e diz q vai pra festa ficar com alguma mulher porq não aguenta mais olhar na minha cara e depois volta dizendo q me ama, pra eu perdoá-lo e coisas do tipo.Minhas filhas já notaram as mudanças de comportamento dele,ele está muito bem amoroso carinhoso de repente se irrita até por um pingo de água q cai no chão é terrível.Tenho q admitir q é muito sofrimento viver com uma pessoa assim e mesmo amando muito e sabendo q a pessoa tem esse problema o bipolar conseqgue acabar com esse amor q sentimos, pois não há amor q resista a tanta humilhaçao, descaso, à tanta loucura!Eu não tenho um dia de paz sequer.Agora ele diz q é um ser superior de outro planeta, cheio de poderes e de uma inteligência superior e q precisa estar no meio de muita gente( isso quer dizer festas) pra quê? que loucura!não sei o que fazer, queria poder fugir com minhas filhas, mas a casa é minha e mesmo assim ele diz q não vai embora, q vai continuar comigo mas vai sair e transar com quem ele quiser, não sei o que fazer.A família dele diz que eu sou reponsável por ele e que tenho q forçá-lo a se internar mas como vou fazer isso.Estou desesperada! Não sei até quando isso vai durar! Queria vê-lo bem e se tratando e ajudaria no q fosse possível mas não quero mais viver com ele.

Anônimo disse...

Ai Amigos! Que vida....Nao sei mais o que fazer porque todos os caminhos nao levam a lugar nenhum. Eu sou tao humilhada eque ja nao sei nem mais o que dizer. Quando namoravamos ele era o homam mais maravilhoso do mundo. Agora o maior MONSTRO q ja conheci. Tudo que eu faco o irrita e tudo o que eu faco esta errado. Me deprime, me humilha e de repente esta tudo bem de novo. No momento seguinte esta falando de amor e ainda acredita que podemos estar juntos intimamente como se nada fosse. Que doenca terrivel! Ja nao sei o que fazer. Tento ficar calada, mas ate o calada o irrita. O que faco? Sera que um dia vou poder respirar e agir com naturalidade? sim, porque nesse momento so estou fingindo e agindo com medo. Tenho medo ate da minha sombra porque quando ele chega em casa e sempre uma incognita. Nunca sei se vou tirar um copo do lugar e perder a minha noite de sossego. Deus me ajude a suportar essa situacao. O pior de tudo e que ele nem imagina que isso e uma doenca! Ele nem acha que esta errado! Jesus o que e que eu vou fazer?

Anônimo disse...

Sai de um casamento de depois de muitos anos e apesar de todos os obstaculos estou bem. Neste period comecei a namorar uma pessoa que creio que e Bipolar pois as suas reacoes sao muito semelhantes a uma pessoa bipolar. As vezes fico super feliz com ela e realmente deixo o coraco e os meus sentimentos me levar para frente, porem nos ultimos oito meses tem sido horriveis com altos e baixos que realmente criam um impacto muito grande. Quando crises muito fortes ocorrem oucos palavras horriveis, muito pesadas e realmente me sinto mal. Ja tentei varias vezes romper este relacionamento e mais do que nunca estou decidido a fazer isto. Sinto muito pena e compaixao pela minha namorada, porem vi durante estes ultimos meses que ela tem antes de nada reconhecer que tem este problema. Como nao reconhece que tem esta situacao BiPolar faz com que tudo seja uma montanha russa e sem perspectiva. Sinto muito mal contudo isto.

Anônimo disse...

Todos comentarios deste blog me ajudaram muito a entender o perfil e os efeitos de conviver com uma pessoa bipolar. Sai de uma casamento muito dificil e pensei que havia encontrado a mulher da minha vida, porem nos ultimos meses o relacionamento tem sido algo horrivel. Sao noites em que tenho que ouvir barbaridades e agressoes verbais que nunca pensei ouvir antes. Sempre seguido de perdoes no dia seguinte. Alem disto me sinto mal como homem pois esta pessoa esta sempre deprimida, triste. As vezes ha momentos de alegrias, porem se for contar estes momentos sao muito poucos comparados as crises que este pessoa passa e que me agredir sem razao nenhuma. Tentei varias vezes terminar com ela, porem tem sido muito dificil. Ela tem feito ate ameacas de suicidio. Talvez eu mantive um relacionamento ate agora pois existe uma sensacao de pena e compaixao. Creio que o amor ja nao existe da minha parte, pois estas crises sao realmente horriveis, mesmo que no dia seguinte ouca desculpas. O pior e que esta pessoa nao admite que tem esta doenca ou esta condicao. Para mim isto e pior de tudo. Baseado em tudo estou decidido a romper com esta pessoa. Peco a deus que ajude ela a buscar alguma solucao. Vou sentir muito a falta dela porem estes altos em baixos tem impactado muito a minha maneira de ser. Sinto muito e me solidarizo com as pessoas que sao bipolares, porem creio que se temos a chance de escolher outros caminhos na vida nao devemos nos omitir de fazer isto.

Dougie Aguilera disse...

Socorro! já não sei o que fazer. Me sinto tão sensível a fatos simples: Quando minha mãe só grita comigo com ignorancia, eu me sinto um inútil, idiota, sozinho. Tenho momentos em que fico eufórico, falo d+, e ñ me contolo, de repente fico depressivo, sinto vontade de me matar, mas penso em DEUS e sinto uma enorme fobia.
Não posso contar a ninguem pois os motivos jamais terei coragem de dizer.
Me ajudem por favor, meu e-mail é dougie_live@hotmail.com

Que Deus os Abençoe!

André disse...

Oi,
Primeira vez nesse blog. Parabéns pela iniciativa, ajuda bastante. Talvez possamos pensar, inclusive, em uma comunidade em que as pessoas possam trocar mais experiência, apoiarem-se umas às outras.
Sou casado com uma bipolar, parece simples assim quando se escreve, mas é algo bastante complexo de se viver. Fiquei casado por sete anos, tivemos uma filha, não aguentei a barra e me separei. Fiquei separado por dois anos, mas resolvi voltar. Ainda amo minha esposa, mas confesso que a preocupação com minha filha também foi um fator forte para determinar a volta. Minha esposa recusa tratamento, o que torna as coisas mais difíceis. Eu comecei terapia há três meses. No começo, estava muito cético. Mas é incrível como um bom terapeuta pode ajudar sim, como familiar. Tenho me sentido mais preparado para lidar com o cotidiano e também para ajudar à minha filha (hoje com sete anos) a atravessar tudo isso. Não julgo os que colocam aqui que nunca se casariam ou que largaram seus parceiros. É difícil demais a convivência e eu mesmo já joguei a toalha uma vez. Confesso que não posso dizer que não jogarei a toalha novamente, uma segunda vez.
Tenho uma dúvida técnica, talvez alguém possa me ajudar. Quando há um surto mais forte, como proceder? Sinto que os surtos de minha esposa estão ficando mais fortes e que ela está prestes a romper o limiar da violência física. Então, devo tentar eu mesmo imobilizá-la? Por quanto tempo? Devo chamar o Samu? A polícia? Agradeço se alguém tiver alguma orientação.

eli disse...

Olá, estou escrevendo nesse momento pois vivo com meu namorado há 2 anos e meio, namoramos há quase 7. No momento ele passa por uma crise. Só consegui identificar que era Bipolar depois que fomos morar juntos. Me identifiquei com muitos comentários acima.

Estou chegando a conclusão que as crises dele vem num momento de discórdia minha ao algo que eu fale e pra ele pareça uma ofensa. Tenho que pisar em ovos p/ falar com ele!
É difícil, não tem uma regra para cuidar de alguém assim, algo bobo que vc diz pode desencadear a crise. Aí como outras citaram acima, ele fica com ódio, humilha, fala em se separar....
No ponto de vista dele, ele sempre tem razão, dá um jeito de fazer que eu me sinta culpada!
nessas horas aprendi que a melhor coisa é se calar e deixar que ele se recupere. Qualquer palavra gera mais raiva!
As vezes leva 4 dias p/ ele voltar ao normal, as vezes 1 dia! No dia seguinte acorda como se nada tivesse acontecido!
Sofri muito com isso até identificar a bipolaridade.
É um relacionamento de altos e baixos, ele faz tudo por mim quando está bem, mas muda completamente na crise.
Entendo as pessoas que não estão aguentando e pensam e se separar, pq a gente quase enlouquece e é mta dor!

Hoje ele está no terceiro dia da crise, não quer nem me ver, nem ouvir minha voz...
dessa vez estou agindo diferente, me ausentando também. Volto a comentar assim que ele melhorar...

Anônimo disse...

Tenho uma irmã bipolar, ela é simplismente muito egoísta, está acabando com a vida dos meus pais, as vezes tenho vontade de leva-la a perceber que problemas exitem e devemos enfrentá-los e não ficar procurando culpados para tudo que acontece na vida , quando a maior culpada de todos os transtornos vem dela, ontem falei quase tudo que queria dai ela entrou em um choro profundo, sem nenhum sentimento, coisa de pessoas que foram mimadas a vida toda e que não querem reconhecer a realidade.... pessoas assim vivem no mundo da fantasia.... Deixo aqui minha indignação, além do mais ela não quer se tratar, toma os remédios de maneira errada, as vezes penso era melhor que ela morresse, desculpem a franqueza, mais ela não faz nem nunca fez nada de bom na vida dela... ainda assim culpa a todos pelos seus fracassos e frustações.

Mente inquieta disse...

Anônima, sinceramente espero que sua irmã não tenha só vc de irmã e que ela possa contar com alguém da família.
Quando uma pessoa adoece entra em crise a família tb adoece. O bipolar é só a ponta do iceberg.
Quando ela diz que vcs tem culpa, ela tem razão em partes.Pq uma crise ocorre devido a vários fatores e devido principalmente ao meio em que a pessoa vive. Já tem pesquisas em universidades americanas que quando um bipolar esta numa família que tem um ambiente de discórdia, de descorçoes, o bipolar tem mais recaídas, mais crises, do que um outro bipolar em que o ambiente da família é mais saudável. Olha ter vc como irmã, que fala as coisas que vc fala e faz ela chorar e ainda gostaria que ela morresse. Eu tenho pena da sua irmã... É muito mais difícil o bipolar se recuperar e se manter estável convivendo com pessoas assim como vc.
Se vc Gosta de vc mesma e dos seus pais, vc deveria fazer um esforço para a família ficar mais unida e ajudá-la a enfrentar tudo isso. Pois as crises afetam a todos. Mas, não pense ha é só ela que tem q se tratar, se ela tomar a medicação basta. Não basta! Existem tb vários estudos nesse sentido, pois a medicação se não tiver associada a outros fatores não vai ter tanta eficácia.

Vc deveria procurar ajuda, pois vc está lidando de uma forma totalmente errada e prejudicial para todos aí da sua casa.

Anônimo disse...

Namoro um rapaz a cinco anos. Quando tilhamos 6 meses de namoro ele teve uma crise de euforia e foi diagnosticado com transtorno bipolar, passou a tomar seroquel e outros medicamentos e sua crise foi controlado, não ficou agrssivo e passoi a agir mais ou menos normalmente. Acontece que ele tem dificuldades em lidar com frustrações e não sabr como agir em um emprego, sendo que sempre os abandona diante da primeira dificuldade. Em um deles foi mandado embora e até hoje eu não sei bem porque. Mas ele é um rapaz bom, de bom coração, uma pessoa sensível. Acontece o seguinte: ele abndounou o tratamento a mais ou menos 20 dias e acho que está tendo um acrise de depressão. Está agindo estranho. Está frio e distante. Calado, introspectivo e quase n]a conversa. Fica falando que eu estou realizada em meu emprego e ele não, e etc. Outra coisa, ele muda muito de opinião. N mesma hora que quer fazer algo já não que mais. faz palnos e não consegue seguir adiante. O pai acho qeu não aceita que ele é bipolar e fica o incentivando a parar com o remédio. Acho foi por isso que ele parou.A psiquiatra lavou as mãos, já que ela disse que não era bom que ele abandonasse os remédios. Ficamos noivos e estamos querento refomar uma casa dele para morarmos. Ocorre que a casa é dele eu vou entar como o dinheiro da reforma. Como ele muda muito de planos, cada dia quer uma coisa, fico com ele mudar de ide´ria e dizer que não quer mais casar eu perder o dinheiro da reforma.Ele é muito bom pra mim quando está se tratando, é um doce de pessoa. Mas durante as crises me trata mal, fala coisas sem sentido e fica procurando motivo pra brigar. Agora cismou de me acusar de que o o afastei dos amigos, sendo que foi a doença que fez isso. Ele se tornou distante dos amigos, muit lento no raciocínio, acho que por causa dos remédios, quando se conversa com ele ele demora para dar retorno. Ficou apático, e quando o conheci ele era normal ,aparentemente, até dá o primeiro surto. Sua família tem pessoas com depressão e com disturbios, mas como é uma famíli atradicional, tudo fica muito por debaixo dos panos.Enfim, acho que agora ele está me crise, só conversa com monossílabos, já dei a indioreta pra ele que eu acho que ele está em crise, mas parece que ele não nota as alterações em seu comportamento e acha que está tudo bem. Enfim, é muto difícil e quando vejo os comentários das pessoas que se casaram com biploar e se arrepemderam me dá muito medo, mas eu gosto muito dele e tento me lembrar de como ele é carinhoso quando não está em crise. É o que tem me dado ânimo ´pra seguir em frente.

Abços a todos!!!

Anônimo disse...

Minha amiga se vc quer entrar p/o time das esposas desesperadas,se prepare.....é uma luta perene....vc tem que aceitar que sua vida nunca cairá na rotina, pois vc não vai saber como será o próximo momento, o próximo dia, mas com amor muita coisa acaba mudando...só experimentando....

Anônimo disse...

Se vc ainda pode , livre-se de conviver com tal situação.
Se já está casada , procure o melhor de separar-se ou será uma escrava , tentando agradar ao máximo uma pessoa que não quer tratamento, meu marido parece gostar de ser o centro das atenções , parece gostar de saber que sentimos medo do que pode fazer em um mm de crise , no fundo , no fundo sabem exatamente o que estão fazendo e querem controlar a situação , ser do contra ou dizer não parecem sempre ser a melhor opção. Para cada mm bom , ou seja , um dia bom , resta toda a semana ruim , más surpresas , stress , desconfianças ... enfim , desisti de ser escrava !

Anônimo disse...

Olá queridas colegas de esposas de homens bipolares...Eu com certeza sou mais uma do time. Convivo a mais ou menos uns 17 anos com essa pessoa estamos casados a 10 anos..Durante todo esse tempo vivemos turbulencias diarias. Hoje me encontro no fundo do poço, em uma total desisperança de nosso relacionamento, sem forças para lutar!!! Cansei.... E então entrei nesse site e encontrei pessoas que vivem ou viveram situações e coisas bem parecidas com o que vivo. Isso me fez acreditar que estou lidando com uma pessoa doente realmente coisa que eu não sabia. E que quem sabe talvez eu consiga ajuda-lo a se tratar. Sou uma pessoa de personalidade feliz, amavel e carinhosa e acho que com isso eu sofre mais. Vou descrever alguns fatos para saber se isso realamente é bipolaridade. As vezes acordamos e está tudo bem, tomamos café e vou na rua ou apenas tomar um banho e então quando volto a falar com ele, ele já fechou a cara fica falando com poucas palavras e me olha com olhar de odio como se durante esse tempo eu tivesse feito algo muito ruim pra ele, fica então por bastante tempo com aquela cara que apenas o que me resta é evitar. Então por alguns minutos ele volta a conversar comentando e lamentando situações cotidianas então ficamos bem. Vou para cozinha preparar o jantar e ai ele volta a se fechar. Vai dormir de cara feia com um odio horrível de mim. Vivo essas mudanças todos os dias sem saber de devo rir ou chorar, sem saber se falo ou não falo, sem saber se brinco, se brigo ou se simplismente vou embora.

Anônimo disse...

Ola! pessoal
Estou casada, há sete anos, com um bipolar, que não quer se tratar. No inicio do nosso casamento eu não tinha noção do que acontecia com ele pra dizer a verdade eu nem sabia que existia o transtorno de bipolaridade só fui descobrir o seu diagnóstico após sua internação em uma clinica psiquiátrica. Tenho passado muito momentos dificeis dentro de um poço que não tem fundo, me sinto perdida, angustiada, cansada em fim sem forças. Durante muito tempo fiquei debruçada na internet tentando buscar informações e ajuda, queria saber como outros familiares se sentiam, queria ouvir o seus relatos, tentar me identificar com esses familiares para não me sentir a única dentro de uma situação tão delicada e dificil como a de conviver diariamente com uma pessoa com esse transtorno. Tudo o que encontrava eram relatos de bipolares e um ou dois de familiares. Que bom ter encontrado este espaço, já não me sinto tão sozinha.

Anônimo disse...

Namoro a 5 anos com um bipolar diagnosticado. Ele chegou a tomar remédios um tempo, e realmente foi um período muito tranquilo, mas desistiu do tratamento. Ele se esforça muito para se controlar, mas muitas vezes não consegue. É um homem muito inteligente, determinado e focado e acredita que conseguirá seguir sozinho, sem tratamento, mas de um tempo pra cá acho que não está conseguindo. Estou tentando convence-lo a voltar ao psiquiatra pelo menos, mas está difícil. Eu o amo de todo o coração, sei como será daqui pra frente, do risco de nossos filhos sofrerem com isso, se chegarmos a nos casar um dia, mas nem de longe penso em desistir. O que devo fazer??

Anônimo disse...

Amiga, quais as reações dele depois que parou de tomar os remédios?

SMF disse...

Nádia descreveu a situacao EXATAMENTE IGUAL a que eu convivo, sendo ELA a problematica.
Projetos de separacao regados a grosserias, falta de paciencia, mudanda de pento de vista, mudanca de direcoes, mudanca de humor, chegando ao absurdo de mudar de projeto de vida, dentro da mesma frase (e olha que uma frase eh dita em 5 7 10 15 segundos), nao tem sido necessario mais do que isso pra mudar definitivamente projetos futuros.
Ela nunca se submiteu a diagnostico de pibolaridade (salvo eu nao saiba), e vai escapando dia a dia se dizendo que tem fortes crises de TPM.

Anônimo disse...

Sou a garora de um dos posts acima ( poste grandão, rsrrs), então... o meu namorado não consegue prosseguir com planos..ele dorme querendo uma coisa e acorda querendo outra..não se decide sobre nada...não consegue prosseguir objetivos e por causa disso não sai do lugar...estou sofredno muito porque sou uma pessao decidida, qdo decido um coisa eu faço e não desisto até conseguir..eu traço um palno e o presigo de corpo e alma e devido a eterna indecisão dele sinto que de uns tempos pra cá tenho ficado estagnada..será que isso é coisa da minha cabeça, um traço da personalidade dele ou um sintoma da doença?Enfim , pessoas com essa doença tem essa dificuldade de tomar decisões e perseguir planos?

Mente inquieta disse...

Anônima, indecisão não tem nada ha ver com a doença, eu sempre fui uma pessoa decidida, sempre soube o que eu quis.
O que pode acontecer além da personalidade e que em momentos de dificuldades a pessoa se sinta insegura ai ele pode ficar mais indeciso.
Mais isso tem haver com jeito dele mesmo, acho que o momento de insegurança só aflora mais os medos que a pessoa tem.Se é indeciso, então tende a ser mais.

carolinacarvalheira disse...

Olá! Só depois de 9 anos de convivência, sendo 3 de casamento que descobri que meu esposo é bipolar. Durante o namoro, sabia que ele era uma pessoa difícil mas realmente só entre 4 paredes que a gente sabe com quem esta. Nunca imaginei que meus sonhos de casamento pra vida toda iriam por água abaixo por conta dessa loucura. Como é possível lidar com tamanha instabilidade? Depois de varias vezes que meu marido me mandou embora de casa, fui. Estou na casa dos meus pais sem saber o que fazer, pois gosto muito dele e tenho pena. Será que ele conseguira sozinho se reerguer?? Diz que sente a minha falta, mas não hesita em me tratar com grosseria na primeira oportunidade... Será que devo voltar?? Na mesma conversa onde diz que vai se matar, passam 5 minutos e faz planos futuros!!! Não sei se tenho amor suficiente. Só queria ser feliz...

Anônimo disse...

minha mãe é bipolar.as vezes eu não sei como lidar com certas situações.As brigas são frequentes.Ela não aceita minhas opniões e acha que ela está sempre certa.sei que é difícil pra ela...mas isso tem me feito mal tbm...ela fka falando em se matar..eu não moro com ela e quando vou pra casa sempre temos brigas..ela fala q se ela se matar a culpa é minha...q é isso q eu quero.tenho 14 anos e acho q estou entrando em depressão com todos esses problemas.O que eu faço?

Anônimo disse...

Olá,

Sou portador de transtorno bipolar há mais de vinte anos. Faço tratamento regularmente. No entanto, quando descuido, passo a me tornar uma pessoa inconveniente, que conta todos os seus planos e projetos pessoais para todos; que não controla nem guarda pra si aquilo que deveria ser guardado. Ou sej, estrago tudo.
Como lidar com esses momentos do tipo "fiz e não percebi; me ferrei"?

Agradeço

robson disse...

Primeiramente é um prazer esta aqui para contar o meu caso...

Bem !!!
Vejamos
Meu nome é Robson e eu tenho uma namorada, e ela passa por todos esses problemas... sendo que eu não sei reçatar o meu caso, se ela é bipolar ou se ela é apenas depressiva por que os sintomas são quase os mesmos...
Quando eu a conheci... ela era completamente respnsavel nos seus atos... sendo que depois de alguns meses de namoro... soube que ela já havia tentado suicídio, duas vezes... isso com us 13 anos de idade e hoje e esse ano ela faz 17 anos... não são muitos anos... mas para quem tem esse tipo de doença é um tempo muito grande em que ficou sem expressar essas atitudedes exageradas e confusas... antes de namorarmos ela se tratou por uns anos e logo assim que começou a ficar boa... ela cortou o tratamento...

Bem... eu a amo mas é bem difícil de lidar com isso... pois além de eles estarem doentes, acaba nos adoentando também... pq os nossos esforços para agrada-los e eles sairem dessa depressão... é muitoh grande... Tem dias que minha namorada quer sair... ai eu perguntoh...

Aonde vc quer ir amor?
Ela diz não sei...

Quer ir a tal lugar?
Não...

Então aonde amor?
Não sei...

A indecisão... a incapacidade de dicidir as coisas é a pior delas pra mim...

Quando estamos curtindo algum lugar que eu escolhi... por que ela não toma decisão algum...
Ela me diz: que a atração é horrível... o luigar é chatoh...
Então pq não escolheu o lugar...
Pocha... nós tentamos ajudar e eles complicam ainda mais...

Aí quando damos esporro por algo que discerão e nós não gostamos...]
Ficam tristes, assim como ela... tipo começa a chorar e dizer... desculpa a amor...
Mas puts... toda vez desculpas e meus sentimentos... de achar que nunca estou agrandando o sufucienteh... nunca esta feliz comigo... então pq esta comigo
Nossa da muita dor de cabeça... já chorei muito... pq a amo... mas não consigo lidar mais com isso... Eu já era ficiado em cigarro... agora eu fumo ainda mais pq agora quem tem depressão sou eu... estou doente por ela... e acim estou me acabando... estou me matando por ela..
E parece que os deprecivos não ver os esforço que nós fazemos para agrada-los...

Preciso de um apoio
Preciso de uma palavra amiga... pois eu amo... tenho medo d perde-la
Pq algumas vezes eu percebi se ela em algum momento achar que ela pode me perder por eu estar cansado disso... ela pode tentar o suicídio... e eu não vou aguentar...

Me ajudem por favor... Pois ta dificil no dia seguinteh ela acha que nada aconteceu... sera que toh ficando loco... espero uma resposta...


Um abraço para todos espero que minha esperiência com uma pessoa depressiva também possa ajuda-los a lhe dar com isso...

sandra disse...

estou muito triste com o fim de um ralacionamento,e acho que ele sofre de bipolaridade,pois suas mudanças de humor eram bastante frequentes,principalmente quando ingeria bebida alcolica,ficava muito agressivo comigo,via coisa onde não existia,isso tudo do nada,resolvi pesquisar sobre bipolaridade através de uma reportagem que vi,achei tudo muito igual a seu humor,e depois desta reportagem que acabo de ler,tenho quase certeza, todos ficavam bobos como derepente ele mudava e era como se nada tivesse acontecido,já cheguei inclusive a pedir que ele procurasse ajuda psicologica,mas ele nunca me levou a sério,gostaria muito de ajuda-lo,só gostaria de saber como?

Anônimo disse...

Ridículo, ridículo, simplesmente ridículos, aiai,se é tão insuportável viver com um bipolar (o ser egoísta, prepotente, manipulador, etc etc) por que vivem?! Por solidariedade?! Que lindoooooo, já pararam para pensar que os fracos aqui são vocês, coitadinhos, tão sofridos pq vivem com loucos, né?! já pararam pra perceber que os coitados são vocês?! Eu sou bipolar, mas se faço algo por alguém, não faço por obrigação e nem saio alegando para o mundo que estou vivendo uma situação q me faz mal pq sou boazinha...se não querem realmente, pq ficam?! kem será o dependente nisso tudo. aff, hipocrisia não né?! Vivem dizendo q o bipolar tem q assumir-se, mas qdo isso ocorre é pq o "doente" é mais "doente" ainda, é pq gosta de ser um bipolar, rsrs, os loucos são vocês!!! Por acaso sabem a merda que é ter esse problema? claro q nnnnnnnnn, pq vcs são mais vitimas, pq vcs, somente vcs são obrigados a lidar com isso. se é tão insuportável, pq n nos deixam morrer? pq se cometermos a merda do suicídio somos egoístas? vcs deveriam gostar, seria um alívio não?! tanto pesar, nossa, sim somos um peso, um estorvo, mas vcs convivem pq kerem...é muito fácil julgar e julgar, experimentem trocar de lugar, vamos troquem!!! Ah desculpa vcs não seriam tão fracos neh?! é bem paradoxal cm na msma hr q querem uma coisa de nós, vc querem outra, o bipolar é um fracassado que não desiste do que quer, irônico né?! tem um comentário bem bonitinho acima que diz: _ caiam fora enquanto é tempo, não casem. Rsrsrs, q coisa adorável, e pq ele não caiu fora?! será que ele depende da pobre bipolar pra viver?!Nossa, eu é q não entendo neh?! ele é apenas um homem bommmmmm... percebi pelos comentários q existem pessoas realmente bem intencionadas aki, mas pelo amor d Deus, chega de rótulos, vocês não sabem o quanto essa porcaria toda dói...sim, agimos por impulso mesmo, nos arrependemos muito e talvez para sempre, é um ciclo abominável para nós mesmos, odiamos o q o espelho reflete (Drogas, suicídio, egoísmo, agressividade, autopiedade, comiseração...)
Eu me sinto inegavelmente imprestável, mas n peço para ninguém viver minha dor, pq é minha, então parem d julgarrrr!!!!
se querem ajudar d verdade, façam tratamento junto com essas pessoas e parem de dizer para o mundo o quão insuportável é conviver c um bipolar (ele já sabe disso, acreditem)e não se coloquem acima de nós pelos sacrifícios que fazem, pois talvez para nós também seja insuportável viver c vcs, simples assim, agora se quiserem dizer que este é um desabafo louco e egoísta de alguém em fase de mânia, podem dizer, tô nem aí, a verdade de vcs doeu em mim, se a minha doer em vcs, não é problema meu...

Anônimo disse...

Eu tenho 22 anos e acho que tenho bipolaridade, mudo de humor muito rápido, tenho baixo auto estima, acho que todos estao falando de mim,as pessoas me acham fria, do nada sinto vontade de chorar, porém as vezes fico muito feliz, muito positiva, acho tudo lindo e depois volta tudo a piorar, fico depressiva, negativa..e ai vcs acham que tenho bipolaridade..

Anônimo disse...

oi..vi vários comentários de esposas e maridos de bipolares....acho que não deve ser facil a vida, mas eu sou a MÃE de um deles... e no meu caso, não existe divorcio,nem abandono, nem simplesmente sumir... afinal ele é meu filho ... acho que amar um bipolar é assim... vc ama e não questiona! simples assim, mas sem deixar de ser dificil....acho que as pessoas confundem o bipolar com psicopata pq muitos comentarios traçam perfis psicopatas, o bipolar é puro sentimento, ele sente as sensações de uma forma que nós, pessoas ditas normais, nunca conseguiremos imaginar...da alegria mais incediante a tristeza mais congelante.... e quem vive sempre nessa guerra são eles mesmo, toda vez que um bipolar legitimo(sem trnastorno de personalidade e psicopatias) chega a agredir alguém ele passa por um purgatório moral... é muito triste pra quem convive... vou dar um conselho, grátis, pra todos que se envolverem com um bipolar: se não puder amar com profundidade sem esperar nada em troca, cai fora!!! antes de ter filhos, pq o pai do meu filho tb era bipolar, e eu não aguentei, mas fui obrigada a amar e aceitar o meu filho... tem dias ruins, dias bons nunca dias medianos, mas agente sobrevive a eles com muito amor, muita entrga, sem espera nada em troca... quando ele te ama, é profundo e sincero, porém não fiel sexualmente falando... bem... a luta é pra quem ama e quer lutar, é um leão por dia... e assim agente vai vivendo... um abraço a tods e boa sorte pra todos nós

Bá disse...

Olá pessoal, meu avô sofre de bipolaridade..essa doença que é tão difícil pra quem é jovem imaginem pra um senhor com mais de 70 anos. Não conseguimos saber ao certo se ele sempre possuiu esse transtorno pois há mais ou menos 14 anos ele era um alcoólatra, então quando não estava 'normal' estava bêbado.. mas graças a Deus aceitou internação e hoje já n carrega mais esse peso. Porém a convivência fica cada vez mais complicada, pois agora com a bipolaridade ele fica em média um mês em estado de euforia e o outro mês na 'depressão', assim sucessivamente. Já procuramos todos os tipos de tratamento, ele toma remédios regularmente mas mesmo assim é muito dificil conviver com um senhor assim, são 'duas pessoas' completamente diferente, e sei que ele quando está de um jeito não suportaria conviver com alguem como quando ele está eufórico. Tenho 17 anos e moro com minha mãe e meus avós e literalmente a casa vira um 'sufoco' quando ele está em euforia, mexe com o psicológico de todos! Bem.. foi apenas um desabafo e compreendo a todos que passam por situações parecidas com a minha.

lola disse...

então, hoje descobri o site num momento em que tô na cadeirinha mais baixa da montanha russa.
é a fase da implicância,da confusão, do conflito , da chatice, do abusinho.essa fase sempre ocorre de tempos em tempos.as pessoas mais próximas percebem minha irritabilidade e minha tendencia em insultá-las nesses dias, fico procurando pequenas coisas, defeitinhos, coisas que quero que a pessoa se sinta mal , nao sei bem explicar..inclusive, a confusao mental e na explicação já demonstra a fragilidade dessa fase.
brigo com vizinho, nao cumprimento as pessoas, nao vou a consultas medicas marcadas, nao devolvo filmes alugados, enfim, protelo ao maximo qualquer coisa...é uma especie de preguiça mental...e me ocupo em uma unica coisa: chatear as pessoas, demonstrar seus defeitos, pegar no pé, fazer brincadeiras...e, quando as faço, logo em seguida, choro muito, sinto -me mal...e se sinto algo ruim, é porque aquilo não era pra ser dito, não era uma verdade pra ser dita...pronto! nesses dias, sou a dona da razao..quero expor minha opiniao ao mundo...triste...

o feliz é que isso passa...afinal de contas...o nome já diz..bipolar...duas fases...temporario...
desculpa a falta de acentos, virgulas, etc...
a paciencia tá curta pra por as ideias em ordem.vou dormir pra não incomodar.

Cris/RS disse...

Olá. Tenho uma filha de 19 anos bipolar. Ontem na consulta com a psicologa descobri que preciso trata-la como uma criança. Impor limites, rotinas, reaprender a ter convivio familiar. Estou sofrendo muito, pois queria que ela tivesse a liberdade para viver todos os seus sonhos, mas hoje sei que ela nem sabe na verdade qual é o seu sonho. Descobri que ela estava se drogando e bebendo muito. Perdeu o semestre na faculdade, mas é extremamente inteligente. Hoje estou me reestruturando para ajuda-la, minha familia também quer ajudar, isso é muito importante. Olhando todos esses comentários, gostaria de saber se algum de vocês que tem o transtorno ja ecreveu um diário. Estou pensando em escrever um e pedir para ela também escrever. Pois acredito que ela relendo vai ver exatamente o sobe e e desce da sua vida. Os momento de euforia, de depresão e com isso se enchegar e se ajudar. Bom, hoje começa uma nova fase, daqui um tempo pao para vocês se esta funcionando e se alguém puder relatar algo agradeço muito. Felicidades a todos!

Diário de um pai bipolar disse...

Criei um blog para tentar ajudar meu pai e expor para muitas pessoas que tratam a bipolaridade como uma doença boba e clichê, porém ela muito séria e queria que as pessoas tivessem conhecimento disso.
Quero novas dicas e novas formas de tentar ajudar ele.
Convido vocês para acompanhar meu blog e me ajudar.

http://diariodeumpaibipolar.blogspot.com/

Anônimo disse...

Bom dia gente, chorei copiosamente lendo todos esses relatos porque me vejo em uma situação delicadíssima em relação ao meu namorado. Minha sogra é bipolar, minha cunhada também e mesmo sem diagnóstico oficial médico, minha mãe(psicóloga)desconfia(ASSIM COMO EU-ATÉ ANTES DELA)que meu namorado seja também. Aconteceu um fato bem triste comigo hj pela manhã...ontem estavamos muito bem e do nada ele disse q ia sair com outra pessoa e já que não posso fazer nada deixei q fosse, só que eu tbm sai e hj pela manha disse a ele e ele me falou que eu tinha feito papel de mulher safada!Na verdade esses surtos e outros mais acontecem com muita frequencia....já bati de frente com a doença,mas hj percebo que o melhor a fazer é achar uma forma de controlar ela e ajudar meu amor!Meu depoimente tem um unico objetivo, o de dizer para todos que é sim dificil conviver com pessoas tão diferentes e com tantas mudanças repentinas de humor,mas se soubermos lidar com a doença e tivermos amor verdadeiro por eles nós conseguimos passar por cima de tudo isso.
Ah, se vcs soubessem tudo que tenho que ouvir em dias de crise dele,minha sogra e minha cunhada...Ele sai batendo porta, diz q nao quer me ver,vai embora,desliga o telefone na minha cara,diz coisas absurdas,mas eu definitivamente o AMO.
Ele até tem noção da doença,mas hora aceita ir ao médico, hora recusa-se por isso ainda nao fomos....O que devo fazer para convencer ele? Como devo agir nas horas de crise dele?
Me ajudem para que eu possa lidar cada vez melhor com esta situação!
Obrigada
Deus abençoe todos

graciele disse...

Bem, pieguices a parte, o fato é q mesmo amando um bipolar, é realmente insuportavel aguentar seu comportamento. As vezes a gente quer q ele morra, sim!!! Mas isso não quer dizer q deixamos de ama-lo...
Meu marido é BIPOLAR, HIPERATIVO e, como se não bastasse, tem TOC (transtorno obssessivo compulssivo, enfim , devem saber o q é toc). Imaginem o q é a convivencia com ele...
O pior é q ele, como todos os bipolares, sao superinteligentes, e qualquer tecnica psicologica q eu tente usar com ele, para melhorar a convivencia, é logo percebida como manipulaçao (cursei psicologia e mesmo assim tá dificil). Quando esta disposto a brigar, nao aceita brigar sozinho, entao fica naquele jogo psicologico de sarcasmo , q eles fazem muito bem, até q eu chegue ao meu limite e exploda com ele. O que é extremamente doloroso para todo mundo, pois eu falo aquelas verdades q arrebentam com ele, mas q , enfim, sao verdades.
Ele se agride, ja quebrou ate a mao socandos paredes...
Eu o amo, por isso não desisto...
Mas tambem sinto raiva quando ele me ofende, e isso é normal. Ninguem gosta de ser ofendido, nem acusado injustamente. Como ele tem toc, quando nao me submeto aos rituais ( por exemplo, levantar as 4 da manha para fazer faxina na casa, q por sinal ja esta limpa), ele surta. Depois deprime e é dois dias para voltar ao "normal".
Ja pensei em morarmos separados, mas como ele tem tendencia suicida, nao da pra deixa-lo só...quando ta demais, me mando pra casa da minha mae, ele sente saudade, chora, dai eu volto. E vamos levando...
Ah, e temos um bb de nove meses.Pense como tá complicado...
Mas o brilho q essas personalidades possuem, a genialidade, a sensaçao de termos semideuses ali, na nossa frente, é fascinante. E tbm persebo q ele me ama de verdade, mesmo desse jeito meio delirante..
Então , nao desisto, pois sei q ele precisa de mim, e eu sou forte pra aguentar e protege-lo de si mesmo.
Só q, pieguices a parte,as vezes, enche o saco, fazer o q?!

Jeni disse...

pessoal, realmente eu já não sei mais o que fazer, sou casada com um bi polar há dois anos e ele não aceita que tem a doença, diz que a louca sou eu e que ele é a pessoa mais normal do mundo, se ao menos ele aceitasse a doença e procurasse ajuda, mas ele nega o tempo todo, alguém pode me dizer o que fazer pra levá-lo ao tratamento, não aguento mais e estou a ponto de me divorciar, por que é muito difícil lidar com uma pessoa assim.

Anônimo disse...

pessoal , sou casada há 13 anos com um bipolar, vai ai algumas Boas dicas p/ vcs. Para evitar as crises de euforias,evitem muitas tarefas ao mesmo tempo ,para eles, muito calor, se observarem , geralmente acontece no verão, assim que ar condicionado neles, falta de sono , deixem que eles durmam, façam silencio, e não deixem que nada os perturbem.jamais o contradiga, pois é briga na certa, essa é a mais dificil, pois concordar com as loucuras...peça um tempo para pensar, sente com ele e lhe pergunte mais sobre o assunto , e porque ele pensa assim, e com muito cuidado , mais com firmeza, diga o que vc pensa, muitas vezes da certo , e ele desiste...Se puderem , evitem que ele dirija, o estress do transito, é uma Bomba p/ eles...No modo depressivo, RELAXEM, AGORA É A SUA VEZ!!!descanse vc , para a proxima euforia dele. E p/ aqueles que não amam tanto assim seus Bipolares, se separem...porque não tem geito mesmo...e ele não vai mudar...Boa sorte!

Anônimo disse...

Recentemente minha mãe foi diagnósticada com disturbio bipolar. Estou muito preocupada e acabo analisando cada movimento dela afim de entender a doença. Dificil lidar com essa situação. No meu caso tem um agravante, pois meu irmão é portador de esquizofrenia.
Lendo todos os depoimentos, fica claro como é dificil lidar com a doença, chega a ser desanimador. Porém tenho me empenhado muito em ser carinhosa com minha mãe, dar incentivo e cuido rigorasamente da alimentação e da medicação dela, fazendo com que ela tome todos os dias e no mesmo horario. Tem surtido efeitos positivos, procuro incentivar ela a manter uma rotina saudavel e compramos uma esteira ergometrica para que ela faça caminhada diariamente. O fato dela e eu sermos bastante religiosas com uma fé muito forte em Deus, ajuda bastante pois temos uma esperança maravilhosa de que tudo irá melhorar. Lógico que nas fases de baixa nada disso pode ser feito, então mudo a estratégia...converso mt com ela procurando destacar suas qualidades, leio as noticias do dia para que ela se distraia e leio assuntos relacionados com a Biblia, fico com ela de cama também para que não se sinta sozinha. Não vou mentir, no final do dia sinto um esgotamento emocional e mental que acaba comigo. Sei que a maioria não pode simplesmente abandonar tudo para ficar de cama com a pessoa que é bipolar, tem contas a pagar, coisas a fazer. Mas em tudo isso, noto que o amor e a paciencia é a chave para que o tratamento seja mais eficaz. Lembrando sempre que pra nós familiares é realmente desafiador e mt dificil, mas imagine o quão dificil deve ser para o portador da doença que senti essa montanha russa dentro da cabeça e não consegui controlar suas emoções normalmente. Sofro diariamente em ver a frustração da minha mãe em se sentir tão diferente o tempo todo, porém vou fazer absolutamente tudo para amenizar essa situação. Fica o meu apelo aos familiares que pensam em abandonar essas pessoas, tentem mais uma vez, mudem a estratégia e depositem sua confiança em Deus que pode dar forças para enfrenter o dia-a-dia tão complexo e dificil!

Anônimo disse...

Olá, vendo esses comentários não consigo imaginar que o menino q estou conhecendo venha a ter essas reaçoes. Ele me falou que é bipolar... foi diagnosticado há 2 anos... ele faz o tratamento. toma a medicação, trabalha bastante, é muito carinhhoso, cuidadoso... será q ele vai mudar????? Estou gostando dele. Com a medicação pode ter CRISES FORTES???

Anônimo disse...

Oi, eu tenho 18 anos e sou bipolar. Talvez um tratamento com remédios me mudaria, mas tenho medo de ficar dependente de remédios pra ficar feliz por isso nunca fiz tratamento.
Em momentos de crise eu me sinto sozinha, é como se ninguém se preocupasse comigo e se alguém tenta se aproximar eu afasto a pessoa, a trato mal. Acho que ajo assim por medo de parecer um fardo, ou de a pessoa conhecer um lado feio meu, um lado que eu não quero que ninguém conheça. Minhas crises são bem fortes, eu fico sem vontade de ir pra faculdade, de me encontrar com amigos, de ver meu namorado, de sair na rua. Fico com vontade de morrer, de me matar. Me acho feia, chata. Fico agitada, impulsiva e me sinto sem qualidades ou sem personalidade,penso até se as pessoas me veem dessa maneira horrorosa que eu me vejo nessa fase.
Mas sabe, eu me sinto mais aliviada quando me tratam com carinho, daí a crise vai aliviando e eu vou ficando mais tranquila até que a crise passa. E passa rápido. Então eu volto a querer conviver com pessoas, conversar, passear. Volto a me achar bonitinha e querida. Daí eu fico alegre e divertida, mas se algo sai do meu controle, da minha zona de conforto, eu vou me fechando e a crise volta.
Não acho que essa doença seja de pessoas mimadas, sei que esse não é meu caso.
Nós, bipolares, só nos afastamos de todo mundo porque vem uma crise de pânico que nos dá medo de depender dos outros, de que não gostem mais da gente. Há momentos da minha crise que eu me sinto aflita até em passar por lugares com muita gente na rua.
E sabe, quando eu me afasto do meu namorado e dos meus pais, e fico fechada, não é por que quero fazer mal pra eles, é porque eu quero privar eles de mim, afinal nessas épocas meus pensamentos ficam confusos e eu não me sinto digna de convivência. É muuito triste, e eu rezo de noite pra Deus pedindo pra que eu não acabe perdendo todo mundo que eu amo por causa da minha inconstância que eu me esforço para lidar mas não consigo.

Rafa disse...

Boa noite a todos, é minha primeira vez aqui no blog, agora após mais uma crise da minha esposa vim para a net para tentar desabafar um pouco, fazia quatro dias que ela não entrava em crise, pois é, mas voltou, fiquei novamente todo arranhado com óculos e celular quebrados, os segundos dos últimos 3 meses , entrei mais uma noite chorando, as crises começaram a 3 meses, na segunda gestação, temos uma filha maravilhosa de seis anos, que mais uma vez tive que enviar para casa da minha sogra para evitar que ela presenciasse outra cena desconfortante, confesso que estou tendo dificuldades de lidar com o problema, somos casados há 12 anos e em três meses parece que o mundo desabou sobre minha cabeça, ela não reconhece o problema e a família dela, ixi a família dela, só aceitaram há algumas semanas atrás, depois de terem apanhado literalmente durante uma crise de mania, minha esposa sempre foi uma pessoa alto astral, sempre trabalhou muito, mas derrepente parou, a pouco mais de um mês tivemos prejuízos altíssimos em uma de suas crises de mania, só fala em vender tudo o que construímos e insistentemente fala em separação, a situação já desgastou tanto que não consigo ficar “rodeando” as conversas quando ela entra em crise, ao mesmo tempo me preocupo com ela e com nosso bebê que está vindo, as crises são constantes uma vez que ela só toma antipsicótico (haldol) pelo fato de está grávida. Gostaria de poder entrar em contato com pessoas que tem a doença e conseguem controlá-la para trocar experiências e tentar salvar meu casamento, amo minha esposa e não gostaria que nosso casamento continuasse se desgastando da maneira que está. Obrigado aos que tiveram a paciência de ler um pouco da minha dificuldade e àqueles que entrarem em contato para ajudar. Um forte abraço e que Deus nos abençoe.

andrea disse...

ola, meu nome e Andrea sou filha de uma pessoa bipolar e naum estou sabendo como lidar com isso ela esta na fase de muito agressiva, falar coisas que naum fiz se muchuca e diz q sou eu resumindo ela me odeia naum sei oq fazer se alguem puder me ajudar eu agradeço e como eu tenho q fazer para tratar dela eu choro e sofro muito com tudo q esta me acontecendo me ajudem por favor. beijos a todo e que fiquem com deus e q eleajude atodos nos

Anônimo disse...

ola
eu e minha familia descobrimos(a pouco tempo) que minha mae é bipolar, é muito dificil a convivencia com ela mas se tornou mais plausivel quando descobrimos a doenca, pois passamos a intender seu comportamento e a lidar com eles. Como todo mundo sabe o bipolar é egoista, prepotente, acha defeito em tudo, negativista... mas quando ela esta na fase de boa ela é engracada, topa tudo.. mas é passageiro logo volta a achar defeito em tudo, criticar, humilhar, falar grosserias, relembrar fatos passados para comecar uma briga.
Mas ela acha q a doenca dela( como dizia uns topicos acima no blog) que é muleta para seu comportamento, porque ela sabe da doenca e usa ela para manipular ainda mais.
E doi, é minha mae eu espero carinho, compreensao, pacienca, apoio coisa q eu nao tenho, e nao tive nas fases dificeis
estou desabafando neste blog pq preciso, faz parte para melhorar minha auto estima, me indentifiquei com muitos aqui e queria dar umas dicas aqueles que estao sofrendo com a doenca para que tenham paciencia, nao batam de frente com a pessoa que tem o transtorno, apoiem as ideias e vontades dela, mudem de assunto educadamente, evite a convivencia de apoio e desabafo com ela pq elas nao querem saber de vc, nao intendem vc so elas.
É dificil ver a pessoa que ama ser assim, nao vejo minha mae como um exemplo, evito um relacionamento muito serio com ela pq sei que ela é instavel e ja chorei muito por falta de uma figura materna estavel, nao ligo pra que as pessoas pensam dela quando ela tem crises nas lojas, shopping, ou ate na frente do meu namorado(e ele tem que ter paciencia pq a mulher dele vai ser eu nao minha mae)
As crises dela que me refiro sao agressoes verbais, caras feias e provocacoes por alteracao de humor
Eu sinto Deus em muitas horas do meu dia, ela me da forcas,Ele me ajuda.
espero que ajude a todos tambem.

Anônimo disse...

Olá :)

Descobri que tenho transtorno bipolar a pouco tempo. Faz muitos anos que venho perdendo a maioria dos meus amigos e pessoas que eu amo. Sempre achei que o problema estava nas pessoas e não em mim. Mas andei refletindo e percebi que na realidade eu sou o problema.

Não tenho coragem pra buscar tratamento, tenho um certo receio. Já não sei lidar mais com as pessoas.

Abraços.

Anônimo disse...

Olá, sou casada a quase 7 anos, e nesse tempo eu e meu marido vivemos inúmeras crises, hoje ele me ama e amanha ele me odeia. Desde o inicio de nosso namoro é assim, "te amo, te amo" e depois "não sei se é isso que quero, vc merece alguem melhor". Certos dias, quando paramos pra conversar sobre nós ele me agradeço por ser quem eu sou, pede pra que eu nunca mude nada e dias depois não tem nem conversa, pois ele disse que sou louca, neurótica, isso do nada, simplesmente pelo dvd estar riscado, pelo carro quebrar etc...Ele teve uma criação muito diferente da minha, falta de amor e atenção por parte dos pais, um total abandono. Sempre atribui as mudanças de humor a isso, porém após ler todos esses comentarios começo a pensar na bipolaridade. Ele já usou alguns antidepressivos, porém abandonou todos, ao falar que ele pode ter esse transtorno ele me acusa de ser o problema. Sempre deixo tudo prontinho pra ele, facilito a vida dele em tudo o que posso, porém embora eu faça isso sem esperar reconhecimento, parece que não faço nada mais que minha obrigação, deixo tudo o que quero fazer pra que seja feito do jeito dele, mas isso parece não ter significado algum, quando em outro dias ele ficaria muito feliz simplesmete por eu ter feito "pão de queijo" por exemplo. Nos últimos dias ele está assim até eu respirar encomoda, não quer conversar, está cansado do trabalho e quando chega final de semana dias em que podemos ficar juntos ele me diz que quer ir nos seus irmão, e sozinho. No último final de semana eu insisti em ir junto, chorei o tempo inteiro, ele estava bem com todos mas nem falava comigo, quando eu pedia alguma coisa ele fingia nem ouvir. Na volta pra casa me disse que se eu não mudasse ele iria embora, mas mudar em que? Quando o questiono simplesmente não me responde. No inicio da semana começaram as minhas férias, e durante a tarde tudo parecia bem, conversavamos tudo normal, mas quando chegou a noite tudo voltou ao normal. Isso pode até ser doença, mas e como eu fico nessa história? se tento ajudar eu sou o problema, se tento pedir pra que procure um psiquiatra a louca sou eu, não sei mais o que fazer, eu o amo acima de tudo e de todos mas estou muito mal, e ele não encherga isso, pra ele sou mimada, e só por isso que preciso de amor. Estou começando a me sentir mal pois acabo descontando tudo isso nas´pessoas que me rodeiam e que me amam. Pegunto a vocês isso pode ser bipolaridade? E se for como faço para convence-lo a se tratar? Me ajudem por favor!!!!

Anônimo disse...

Olá a todos...
Vim até á net tb à procura de ajuda, pois é inexplicável o que está a acontecer ao meu casamento. Como a mãe do meu marido é bipolar começo a achar k a unica justificação para as atitudes do meu marido são a bipolaridade. Por isso, peço-vos a vossa opinião e ajuda para que me digam face ao k vos vou contar se acham k o meu marido é bipolar ou não! Namorei 11 anos com o meu marido, smp foi rapaz de sair á noite ás escondidas, mas é o mais bondoso, meigo e compreensivo dos homens. Ao fim dos 11 anos de namoro casei. Estou casada há 2 anos e meio, mas há 8 meses k o meu casamento virou um inferno, mais propriamente depois de ter perdido um bebe aos 6 meses de gestação e o meu marido ter assistido ao parto e ter visto o bebe! Perdi o bebe ém fev do ano passado, o meu marido apoiou-me imenso mas em junho de 1 dia po outro pediu-me o divorcio e saiu de casa. sofri horrores, mas passado 1 mes do nd veio pedir perdão disse k ter visto o bebe o afectou demais. Compreendi e aceitei mas 2 meses e meio dps voltou a kerer o divorcio novamente sofri horrores passado 1 mes lá voltou ele outra vez. Tive uma conversa séria e franca com ele, pareceu-me sincero e decidido a avançar ao meu lado, mas agora 2 meses e meio depois torna a kerer o divorcio! Estou a dar em maluca, é smp igual andamos super bem faz-me juras de amor pede-me um filho e dps anda uma semana mais calado, dps começa a propor-me saídas pa sair á noite, mas geralmente não vamos devido ao trabalho, começa a ficar mto calado sexualmente mais agressivo e eu confronto-o e ele diz k ker o divorcio e sai logo no dia seguinte! Persnte isso confronto-o com msgs do dia anterior a dizer k sou a mulher da vida dele, coisas do genero e ele diz k ker mudar de vida é smp a desculpa. Não sei se é bipolaridade mas é dificil perceber estamos a tentar ser pais, que ele diz querer mto, mas de um dia po outro quer o divorcio, e juro nem discutimos, não consigo perceber. Dps ta 1 mes se me dizer nd... e dps volta cheio de amor pa dar, cheio de juras de amor!
Ajudem-me a perceber eu sei k ele me ama, sinto isso, mas não sei o k lhe dá pa de repente kerer o divorcio do nd. Desta ultima vez deu-me um ramo de rosas lindo no dia dos namorados, tivemos uma noite fantástica, se bem k ele foi um pouco mais agressivo no acto e no dia seguinte disse dps de eu mto insitir quero o divorcio está-me a acontecer o msm das outras vezes!
Já não sei kem é mais tolo se sou eu ou ele, pork tb o tenho perdoado smp, mas agora tou tão magoada k acho k já não há lugar a perdão... mas se ele tiver bipolaridade gostava de o ajudar!
Deem-me a vossa opinião, precisava de saber se isto pode ser bipolaridade, confesso k nunca reconheci a fase mania a não ser k a viva kd sai de casa.

muito obrigada e desculpem o longo testamento mas preciso da vossa opinião

Mente inquieta disse...

Anônima de 24/02/12
O comportamento do seu marido parece ser muito instável e também pelo fato da mãe dele ser bipolar, pode ser que ele tenha predisposição para manifestar a bipolaridade, mas esse é tipo de coisa que só dá pra saber se ele fizer um acompanhamento médico para obter o diagnostico.
Quanto a toda hora ele fica com vc e depois fica pedindo o divórcio vc que tem que colocar um limite nisso. Se vc sempre aceitar, não se impuser o respeito e se mostrar muito insegura aceitando tudo, com isso ele não vai ter respeitar, nem te amar.Ate pq vc mesma tb não ta se dando o valor..Vc tem que mudar sua atitude,se valorizar mais..Não tente justificar as atitudes dele. Independente se é bipolar ou não, ele tem que te valorizar. Mas, pra isso vc b que mostrar se da o valor e não se submeter a essa situação. As pessoas pensam erroneamente que uma atitude de um homem é por causa da bipolaridade, pois ele pode nem ter, a instabilidade por si não caracteriza a bipolaridade, ele tem que ir ao medico pra saber. Beijos e Boa sorte!

Anônimo disse...

Muito obrigada pela resposta!
De facto, não sei msm o k pensar... Mas acredito no seu conselho não me importa mais o motivo, eu desculpei mta coisa, pois achei k o k nos aconteceu com o bebe poderia ter-nos desorientado, mas já não há mais desculpa! Desta vez, não vou ceder não o quero mais, ainda o amo, mas já não tenho mais capacidade para o aceitar! Vou recomeçar do zero e quando ele me procurar vou dizer-lhe as minhas suspeitas cm já o fiz da última vez k voltou e dps está nas mãos dele! Queria dizer-vos que sei bem cm é esta doença pois vivi-a com a minha sogra e é mto cruel, pois na altura da mania ela só quer fazer coisas e torna-se inoportuna, mas é um ser humano que tb merece ser amado. Desejo-vos força e coragem para a vossa vida e agradeço a disponibilidade k me deram.
obrigada

Anônimo disse...

Bom dia!
Estou casado há 7 anos, tenho 35 anos e um filho de 5 anos.
Quando meu filho nasceu os sinais da bipolaridade na minha esposa surgiram.
Primeiro uma depressão pós-parto que me fêz perder o emprego e cuidar de meu filho sem ter noção do que fazer.
Até agora eu que cuido dele, já perdi mais 2 empregos e ela piorou cada vez mais: da depresão passou para uma crise de nervos, depois labirintite, anemia, e agora depois de consultar em clínicos geral, hematologistas, ginecologistas, psicólogos, psquiatras e pneumologistas a gente descobriu a causa de tudo isso que é um problema cerebral detectado através de ressonância pedida pela neurologista.
A minha vida é uma das piores que já se viu: fui perdendo tudo o que tinha dentro de casa porque ela quebra tudo sem querer: os movimentos involuntárioas dos braços não deixam ela firmar onde pega ou onde vai, e a mente fraca deixa esquecer facilmente de quem é fulonao ou ciclano que são amigos ou parentes.
os nossos móveis foram se acabando e não posso ter nada de vidro ou facas amoladas em casa porque ela se corta, se queima e derruba tudo facilmente.
Tive que me mudar para casa de minha mãe que é viúva e me abrigar no quqrto me desfazendo do pouco que eu tinha.
Fiz dívidas em 2 bancos porque ela tinha crises que me levavam à loucura por causa das coisas que queria. Tenho apenas uma moto finaciada e abandonei a faculade pela segunda vez este ano.
Meu filho é maravilhoso mas na escola está ficando ruim porque não tenho como ajudar em 100%, e acabo trabalhando em 2 empregos pra pagar contas e mais contas.
Semanas atra´s tivemos um desentendimento tça qual como nunca antes e o que estava quardado em 5 anos explodiu, onde acabei agredindo ela fisicamente.
Minha familia é paciente, mas ela pode levar qualque pessoa à beira da loucura e eu confesso que não sei ainda como sobrevivo.
Já pensei em fugir e sumir, mas tenho d´do meu filho, que, se ficar com ela acabará sem futuro algum e se eu levar ele ficará sme mãe.
Doença não é motivo pra divórcio, e se eu prometi estar junto na "saúde ou na doneça" o que posso reclamar?
Passam os dias mas a nerologista pede exmaes complexos que não teno como pagar e a saúde pública diz que não tem como fazer pelo SUS: o Eletroneuromiografia, que antes era conseguido aki na região mas agora só tem em Rio preto, e eles não atendem gente de fora de lá.
Sabem, que estou na beiradinha de um abismo, é só cochilar e tudo se acaba.
Confesso que estou com bastante sono!...
Fiquem com Deus
edviduarte@hotmail.com

Anônimo disse...

Edvi Duarte!
A tua situação é muito delicada! Mas penso que você é uma pessoa muito forte, pois já venceu várias batalhas e ainda continua nesta “guerra”. Nessas situações, vi e acompanhei casos em que os conjugues ou qualquer tipo de parceiro que venha a ser, fizeram de seu objetivo de vida uma missão, a de tomar cuidados acerca do companheiro bipolar. Mas todos eles tinham ou continuando tendo algo em comum, muito amor pela pessoa bipolar que se relacionam. O amor é algo indispensável nestas situações. Se você relacionar a questão da bipolaridade com o lado espiritual também poderá se surpreender com o que dizem os seguidores da filosofia espírita acerca da obsessão!

Desejo-te muita luz para continuar nesta jornada de resgate espiritual, pois tudo pode ser transmutado!

Assinado: alguém que teve a oportunidade de navegar no mundo dos bipolares e viver todos os sentimentos possíveis: de lágrimas compulsivas, medo a muito amor, alegria e lealdade, e que aprendeu os ajudar sem se prejudicar. Não esqueça, “toda a escuridão busca a luz”. Os iluminados precisam ser solidários com as pessoas que carecem de luz, pois como muitos relataram aqui, a escuridão é muito forte no mundo dos bipolares que também são seres mereces da claridade da vida, mesmo que seja de uma forma muito confusa!

cin disse...

Olá. Eu sou bipolar em plena fase depressiva. Na fase maníaca, consegui o emprego dos meus sonhos , a faculdade dos meus sonhos. De repente, parecia que eu não merecia ser feliz. Relaxei dos remédios, me boicotei e hoje estou em recuperação no Intensivo do CAPS (afastada, sem estudar, passando muito mal pela troca de medicamentos...) Não é fácil, não é meu primeiro tombo. A doença é traiçoeira e sorrateira, te pega quando você menos espera. Muda nosso raciocínio, muda a maneira de ver o mundo, e muitas vezes é ilusório.
Paciência e lucidez para todos que vivem ou lidam com bipolares. Paz.

Anônimo disse...

Oi gente! Boa noite a todos!
Sou casada (não legalmente, porque meu marido nunca teve certeza se era o que ele queria...) há cerca de 12 anos e só agora há poucos dias que comecei a me dar conta que ele realmente é bipolar. Até então sempre achei que a culpa fosse minha, em toas as suas crises, que foram muitas. No momento ele está na fase de depressão. Hoje ele me disse que se pudesse "daria" nosso filho, o mandaria embora... Detalhe, nosso filho tem apenas 4 anos! Esse é apenas um relato, dentre tantos outros. Tenho passado por muitas situações difíceis... Por outro
lado, quando ele está bem, ele é maravilhoso, agradável, brincalhão, atencioso, mas isso pode mudar de um instante para outro, mesmo sem motivo aparente. E não adianta perguntar o que aconteceu, porque ele fala que não é nada e que deixe ele quieto, não conversa comigo nem com nosso filho, fica em um mundo paralelo, apático, só assistindo televisão.
Eu o amo muito, mas confesso que a cada crise parece que fico sem chão e não sei mais o que sinto.
Eu queria muito que ele ao menos admitisse que há algo com ele que precisa ser tratado, mas ele não admite, fala que não tem nada, não aceita a minha ajuda, as minhas sugestões.
Oro muito por ele e espero que ele se ajude, tenho fé e esperança!
Mas que é difícil é, e muito, só quem convive com esse transtorno consegue se colocar no lugar de outra pessoa que também passa por isso.
Eu sou forte, não desisto dos meus objetivos, sou positiva, otimista, alegre, mas nos momentos de crise dele eu fico bem abalada, tenho vontade de sumir.
Me identifiquei com muitos depoimentos aqui e agradeço por ter achado esse espaço pra dividir minha experiência.
Não tenho intenção de abandonar meu marido, pelo contrário, quem sempre fala em separação é ele, mas assim que passa a crise ele não fala mais nisso, até a próxima crise. Isso gera uma insegurança imensa em mim.
Eu realmente não sei como lidar com tudo isso e peço a quem puder que me dê uma orientação. Como fazer com que ele procure ajuda?
Abraços a todos!!
Fiquem com Deus!

Mente inquieta disse...

Cin,
Vc disse uma grande verdade! Essa doença é " traiçoeira e sorrateira, te pega quando você menos espera."

Eu, já fiquei estável no passado duas vezes, uma deles 3 anos e tava fazendo o tratamento direitinho, mais ai tive um novo surto. Parei tudo que tava fazendo e tb fui para um tratamento intensivo. Meu ultimo tombo, espero que último, foi em 2007. É horrível a gente ta bem, ta estudando e trabalhando e cai por causa da doença. Sei bem como é isso, é bem difícil recomeçar de novo.
Mas, Força! Que vc vai conseguir!
Hoje estou estável desde 2007 , minha ultima crise. Mas, como vc mesmo disse a doença é traiçoeira, por isso sempre devemos nos cuidar, e nos vigiar, pois a gente prega peça com a gente mesmo (muda o raciocínio, maneira de ver o mundo, etc), por isso que temos que nos vigiar, para evitar um nova crise.

Abraços!!

Fernanda disse...

Ola, tudo bem...
Minha mãe é DTB, ela sempre teve essa maldita doença...eu surgi em uma das crises dela, fui conhecer meu pai quando tinha 07 anos, quando eu tinha 2 anos minha acabou conhecendo o meu padrasto que vivem conosco ate hoje isso já faz 24 anos.
Ha uns 6 anos atras minha mãe teve uma das crise mais fortes e acabou ficando gravida de um homem que nem sabemos quem e..., ela ate queria aborta meu irmao mas conversamos ela acabou tendo meu irmao ele e o caçula, sei que não e facil esta doença tiver que larga a faculdade 2 vezes, quase terminei o meu casamento, tendo apenas 2 meses de casados, pois o meu noivo nao quer que eu fique com emus irmao ele nao aceita... meu pai tb tem alguns problema psicológicos e tb é alcoolotra, meus pais ja perderam a guarda dos meu irmao 3 vezes e aagora minha mae esta entrado em uma crise, eu estou com muito medo e preocupação pois sei que terei que escolher entre meus irmãos eles tem 7 anos, 12 anos e o outro 15 anos e eu sei que não posso deixa eles pq sinão o conselho tutelar pegando eles e acabam levado para o abrigo e o meu esposo sou casada somente 3 meses, nao sei o que faço, preciso de ajuda se algue quizer fala comigo o meu email é nandaunaspc2@hotmail.com...obrigada pela ajuda

Anônimo disse...

É MUITO DÍFICIL LIDAR COM UM BIPOLAR ELE TRANSFORMA NOSSAS VIDAS,MAS LEMBRE-SE NADA É POR ACASO,DEUS NÃO TE DÁ UM FARDO QUE VOCE NÃO POSSA CARREGAR.SE ELE TE DEU É PORQUE QUER QUE VOCE CUIDE COM MUITO CARINHO.EU TENHO UM FILHO COM ESSA DOENÇA,NÃO É FÁCIL MAS É PRECISO PROCURAR AJUDA PARA QUE AS COISAS SE AMENIZEM,CERTO.LENDO MUITO BUSCANDO,ALTERNATIVAS OK.ISTO PRA QUEM NÃO SABE É UMA DOENÇA QUE NÃO TEM CURA,QUEM TEM PROCURE SEUS DIREITOS REFERENTES A APONSENTADORIA AUXILIO DOENÇA QUE PARA AJUDAR NO TRATAMENTO.CONSULTE UM ADVOGADO.

Anônimo disse...

Olá, eu to começando a gostar de um garoto que é bipolar e acho que isso não tem nada a ver, mas eu queria saber como lidar com ele,como ajudá-lo pq eu realmente to gostando dele, e queria ajudá-lo a se tratar, e com certeza conhecendo O QUE É a bipolaridade fica bem mais fácil de lhe dar com ele, só que o problema é que ele não assume a doença e isso fica pior né? Pq ai não tem como ajudar ele se ele mesmo não se aceita, obrigada pelo texto, vai ajudar bastante. >.<

Anônimo disse...

Sou casada com um bipolar, minha filha de 14 anos tb é bipolar e faz tratamento desde os 3 anos de idade. Quando nos casamos, não conhecia a doença, mas com o passar do tempo fui identificando. Meu marido tem um ciúmes doentio de mim e da minha filha. As crises dele são horríveis, nunca posso combinar nada com ninguém, pois não sei como ele vai reagir. Perdi amigos, amigas, contato com vários familiares devido ele ter esse tipo de comportamento inesperado. Cheguei ao fundo do poço em março deste ano (2012) quando tentei suicidio. Para mim nada mais valia a pena de tanto que ele me humilhava, me maltratava. Somente as pessoas que convivem com pessoas bipolares sabem do que estou falando. Amo meu marido, por isso não tenho coragem de pedir a separação. Mas percebo que cada vez mais ele está sugando minhas energias e minha vontade de viver.

Anônimo disse...

Incompreendida.
Com 15 anos gostava que as pessoas notassem que eu era uma menina triste. Sei por que agia assim. Falta de carinho familiar, pois não tive.
O que ganhei da família foi: Desprezo, ofensa, descriminação pelo fato de que eu agia agressivamente quando elas me ofendiam.
Minha mãe abandonava as quatro filhas pequenas para viajar com meu padrasto, e o pior de tudo que ele nosso padrasto nos expulsava de casa .
Fugi de casa fui morar com um estrangeiro bem mais velho, era tudo pra mim. Pai, amigo marido etc.Logo tive meu primeiro filho. Aí ele começou a me trair e nos separamos. Fiquei tão mal que sentia medo das minhas crises de depre que entreguei meu filho para ele cuidar. Foi muito difícil, tinha a questão do apego eu amava meu filho, me senti muito mal. Enfiei a cara no trabalho de segunda a segunda, quase não via meu filho.
Tive uma menina num relacionamento curto, deixei essa menina aos cuidados de minha irmã, e fui trabalhar. Não conseguia cuidar dela, pois não tinha residência fixa cada hora estava num bairro numa pensão ou um quarto em casa de família. Não queria que meus filhos sofressem com meus problemas. Só queria poupá-los dessas dificuldades.
Hoje estou com 62 anos estou só, meu filho mais velho já me ofendeu muito, mas é adorável, meu amigo meu companheiro. Minha filha mais nova que foi criada por minha irmã, era minha melhor amiguinha. Mas aos 18 anos, tivemos uma pequena desavença por causa do seu namorado, e já dois anos não fala comigo. Não atende telefone, me humilha não quer saber de mim. Sofro muito com isso. Já tentei de tudo, mas ela não quer saber.
Será que as dificuldades e sofrimento faz com que a pessoa tenha depre ou fique Bipolar?
Apesar de tudo, sou uma pessoa bondosa, procuro ajudar o próximo, hoje sinto que sou uma pessoa querida pelos amigos, sou criativa, gosto de aprender. Só que minha mente precisa ficar ocupada 24 horas por dia, se não, vem os pensamentos ruins do passado, mas logo passa.
Preciso de ajuda.
Grata IIIIIIIIIIIIIIIIIIII

Sol disse...

Olá, a minha mãe desde uns acontecimentos traumaticos, começou a ter crises de euforia e agressividade. Ultimamente, tem sido 2 vezes por semana, parece louca, so grita e arranja problemas, fala para as pessoas com maus modos, insulta-me, ofende-me, expulsa-me de casa ( eu já sai porque ja nao aguentava mais), culpa-me de todos os seus problemas, bate-me, anda a porrada até com vizinhos, está completamente louca! Passados 2 dias, age como se não se tivesse passado nada !! O psiquiatra do publico diagnosticou a uns tempos que ela tem um disturbio na personalidade, e que é depressiva. MAS ELA É FURIOSA E INCRIVELMENTE CRUEL! Ela toma anti-depressivo, calmante e Seroquel diariamente, o que acham? Não consigo convence-la a ir ao medico, ate porque ela lá finge, é manhosa, para o medico nao perceber que ela é um inferno disfarçado em pessoa!

Anônimo disse...

Olá boa noite!

Sou irmão de uma moça bipolar
dá trabalho claro, quando esta em crise é dificil e como a maioria das pessoas nesta fase não aceita tratamento
mas posso garantir que não assumir esta doença é a pior coisa que um bipolar pode cometer, comece assumindo para vc, entende que é uma doença como qualquer outra
procure um profissional psiquiatra
e faça uma avaliação, se trate tomem os remédios de maneira correta e asssuma esta condição
digo isto pela sua saúde, quanto as pessoas que se afastarem de vc fique tranquilo, muitas outras vão se achegar apartir do momento que vc gostar mais de vc mesmo, vergonha? vc não é culpado da doença, TODOS TEMOS PROBLEMAS
Minha irmã é muita amada pela familia, nos machuca as vezes mas jamais deixaremos de apaio-la,
eu por exemplo tenho eplepsia, assumi isto há muito tempo faço uso de remédio todos os dias dirijo, viajo trabalho etc. e todos que conheço sabem deste problema,
PENSO QUE DEVO GOSTAR DE MIM ANTES DE QUALQUER PESSOAS
TOMAR OS REMÉDIOS PRESCRITOS PELO MÉDICO É JOGAR A SEU FAVOR
fELICIDADES A TODOS QUE SÃO BIPOLARES OU LIDAM COM ESTE PROBLEMA DE PERTO

Mente inquieta disse...

Sol,
As crises são difíceis mesmo tanto para a pessoa que tem algum tipo transtorno quanto para o familiar.
A gente quando estamos em crise ofendamos as pessoas mais próximas, principalmente quem a gente mais ama. Acredite não é de propósito e muito menos por crueldade. A doença faz o portador sofrer muito e muitas vezes, dependendo do grau da crise, faz a gente distorcer a realidade (editá-la de maneira diferente), por isso é muito comum nessas fases mania de perseguição, achar que as pessoas são inimigos, etc..
Vc tem que ter paciência com ela, falar que ela é cruel ou que ela é louca é ofende-la com agressividade. E agressividade trocada com outra agressividade só faz aumentar a agressividade do paciente. Violência gera violência.
Vc tem que ser mais maduro nessas fases e adquirir uma paciência muito maior do que vc tinha antes, quanto mais compreensiva é a família mais rápido o paciente sai da crise.
A família Tb pode buscar terapia para entender melhor de como vcs estão lidando com a situação. Não é pq ela não vai na terapia que a família não precise procurar.
É importante Tb quando ela for ao medico vcs Tb irem, se tiver brigando muito com ela então vá numa consulta a aparte sem ela estar presente e fale o que a família está achando e vendo.
É muito importante a família Tb ir no psiquiatra do paciente , pelo menos de vez em quando.
Vc disse que ela esta tomando remédio, mas não quer ir ao medico, de certa forma o fato dela tomar medicação já é um grande passo q ela tem, convencê-la de ir ao medido ou terapeuta, primeiro vc tem q melhorar sua relação com ela, pois se não tudo que vc disser ela não vai escutar, Ninguém escuta conselho de uma pessoa que não trate a gente bem, com compreensão, tem que conquistar a amizade e a confiança dela primeiro e dizer a ela : Mãe eu to do seu lado!
Para finalizar, vc disse que as crise começaram depois de acontecimentos traumáticos, esses tipos de acontecimento são gatilhos para desencadear uma crise, se a pessoa tem uma predisposição para crises. Ela não deve ter lidado bem com esses acontecimento, vc tem que tentar compreende-la e ajuda-ala a ela tentar lidar melhor com essas situação difíceis seria uma grande ajuda. Pois às vezes a gente não dá tanto valor aos problemas que desencadearam as crises, mas entende-lo é uma das maneiras dela começar a melhorar, enquanto vc não consegue fazer ela ir na terapia para conversar sobre isso, tente vc mesmo conversar com ela ou peça em casa a alguém que tenha mais paciência para conversar mais com ela. A família é o principal apoio do paciente. Uma parte considerável de sucesso da recuperação depende da mobilização do família e outra parte do próprio paciente.
Abraços Boa sorte!

Luísa disse...

Eu fui diagnosticada a mais ou menos 3 meses com um inicio de bipolaridade. Li alguns dos comentários...e realmente me identifiquei em algumas situações. Sei que é dificil para vcs famíliares, esposos e pessoas que tem contato com um bipolar, mas não imaginam o quanto é dificil para nós. É como viver numa vigia constante, nossa opinião a todo momento é questionada, nossas sensações são confusas....acordamos alegres cheios de vontade de viver e muitas vezes dormimos tristes ou furiosos. Se imaginem numa situação dessa....é como um vício. E quando a gente ama alguém muiitas vezes temos que abdicar desse amor com medo de magoá la, e acabamos muitas vezes nos isolando das pessoas por isso. Vocês falam e muitas vezes aconselham a não ter um relacionamento com um bipolar, mas é o mesmo que dizer, não namore com alguém q tem câncer, ou alguém que é cego,alguém que amputou uma perna,ou algum diabético por que a genética predispõe. Como acham que nos sentimos ouvindo isso? Será que um dia algum de vocês não irão passar por alguns momentos dificeis na vida , em que irão depender da paciência e amor de alguém? Várias pessoas possuem o fator genético para a bipolaridade e perante um fator estressante o desencadeia...qualquer um de vocês podem ser alvo disso. Então gente se coloquem no nosso lugar, e procurem a melhor forma de lidar com isso. Pois ninguém quer ser assim, não escolhemos ser assim, da mesmo forma que cada um tem suas dificuldades e defeitos e não as escolheram. Acho interessante a comunicação para tentar nos entender, nos ajudar e melhorar a vida de cada um de vocês...só pensem melhor antes de serem preconceituosos.

Adriana disse...

Angelica, será que ainda vai ver este comentário? Caso veja, gostaria de me comunicar com vc. Me identifico com seu caso. Meu marido é bipolar mas nao aceita de jeito nenhum! M posso falar sobre isso! Temos uma filha de 6 anos que estou tratando. Ele tb tem isso de familia, o pai tinha e se suicidou até! O avô tinha, o tio tinha. Todos morreram. Eu tenho 36 anoe e estou com ele desde os 14!!! Podemos trocar experiencias e nos ajudar. Meu email é adrianabgadelha@hotmail.com

Anônimo disse...

Tenho 49 anos, sou casado ha 23 anos e contando com o namoro estou ha 30 anos com a mesma mulher.
Tinha depressoes recorrentes mas tinha sintomas de bipolaridade. O psiquiatra dizia que eu nao era bipolar e tinha depressao simplesmente.
Acabei encontrando um medico que me diagnosticou e deu a medicacao correta.

Muitas das afirmacoes que li ao longo destes textos sao verdadeiras, mas como qualquer doenca, a capacidade de se auto-monitorar, ver se esta piorando ou se esta estavel e de cada um, da experiencia, do aprendizado, ate mesmo do grau de inteligencia e perspicacia de cada um.

Tem gente que nem sabe o que esta acontecendo consigo mesmo.

Observando textos anteriores li algo como:

1- Os bipolares falham em tudo o que fazem.....

Nao necessariamente. Alias , nao raro, a populacao de bipolares tende a ser de pessoas talentosas em suas areas de atuacao, quando em estado de hipomania.
Realmente a oscilacao pode levao a derrocada de algumas empreitadas, mas isso se corrige fazendo a medicacao e o tratamento propostos.

2 - Alguem em um post de 2010 reclamava que a mulher era bipolar e aconselhava a quem percebesse um namorado ou namorada bipolar que caisse fora pq era uma furada....

( ele me parece que nao vai se separar da mulher pelo teor do comentario...)

Gostei de um comentario que veio logo depois dizendo que ele deveria mais se separar e que pessoas assim sao um atraso de vida para os doentes. Perguntou ate onde estava o amor nisso tudo.... .

Eu concordo,

Se sua mulher tem um cancer e amputa um seio vc se separaria dela ...

Se seu marido sofre um acidente e vai para uma cadeira de rodas vc se separa dele...

Quando eu fui diagnosticado como bipolar ja tinha uns 10 anos de casado.....
sera que minha mulher deveria ter pulado fora por causa disso...

Antes eu era considerado apenas uma pessoa de genio forte, e que vez por outra tinha uma depressao...

Sera que o nome bipolaridade, ou pior, comoera no passado
PSICOSE MANIACO DEPRESSIVA (nome horrivel) assusta tanto assim.

Antes da classioficacao desta doenca nao havia um estereotipo.

O sujeito era * estourado, pavio curto, genioso, etc...*

vale ressaltar que a bipolaridade nao se manifesta da mesma maneira em todos e que existem varios sub-tipos da doenca.
ha bipolares que nunca experimentaram um episodio de mania e que sao melancolicos todo o tempo,
outrso vao da depressao maior a euforia que destroi casamentos, patrimonio, etc,,,.

Aos que dizem que o Bipolar teve uma infancia mimada, que atencao, e preguicoso, ou coisa do tipo, posso dizer...sao dignos de pena por sua profunda ignorancia sobre o tema...

para finalizar, posso dizer, por mais dificil que seja para quem esta em volta ,que escreve discursos de como e dificil, de como a vida e uam * montanha russa*, garanto,
ninguem sofre mais com a doenca do que o proprio doente...

Se o marido, a mulher, os pais, quem quer que seja, que convive com um bipolar, se nao tem coragem ou competencia para enfrentar o que a vida pos em seu caminho, nao poderia acompanhar um cancer, um adoenca incuravel de outra etiologia,enfim, nao esta apto a amar e enfrentar os desafios que a vida lhe impoe.
O discurso do * saio fora que e roubada* e o discurso de covardes, pessoas nao preparadas para as dificuldades da vida, que desejam uma vida perfeita, sem dificuldades ou sobressaltos.

JBMP

Jeanne Geyer disse...

Estou fazendo um trabalho de divulgação do meu mais novo blog, portanto hoje estarei te visitando e conhecendo teu espaço. Peço desculpas pelo comentário pronto, não é do meu feitio, faço apenas para facilitar a divulgação. Depois que você conhecer o meu espaço, voltarei para te ler com atenção e fazer comentários individualizados.
O link do blog é: http://eubipolarbuscandoapaz.blogspot.com.br/ te aguardo lá, obrigada pela atenção, um abraço.

CLAUDILENE disse...

OLA,SOU CLAUDILENE,SOU BIPOLAR,JA NASCI ASSIM,MAS NINGUEM HAVIA PERCEBIDO.QUERO DEIXAR UMA MENSAGEM PARA AQUELES QUE CONVIVEM COM BIPOLARES,NAO TENHA MEDO QUANDO OU TIVERMOS VONTADE DE MACHUCAR ALGUEM DA PRA SE PERCEBER,PRIMEIRO FICAMOS IRRITADOS,ELEVAMOS O TOM DE VOZ,DAI VEM A CRISE,ENTAO VCS TEM Q AGIR RAPIDO.NAO GOSTAMOS DE SERMOS PRECIONADOS E NAO FIQUEM REPETINDO A MESMA COISA NA MENTE DA PESSOA,ELA PODE TER UMA REAÇAO VIOLENTA.FAÇO TRATAMENTO,TOMO 18 REMÉDIOS POR DIA AS MINHAS CRISES SÃO IRRITABILIDADE E REAÇAO VIOLENTA.TENHO QUE OCUPAR MINHA MENTE SEMPRE,MAS SEMPRE NO Q QUERO,NAO GOSTO QUE ME ACORDE NA PARTE DA MANHA,POIS ACORDO VIOLENTA,TDS ME AMA,DIZEM Q SOU LOKA,JA ACOSTUMEI.NUNCA TIREM UM OBJETO CORTANTE DE UMA PESSOA BIPOLAR,POIS ELA NO MOMENTO FICA CEGA,CONVERSE.DEIXE A PESSOA A VONTADE ASSIM VC DARA OXIGENIO PARA O CÉREBRO,NAO SE ASSUSTE QUANDO UM BIPOLAR ELEVA A VOZ É NORMAL,PRA NÓS,EU NAO CONSIGO PROCESSAR VARIAS COISAS EM MEU CEREBRO AO MESMO TEMPO EU ME IRRITO,JA TIVE VARIOS NAMORADOS E TERMINEI,GOSTO DA PRIMEIRA SENSAÇAO DO NAMORO QUE DURA PELO MENOS ATÉ 10 DIAS DEPOIS NAO CONSIGO FICAR COM ELA GOSTO SÓ DE FILMES DE TERROR ACHO O MAXIMO,O BIPOLAR ENCANA MUITO,AS VEZES É MANÍOCO.ENFIM NEM NÓS NOS CONHECEMOS.BOM DESEJO BOA SORTE MEU FACEBOOK É EDILENE CARVALHO,NO CASO SE PRECISAR DE AJUDA.TENHO 31 ANOS CONHEÇO QUASE TODAS MEDICAÇOES,VIDA DIFICIL,VOU TERMINANDO POR AQUI.MORO EM PENÁPOLIS E MEU NOME É CLAUDILENE,MEU MSN É EDILENE.SIMOES@HOTMAIL.COM,BJS PESSOAL.

Anônimo disse...

Olá Pessoal meu nome é Ana, namoro a 4 mêses com um Holandes que transparece muito ter essa bipolaridade, as vezes me ama ou as vezes me odeia. Não se julga capaz de mudar, tem crises, insônias, sonambulismo e mente totalmente inquieta. Tenho pensando muito em desistir do romance, pois isso vem criando problemas na minha vida pessoal e profissional, pois com esses surtos ele me estressa de um modo que não consigo aguentar.

Já indiquei terapia para ele, pois foi algo que me ajudou muito quando eu tinha problemas com meu perfeccionismo ao extremo, porém ele não aceita e ri da minha cara.

Muito difícil essa situação.

Anônimo disse...

ola minha namorada e bipolar sem duvidas,na mesma hora que estamos bem nao estamos,ou que ela esta com saudades nao esta pior e quando ela fala que quer me ver e quando chego em casa apois o servico nos nao conversamos se conversamos ela arruma um jeito de pensar tudo que eu falo em duplo sentido,mais do jeito dela ai de mim fala que ela esta erradar sem contar que so ela que esta certa afffs muito tenso

alguem me ajudaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Oi, pessoal. Minha mãe vem se mostrando extremamente irritada, mesclando episodios em que me xinga e momentos em que parece "gostar" de mim. Tudo começou quando ela deu à luz meu irmão mais novo, hoje com seis anos. Ela já frequentou psicólogos, mas nunca chegou a terminar o tratamento. Os dias que se passam são terríveis para mim. Ela tenta me colocar ao máximo para baixo e eu já não consigo mais aguentar. Tenho quase 18 anos, mas ela nada me deixa fazer. É como se eu não tivesse maturidade o suficiente para certas coisas, mas tivesse excesso de maturidade para outras, como cuidar direto do meu irmão. Sonho frequentemente que estamos brigando - acho que essa rotina já caiu n meu subconsciente. Tenho medo de vir a ter depressão por causa dela (pois me encontro numa fase muito ruim), mas nada posso fazer. Meu pai trabalha muito e muito pouco ve o que acontece em casa. Ele às vezes reclama dela para mim, mas nada faz. Tentei muito conversar com ele para que ele pudesse me ajudar, mas a resposta é sempre "agora não quero falar". Não tenho para onde correr. Minha vontade é de sumir do mapa. Não quero estragar a minha vida por causa da minha mãe - que já nem mais considero mãe. Tenho quase certeza de que ela é bipolar, porque às vezes estudo o assunto. Preciso muito de ajuda. Não sei por mais uanto tempo conseguirei aguentar.

Mente inquieta disse...


Anônimo de 7 de janeiro,

Vc não pode aguentar isso tudo sozinho.
A sua mãe precisa de tratamento, de levar ao psiquiatra para saber o que ela tem e qual é o melhor tratamento pra ela.
Agora se ela não quiser ir e vcs da família tem que tentar convence-la de ir..
Isso é difícil, pois se ela não quiser não tem como obriga-la, a não ser que estivesse em crise que nesse caso a família pode intervir caso o medico solicitasse uma internação, isso se for realmente necessário ao paciente.(geralmente é o ultimo recurso)
Mas, se não for o caso, não tem como obriga-la a fazer tratamento.
Se seu pai não quer falar sobre o assunto, se ele está fugindo, vc tem que ver se pode contar com outros membros da família.
Mas, se eu fosse vc falava com ele, mas ele não querendo escutar , mesmo assim, vc tem que dizer a ele toda a situação como esta e que esta muito difícil pra vc.
Vc não tem que passar por isso só.
E, outra coisa vc deve ajudar a sua mãe sim, mas sem ultrapassar os seus limites.
A família toda tem que se apoiar nesse momento para se ajudarem, não é vc se sobre recarregar.
Se no momento vc não esta bem, da um tempo e se afasta. Quem sabe assim outras pessoas próxima tb resolvam ajudar, ate mesmo seu pai resolva enfrentar a situação de frente.






Anônimo disse...

Boa noite!!

Lendo os comentários, pude perceber que convivo com pessoas bem próximas e acredito eu que não tem conhecimento que é BIPOLAR.
Por isso gostaria de conversar mais com pessoas TB, para ajudar este que tem a doença, mas creio não saber.

Por favor, quem puder entre em contato comigo.Meu e-mail é : edvaniapraca@yahoo.com br

Obrigada.
Quem quiser auxílio jurídico..tentarei ajudar.


Anônimo disse...

Fantastic blog you have here, but I was curious about if you knew
of any forums that cover the same topics talked about here?

I'd really love to be a part of group where I can get feed-back from other experienced people that share the same interest. If you have any suggestions, please let me know.
Many thanks!

More to come on my website me.gr

Bruno Giordano disse...

Eu namoro uma pessoa bipolar qdo estacem crise fala coisas terriveis revembra fatos que aconteceram a anos moi e remoi as vezes penso em sumir mas quando vejo a situacao sei que nao posso disistir casamento nao acontese na igreja acontesse no coracao portanto na saude e na doenca na felicidade e na tristeza sei que a amo muito e ja prometi que nao vou abandonar por causa disso

Anônimo disse...

Li alguns dos comentários e entendo perfeitamente bem o que muitos descreveram como é viver com um bipolar. Casei a 1 ano e desde então minha vida tem sido uma corda bamba. Tenho sofrido muito, pois meu marido é um bipolar em tratamento a 4 meses, que por sinal foi por insistência minha. Ele já começou e descontinuou vários tratamentos, mas espero que agora ele se conscientize da importância e seriedade do tratamento. Não é fácil lidar com um bipolar! Tenho visto que significa abrir mão do que somos, dos projetos, sonhos e muito mais. Me sinto anulada, sem apoio e creio que arrumei mais um filho rebelde pra criar. O bipolar suga muito a energia dos que os rodeiam. Mina as amizades, trabalho e o pior: a alegria de viver. Não posso ser sincera como sempre fui e em poucos momentos posso expor minhas idéias, pois na maioria das vezes são mal-interpretadas. É extremamente cansativo ver uma pessoa que quer ser o centro das atenções sempre. Se algo não mudar, tenho medo de adoecer também.

Anônimo disse...

I am starting a internet website directory
and was wanting to know if I can submit your website?
I'm hoping to grow my directory little by little by hand so that it maintains good quality. I'll make sure and put your website in the correct
category and I'll additionally use, "Blogger: Mente inquieta" as your anchor text. Make sure you let me know if this is alright with you by e-mailing me. Thank you

For even more great content go to my internet site on seo company

Anônimo disse...

Hello there,
It looks as though we both have a passion for the
same thing. Your blog and mine are very similar.
Have you ever thought about writing a guest post for a similar blog?
It will unquestionably help gain publicity to your blog (my website receives a
lot of visitors). If you're interested, contact me. Appreciate it

Look at my blog post ... web page

Anônimo disse...

Para um bipolar como eu, ler a maioria das postagens aqui feitas é de dar dó da gente. Mas creio que com o poder principalmente da oração, da fé em Deus, da meditação, da medicação terapeutica e da psicoterapia, é possível levar uma vida produtiva e feliz. Conheço uma bipolar casada que só vive sorrindo. Li que vem por aí remédios mais eficazes para se chegar a remissão da bipolaridade sem tanto sofrimento. Um bipolar em desequilíbrio causa sofrimento de todos. Mas a gente sempre fica mais forte depois que consegue o retorno ao equilíbrio. Sugiro a todos que estão reclamando da convivência com um bipolar, pegar seu marido ou esposa ou irmão e tentar o apoio de Deus numa Igreja Cristã. Jesus abençoe a todos!

Liliana disse...

Olá a todos. Há um tempo para cá que ando a pesquisar mais informações acerca da bipolaridade. A razão da minha pesquisa é que namoro à pouco mais de um ano com um rapaz bipolar. Conheci-o por mero acaso e logo a partir do 1º dia surgiu um sentimento bastante especial (coisa que nunca me tinha acontecido antes em 25 anos de vida). Começámos a sair os dois a querer estarmos os dois e a gostarmos um do outro. Aos poucos fui conhecendo os amigos e familia. Nunca desconfiei de nada apesar de nos primeiros meses achar estranho algumas mudanças bruscas de humor mas nada de grave. Passado um tempo e no inverno essas mudanças acentuaram-se ainda mais e penso que um dos principais fatores desencadeantes são as mudanças do tempo para além das situaçoes de stress. Ele sempre foi muito carinhoso, atencioso alguém como nunca tinha conhecido antes. Comecei a perceber que estava algo de errado quando de um dia para o outro dissia que estava confuso que não sabia se gostava de mim que eu tinha mudado etc. Ou seja o que eu achava que estava errado era eu que acabei por me sentir mal e desmotivada era como que tudo o que fizesse estava mal ou que eu dissia não prestava. Ele nunca me tratou mal o que acontece e que nesses dias ele precisa do seu espaço e do seu tempo. Houve uma vez que uma dessas crises de depressão se manifestou em segundos. Mudei o meu penteado e pelos vistos ele nao gostou, depressa o dia virou noite, deixou de me olhar nos olhos, deixou de falar, comecei a entrar em parafuso e ele a disser que era melhor não chorar. Quando eu ia para casa e como sou pessoa de não desistir , insisti com ele. Pela primeira vez vi-o a chorar acabando por me confessar que era bipolar que nunca conseguiu manter um relacionamento a custa disso que é algo que ele não consegue controlar. Disse -me que era melhor acabarmos porque eu iria sofrer que a doença dele n tem cura. Neste momento pensei que ele me queria proteger e se me queria proteger era porque gostava de mim. Disse-lhe a chorar que iria continuar a estar presente não só nos bons momentos mas tbm para o ajudar nos maus. Ainda me conseguiu abraçar e sei o que esse abraço lhe fez bem. Depois disso teve uma ou outra mudança repentina de humor. Nca mais voltamos a falar de bipolaridade (e sei que e muito importante falar sobre isso). Há uns dias atrás depois de uns bons dias de calor e sol nova mudança de tempo e mudança e humor. Disse que achava que a nossa relaçao n estava bem, n quis tar comigo mas também n insisti. Mandou-me um texto enorme a dizer o que estava que estava mal em mim desde que sou descuidada na maneira de vestir, que só saímos os dois e precisava de convivio com outras pessoas, entre outras coisas. Nestes dias dei-lhe muita força mas sem o pressionar até que passado um dia ou dois conseguiu recuperar. Já chorei muito por causa desta situação porque penso que a culpa é minha que sou eu o problema. Desde que comecei a pesquisar e já li muitos testemunhos, comecei a compreender a situação. Sei que ele vive os sntimentos à flor da pele e que não existe um ponto de equilibrio. Quando existe uma situação de stress ele encontra problemas em tudo e em quem está mais próximo sem se perceber do quanto isso magoa. Já li muitos a diser que são pessoas que não sabem amar . Não concordo. Acho sim que amam à sua maneira, são dificeis de se exprimir em palavras, precisam de carinho mas também o sabem dar!! A muitos companheiros(as) que assitem a estas dificuldades tenham muita força e acima de tudo paciência. Tentem não levar em consideraçao o que eles dissem de mal sobre vós. Tentem fazer algo de diferente de vez em quando porque a rotina acaba por irritá-los e levá-los ao stress, quando vos falarem de modo brusco não respondam mal. Quando eles estão bem divertam-se, conversem muito, riam-se com eles. Quando estão mal dêem-lhe o espaço e o tempo que precisam. Nunca deixem de ter confiança em vós próprios porque se vão abaixo é mais uma razão para "o mais forte" atacar "o mais fraco".

Mente inquieta disse...

Liliana

Muito bom o seu depoimento!
As suas dicas são muito boas! Valeu!

Liliana disse...

Ola Mente Inquieta nao tem que agradecer. Precisava mesmo que dar o meu depoimento. Só há bem pouco é que comecei a estar mais dentro do assunto que até aqui era complemente desconhecido para mim. Sei o que sente a maior parte das pessoas que acompanham o bipolar. è preciso mesmo muita força psicológica. Para além dos nossos problemas ainda temos que ser flexiveis para ajudar os outros. Não é facil. Acaba-se por se refletir muito sobre o sentido da vida, questiona-se se é isto que queremos para nós no futuro porque aos poucos nos vamos desgastando. No meu caso sei que consigo ir até onde a minha própria sanidade mental me deixar. Gosto mesmo muito dessa pessoa e vou continuar a apoiá-la em tudo. Mas tambem por gostar tanto dele sou a pessoa mais feliz quando ele está bem mas quando está mal sofro imenso com coisas que ele diz parece que eu tenho tudo de errado. É sempre uma luta diária nunca sei como ele vai acordar ou como vais estar quando vou ter com ele mas uma coisa é certa não demonstrem insegurança, sentiam-se confiantes e nunca vão abaixo à frente deles.

Anônimo disse...

Tive o diagnóstico de bipolar aproximadamente a 5 anos. Não aceitei. Porém, meu médico insistiu e sugeriu o uso do Carbolítio e me deu uma cartilha sobre os sintomas da "doença" e sobre o medicamento. Relutei, mas acabei fazendo o uso do medicamento junto à fluoxetina que já tomava e agora com o Bup (retirado a fluoxetina) Penso que estou mais tranquila na convivência familiar. No entanto, estou muito esquecida, perco celular, chaves, papéis do serviço.Isto vem me deixando muito nervosa. Quando não consigo encontrar o que perdi fico irritada e até tomo atitudes rudes com que está próximo. Não posso ser contrariada e quando alguma coisa foge ao meu controle sinto vontade de morrer. O que fazer? Estou em terapia e não estou gostando. Já fiz terapia anos atrás e penso que não me ajudou em nada. Muitas vezes sinto que não deveria ter nascido e então penso em meus filhos e continuo encarando com constrangimento as pessoas do trabalho que vivenciam os meus ataques repentinos. Tive a confirmação do diagnóstico quando encontrei em 2012 com uma colega do 2º grau que disse:__Nossa xxx você era muito nervosa e difícil, você falava algumas coisas com agente que ofendia...(tínhamos 16 anos e hoje estou com 48) São 30 anos de angustia, altos e baixos, explosões, piadas e gargalhadas.Sem contar a necessidade de falar e expor a minha vida familiar e emocional.

Anônimo disse...

Li alguns comentarios sobre pessoas cansadas de conviver com um bipolar e entendo-as perfeitamente.
Vivo com um a 15 anos.Temos dois filhos que sofrem feito burros por ter um pai tao ignorante e impaciente sempre...e quando melhora, nem os procura mais, pois ja esta Te com vergonha...
Eu nao acho que a pessoa tem que sacrificar o resto da sua vida, morrer infeliz, so pra SER AMOROSA com o doente de bipolaridade...Os bipolares que lutam, tomam medicamento, fazem terapia e correm atraz da melhoria sim, merecem ajuda...Mas tem alguns que ao pizoteiam nos seus familiares que adoecem tambem de tristeza...
Cabe a cada uma dar conta de si....se a barra ta muito pesada mesmo...cai fora e procura a felicidade, pq vc nao sabe ate quanto tempo vc ainda vivera.


Lynn disse...

Em meu caso não sei se o rapaz era bipolar ou não, mas ele uma hora estava apaixonadíssimo e outra hora quis terminar, assim, do nada, sem uma briga, sem nada.

Eu quis continuar o relacionamento pois ele colocou toda a culpa de o mesmo estar terminando sobre si (disse que não ia ter dinheiro pra casar comigo e etc), e ele acabou aceitando, daí dias depois ele quis noivar... noivar!! Queria terminar e na outra semana queria noivar.

Aceitei pq realmente estava gostando muito dele... "amando" não digo pois é algo muito profundo e nosso relacionamento não durou mais de 4 meses, entre namoro, noivado e término...

Ele me encheu de presentes, me deu dinheiro vivo, aliança, me deu diversas coisas que eram dele e dizia que "se pudesse me dar o mundo dava"... algumas coisas como dinheiro eu não quis aceitar, mas ele insistiu pra dar... ligava todos os dias 2x ao dia... me escrevia textos lindos e mandava por e-mail e facebook...

Após esse "pseudo noivado" ele quer terminar apenas um mês e meio depois... e dessa vez foi 3x pior, pois ele disse me trair várias vezes e ter um caso com uma mulher e um filho com a mesma há anos... e disse que noivou comigo de maneira afobada e irresponsável...

Daí não teve jeito... terminamos...

Tempos depois a mãe dele, que gostava muito de mim e fazia gosto em vê-lo comigo, disse que queria que voltássemos e que a história do filho e do caso eram mentira... mas eu nessa altura não tinha mais como confiar nele.

Hoje ele vocifera contra relacionamentos e diz que nunca mais quer namorar pois é perda de tempo e de dinheiro (sendo que quem quis me encher de coisas e dar dinheiro foi ele...), fica "pagando" de misógamo no Facebook dizendo que amor não existe e etc...

Já deletou Facebook e refez outra vez... ora me bloqueia, ora desbloqueia...

A mãe dele queria que voltássemos mas quero distância desse carrossel de emoções que é ele...

Se ele ainda se tratasse... mas não se trata, finge estar tudo bem pra fugir de ir ao médico, me odiou sem motivo algum, não sei onde ele espera chegar.

Mas às vezes fico pensando no lado "bom" dele, que era "muito" bom, como todo mundo diz que bipolares são em fase de mania (ou muito bons ou muito agressivo, mas ele era bom...)

E fico pensando que uma pessoa assim está fadada à solidão e que se se tratasse poderia ter um futuro diferente, se não ao meu lado, ao lado de outra pessoa. Mas ele não quer.

esposa confusa disse...

ESTAVA FAZENDO UMA PESQUISA AQUI, PQ CASEI A POUCO TEMPO E ACHO QUE MEU MARIDO TEM ESSA DOENÇA, MAS O QUE MAIS ME CHAMOU A ATENÇÃO É QUE ME PARECE QUE ELES TEM UM LIGAÇÃO MAIOR COM MÃE E IRMÃOS, PQ PARECE QUE SEMPRE BUSCAM ESSAS PESSOAS PARA FERIR A GENTE.

Anônimo disse...

Estive lebdo vaaarios relatos e vi que não estou sozinha!
estou casada a um ano com um homem que é atencioso, amoroso, cuidador...em alguns dias em outros dias ele é terrivel, egoista, mandao, rude, perseguidor e me deixava muito louca!
sai de casa com 3 meses de casada. mas depois com o tempo DEUS foi me mostrando que com paciencia e amor eu posso ajuda-lo!
sei que é um fardo as vezes pq quando está tudo bem, passa um vento e ele muda completamente as vezes acho que é ate uma possessão maligna pois ate o aspecto dele muda. Antes eu discutia bastante mas hoje eu me calo, respiro e tento viver minha vida. Fazemos isso com crianças que fazem birra: deixamos ela espernear ate cansar, hoje eu faço isso com ele e espero obter exito!
eu o amo, mas ele consegue me tirar do sério e me machucar com palavras. espero ter sabedoria suficiente para ajuda-lo e tornar esse fardo mais leve para mim e para ele que sofre desse mal silencioso.

ROSANA disse...

ola.gente.facil nao e ..dificil e ...e muito ..to casada a 13 anos meu marido começou com esse problema a 6 meses na fase de agitaçao e insuportavel nao para dentro de casa quer ficar na rua fazendo coisas erradas .na fase depressiva fica em casa nao quer sair pra lugar nenhum ..nen banho toma..como e dificil ..minha vida deu uma volta muito grande ..nunca pensei passar por isso..agora nao posso trabalhar pois tenho medo de deixar nossas filhas aos cuidados dele ..pq ao mesmo tempo sai e deixa elas sozinhas ..da vontade de sumir e deixar tudo para traz..mas aO MESMO TEMPO TENHO DO ...MEU DEUS NAO SEI O QUE FAZER

Anônimo disse...

Ola, pesquisei na internet informações sobre a bipolaridade, o motivo é que em março de 2013 conheci um homem pela internet, ele me mandou convite no facebook, disse ter me visto no face do primo dele e q se atraiu por mim, gostei mt dele,muito educado, brincalhao, otima companhia, passamos a conversar todos os dias pelo face, logo ele pediu meu numero de telefone e entao mandava mensagens p mim varias vezes por dia, eu adorava e ja esperava ansiosa pelas mensagens, na época eu estava em crise no meu casamento, estava c sinais depressivos tomando remédios e fazendo tratamento, talves dai o inicio da nossa amizade e futuro relacionamento, ele tambem era depressivo e me contou que também era bipolar, disse que chegou a ser internado para tratamento psiquiatrico, eu ja havia ouvido falar dessa doença mas ate entao n imaginava que fosse tão séria. Ele além d muito simpatico, atencioso, também se mostrou carinhoso e romantico,começou a me dizer que sentia minha falta quando não dava certo da gente conversar, eu gostava muito dele mas nunca escondi a real situação do meu casamento, ele dizia entender e falava q também passára pela mesma situação e que sabia bem que não era facil, o tempo foi passando e ele tinha ciumes do meu marido,brigavamos muito mesmo pelo face ou telefone, pois ñ nos conheciamos pessoalmente, ele morava no Canada, meu casamento parecia ñ ter mais jeito, eu e meu marido so moravamos juntos mas não tinhamos mais nada um com o outro. Um dia ele disse que pensou muito e que tinha resolvido voltar para o Brasil, queria me conhecer e queria arrumar nossa situção, fiquei feliz e ansiosa, eu ja estava apaixonada por ele. Dois meses depois ele chegou, tava tudo certo para nosso encontro, eu moro em Mato Grosso do Sul e ele em Santa Catarina, mau ele chegou no estado q morava e ja veio me ver 5 dias depois,não conseguiu passagem de avião então veio d carro, rodou quase 2000 km. para me encontrar, foi mt bom nosso encontro,carinho, desejo,porém algo aconteceu e ele mudou radicalmente, decidiu voltar para o estado dele assim de uma hora para a outra, n entendi o que aconteceu, ele não explicou nada, so mostrou-se nervoso e sem pasciencia, saiu daqui dizendo q logo voltaria,depois disso ele não mais atendia minhas ligações, nem respondia minhas mensagens, sumiu. Dois meses depois me mandou mensagem, queria falar comigo, eu ja tinha chorado e sofrido muito com o sumisso dele,mas aceitei, estavamos frios um com o outro, mas logo voltamos a paixão, derrepente ele teve uma crise de ciumes e começou a brigar comigo, me ofendeu , depois mandava mensagens e dizia q me amava, que sentia minha falta mas que andava confuso pois minha situação não o agradava, discutimos e nos ofendemos, logo ele disse que havia estado com outra mulher, que tinham brigado com ela pq ele n me tirava da cabeca e que viria me ver novamente, no dia seguinte pediu pra que eu o perdoasse mas que ele voltaria com essa tal mulher pq nos nao dariamos certo, agora lendo todos esses comentarios entendi que toda essa confusão entre a gente, e por conta desse transtorno bipolar,tenho pena dele, mesmo sabendo que não é facil eu queria ficar com ele, acho sinceramente que eu poderia ajudar ele, eu seria carinhosa, paciente, observadora com as dificuldades dele, ainda espero o contato dele, ha quase um mes não sei dele, não esta sendo facil pra mim.Mas consigo entender o que causou essas crises nele,, DESCULPEM-ME AS DEMASIADAS PALAVRAS, TIVE VONTADE DE CONTAR ESSA EXPERIENCIA A VOCES, Amei estar aqui e voltarei sempre, bjss

Anônimo disse...

Boa tarde!

meu nome é Sara, e sou casada com um bipolar a 7 anos, ele foi diagnosticado á 10.
Vou contar um pouco de nossa história:

Quando nos conhecemos ele era um anjo, sempre e carinhoso.
Um dia lembro que ele ficou meio estranho, e perguntei o que era, ai ele disse que era bipolar e se eu queria ficar com ele mesmo assim, como era muito novinha (18 anos) não dei importância, não achei que era nadda grave e como gostava dele, fui em frente.
Com 3 meses fomos morar juntos, foi ai que tudo começou a dar errado. Um dia do nada ele chegou em casa e disse que não queria mais, chorei, me descabelei e não fui embora. uns dois dias se passaram e tudo voltou ao normal, como se nada tivesse acontecido. E os anos foram seguindo assim nesse vai e vem.
Em uma dessas ele saiu com outra menina, mas hoje pesquisando na internet já vi que isso pode realmente ocorrer.
Já pensei em desistir de tudo e ir embora, mas gosto e no final o "outro homem" por qual me apaixonei volta e eu esqueço de tudo.
as brigas são muito sérias ele não chega a me agredir fisicamente, mas as coisas que ele diz quando está "atacado" é pior, diz que tem nojo de mim, que sou uma p*ta, uma vagabunda, e por ai vai. também pela internet já vi que isso é normal, que eles agem por impulso não tem controle da doença e isso faz parte dela. Mas para mim é muito dificil, meus amigos não entendem, dissem que é melhor eu ir embora, não tem ninguem que me escute de verdade, por isso estou escrevendo, pq quem olha de fora não sabe o que é realmente passar por isso.
As vezes pergunto se tudo isso um dia vai passar, mas já fazem 7 anos...
Quando ele está bem, já fico receosa, pois se que logo logo vai acontecer tudo de novo, me esforço para deixar as coisas todas certas, pq uma meia fora do lugar faz a minha vida virar de cabeça pra baixo.
Li na internet, que você tem q se mostrar presente, mostrar que está do seu lado sem julgar, e faço isso. Passo dias inteiros pesquisando na internet sobre o assunto, perguntou se ele quer conversar, mas sempre me xinga ou me ignora, vejo nos blogs de bipolaridade que um bipolar só quer alguem pra poder contar, que esteja ali do seu lado, semte julgar.Mas pq faço isso com ele e ele me ignora e me xinga? O que eu faço de errado.
Ele toma litio hoje em dia e fazz exames periódicos para ver a taxa de litio no corpo, mas fuma maconha e bebe cerveja todo final de semana, acho q isso faz com que as pequenas crises ocorram, e alem de ser bipolar ele é muito "cabeça dura", então não adianta eu dizer que ele não pode beber.

Bom, agora que já desabafei, gostaria que vcs tirassem algumas dúvidas que tenho ainda, pq mesmo pesquisando na internet não consigo decifra-las:

- Pq ele desconta todo o ódio dele em mim?
- Pq enquanto me xinga e me trata mal em casa, com os amigos dele nada muda?
O problema será que é só eu mesmo, e não a doença? Pq se é da doença, como que ele trata os amigos dele bem? Não teria que ser igual com todos?
- O que eu faço para ele confiar em mim? Como posso conversar com ele, para que ele se abra? Pq ele não me explica o que acontece? já mostrei que estou de coração aberto esperando, sem julgamentos...


Muuuuito Obrigada por me "ouvir" como disse, não posso contar com ninguem para falar sobre essa situação, ninguem entende.

Se puder esclarecer as minhas dúvidas, ficarei muito grata.

"O tempo ruim vai passar, é só uma fase!"


Agurado retorno;
Sara
15/02/2014

Anônimo disse...

Namoro com um bipolar ha 4 anos, moda os juntas a um ano, e ninguem me contou sobre a doença dele, so fiquei sabendo em Dezembro de 2013, quando eu nao aguentava Mai's conniver com ele em casa, fazia um mes que ele nao dormir mais, estava bebendo,sendo que nunca toma nada de alcohol, e eu sem saber o que estava acontecendo. Comentei com os pais dele sobre isso,e 2 Dias Depois resolvemos interna-lo, desconfiado da internacao ele foi atras de armas, Escondido facas em todos os lugares. Para se defender dos "caras da ambulancia".mas isso nao foi so a crise da bipolaridase, ele e dependente quimico de ritalina. Desconfiado da internacao ele fugu de casa, fiquei 3 Dias sem saber onde ele estava. Entrou em contato comigo de um hotel, marca do para eu if ate la, fui com a familia e a ambulancia, e ele foi para uma clinica. Eu estava animado esperando a Volta dele para casa, mas agora ja nao sei Mai's o que fazer, essa nao e a vida que sonhei para mim, ele e uma pessoas sempre desanimada, nao consegue realizar tarefas de concentracao e trabalhar como uma pessoas normal... Algum me da uma luz...... Obrigada!!!!!

Anônimo disse...

Olá, boa noite

Eu sou bipolar e acho difícil ainda lidar com a doença.
Gostaria de saber, por favor, se vocês que são bipolares, que tomam os remédios corretamente ainda tem tido crises, pois eu tenho tomado os remédios e ainda assim as crises estão acontecendo. Eu tenho pesquisado sobre a doença e não consegui informações de quem toma os remédios e ainda tem crises. Se tiver alguém que passou pelo que estou passando, por favor poderia compartilhar como conseguiu resolver esta situação.
Ficarei muito agradecida.

Mente inquieta disse...

Anônimo (01/04/14),

Eu assisti uma palestra da dr. Graça professora e psiquiatra da Universidade de Brasília no qual ela falava que a medicação é responsável por 30% da estabilidade.
Primeiro a gente tem que acertar nas medicações, quando o medico acerta, ai diminui as crises, elas não vem mais com a mesma intensidade e nem com a mesma freqüência.
Mas, para vc ficar bem e não ter mais crise, não basta só à medicação, pois ela é responsável só por 30%.
Eu mesma já tive anos atrás que eu tomava a medicação certinha, fazia terapia, não bebia álcool, e mesmo assim volta e meia eu entrava em crise.
No meu caso antes de 2007 eu só tomava carbolitium e mesmo assim vinham algumas crises. Depois da ultima crise de 2007 eu passei a tomar alem de litio o seroquel, como eu tive três surtos, geralmente o medico só dava o antipiscicótico na clinica e depois tirava, na ultima crise ele manteve o seroquel e eu usava também na manutenção. Acredito que isso me ajudou a não ter mais crise.
Mas, às vezes eu ainda tinha alteração de humor e depressão.
Ai foi na época que fui à palestra dr. Graça. Lá ela explicou que a medicação, mesmo já acertada, ela só representa 30% no tratamento. E, que alem dos remedidos, a gente deve cuidar de um monte de coisa, exemplos: Fazer terapia, ter rotina ( acordar, comer, dormir em horário parecidos), ter uma ocupação ( estudar ou trabalhar), ter laser, ter vida social com a família e amigos, fazer algum esporte,etc.) Cuidar da sua vida bem, ter qualidade de vida, administrar o estresse, todas essas coisas juntas com a medicação é o que seria necessário para vc ficar estável e nunca mais ter crise.
Muitas vezes isso ocorre depois de anos que vc tem a bipolaridade, pois ai a gente já aprendeu a lidar mais com a doença e a se cuidar melhor, por isso, que geralmente e depois de anos que a pessoa não tem mais crise.
Cada caso é um caso.
Eu de 2001 a 2007 tive crises e períodos de estabilidade. De 2007 pra cá eu nunca mais tive crise.
Tem gente que com pouco tempo passa a não ter mais crises, já tem gente que leva anos para estabilizar de verdade.
Com o tempo vc aprende a se conhecer e se cuidar melhor, com isso vc tende a se estabilizar e nunca mais ter crise.

Anônimo disse...

sou bipolar e nao tenho mais ninguem minha mae foi a primeira a pular fora , depois os familiares e amigos , acabou tudo , nao consigo mais conviver com meu marido que e muito ignorante , tivemos faces de separaçao curta e me senti melhor sem a presença dele , nao faço mais nada , durmo e de dia passo o dia inteiro no sofa nem arrumar diariamente eu consigo , muito triste essa doença , so gosto de ficar com meus filhos .

Ana Moura disse...

Sou Bipolar diagnosticada a desde 1999. Já passei por 2 internamentos. Minha melhora se deu após o uso do Acido Valpórico ( Depakene ), porém as alterações simples ocorrem mensalmente com a TPM. O nivel do meu transtorno é o 5- por este motivo fui readaptada do emprego e aposentada de outro pois sou professora. Neste momento não estou em crise porém meu marido está em depressão e eu estou me sentindo terrivelmente impotente pois, percebo a doença nele mas ele não quer aceitar nem procurar ajuda médica ou nem mesmo sair de casa e ter seus cuidados pessoais de higiene. Tenho medo de ter uma recaída e ficar os dois doentes em casa, percebo que por tentar auxiliá-lo estou indo para a euforia, (gastei mais do que devia este mês no supermercado...)A quem devo recorrer?

Anônimo disse...

Olá. Convivo e amo meu noivo que foi diagnosticado com transtorno bipolar. Confesso não ser fácil. Fiquei grávida, ele já tinha tido uma crise euforia e depressiva e depois da gravidez teve euforia onde eu sofri mto e antes do bebe nascer veio a depressiva..o bebe ajudou ele a se tratar, mas o arrombo de dívidas na fase euforia o fez ficar parado sem vontade de nd já tem meses. Estamos passando necessidades eu choro mto longe dele..inclusive não conseguimos casar nem no civil visto sua doença na época e ate agora não passou..se afastou de td e de tds...tem acompanhamento psiquiátrico mas a culpa das dívidas e vergonha o coloca p baixo. cuido dele com mto carinho e amor, qro mto um milagre em nossas vidas...eh triste começar uma vida e construir uma família se o principal pilar o marido esta deprimido, mas creio no amor e em Deus, c paciência cuido dele e de nossa família.

Mente inquieta disse...

Ana Moura,

Vc pode recorrer a algum grupo de apoio a bipolares e familiares.
Numa das paginas do blog tem uma lista de grupos de apoio a familiares e bipolares de varias cidades no Brasil.
Nesse momento vc esta sendo o familiar dando apoio ao seu marido.
Não se preocupe em achar que pode estar em euforia por causa de uma conta de supermercado. Para ser caracterizado uma euforia são vários sintomas juntos e alem disso tem que durar algumas semanas.

Pra vc cuidar de seu marido vc tem que esta bem, alem de procurar um grupo de apoio, procure um psicologo para te da apoio emocional nessa fase difícil.
Boa sorte!
Abraços

Anônimo disse...

Respondendo a um anônimo aqui que disse que "ABANDONAR ANTES DE CASAR É ALGO HORRÍVEL E QUE CONVIVER COM BIPOLAR NÃO É MORTE". Vc talvez nunca tenha convivido, e muito provavelmente SEJA UM para fica tão emocionado. (Eu sou filha de uma bipolar, e ELA FALA COISAS NOJENTAS, ABSURDAMENTE OFENSIVAS, SEM MOTIVO. Não faz tratamento nenhum, e poucas são as vezes que ela fica bem, quando fica bem é ótima pessoa. (Não sou uma adolescente) e VIVER COM UM BIPOLAR AS VEZES LEVA AGENTE REALMENTE DUVIDAR SOBRE QUERER VIVER, e traumas inimagináveis. Meu pai sofre o pão amassado! OBS: SEI QUE É DIFÍCIL, MAS TENHO CERTEZA QUE ESTES PODEM SER ESFORÇAREM PARA OFENDER MENOS SEUS FAMILIARES! NÃO SE ESFORÇAR É MUITO CÔMODO!

Anônimo disse...

REALMENTE CONVIVER COM QUEM É BIPOLAR E NÃO ACEITA TRATAMENTO, É UMA TAREFA EXTREMAMENTE DIFICIL....EU ESTIVE COM ESTE DRAMA MUITOS ANOS...E SEI O QUE PODE SER O FIM DOS SONHOS E REALIZAÇÕES...EU POSSO DIZER QUE SUPEREI MUITAS CRISES DO MEU MARIDO, MAS QDO. JA TINHA ESGOTADO TODOS OS ENSINAMENTOS E AS CONDIÇÕES DELE FICARAM LIMITADAS DEVIDO AO AVC. MAS NÃO É FACIL...É UMA BATALHA DIARIA, E AS CONDIÇÕES DO SER HUMANO É LIMITADA. NEM MESMO UM GRANDE AMOR PODE DAR FORÇAS, PARA SUPERARMOS TUDO ISSO, QUE DEUS TE AJUDE, SEGURA NA MÃO DELE E DEIXE IR ATÉ ONDE SUPORTAR....