Relacionamento amoroso bipolar – Seu amado sua amada..




Sua amada seu amado..

Quando um bipolar recebe o diagnóstico de transtorno bipolar do humor pode apostar que não é nada agradável (mesmo que para alguns isso represente certo alívio de finalmente saber do que se trata certos padrões de comportamentos que antes não sabia se tratar...). Para quem está num relacionamento com este "recém" bipolar diagnosticado pode parecer também algo "estranho" e dar um certo medo, afinal, meu parceiro (a), tem agora uma doença mental decretada certo?


É! É isso mesmo! A partir de agora seu amado (a), tem uma doença decretada para a vida inteira. Muito embora tal doença tem tratamento e quando realizado, oferece certos benefícios que trazem relativa qualidade de vida para o casal.

Bem, com o diagnóstico na mão...

Com certeza você não bipolar certamente vai conversar com seu parceiro bipolar sobre o "recém" diagnóstico, certo? E nessa conversa, temos de ter alguns CUIDADOS. Alguns cuidados com coisas que podem ser cruciais para um "ponto de partida" razoavelmente bom para ambos, principalmente para o bipolar que já neste ponto, está com a cabeça com mil dúvidas etc.
Algumas coisas que uma pessoa NÃO BIPOLAR deveria evitar de dizer ao BIPOLAR...

1. Você está louco! "ou" Você está louco? (Não faça julgamentos e nem questionamentos com rótulos neste momento. Agora é hora de buscar conhecer mais sobre a doença, e buscar descobri quais são as maneiras de tratar dela de um maneira objetiva e eficaz).

2. Ah... você vai ver... isso você tira de letra! (Pode ser mesmo que se "tire de letra", e, que todo mundo "tem momentos" ruins na vida. Mas, isso pode soar para o bipolar como se "você" estivesse dando "pouca" notoriedade a "gravidade" da problemática que ele acabou de receber com o diagnóstico. Óbvio que eu entendo que você falaria isso com a melhor das intenções e com objetivo de "passar otimismo" etc... Mas neste momento talvez, compreender que a doença é de fato "grave", um fardo pesado, MAS, que juntos, vão buscar conhecer tudo que puderem sobre ela e vencerem, seja um caminho mais interessante e real.

3. Ih... Eu tenho amigos que são bipolares também, isso não é nada. (Isso é a pior coisa a se dizer. Principalmente, sem conhecer bem a doença. Isso porque ao passar dos meses você e seu amado (a) irão perceber que a doença não é tão simples assim, que demanda medicamentos, terapias, que crises ocorrem diversas vezes... que o desgaste emocional é tão grande que até mesmo o relacionamento continuar imune, é raridade!).

4. Qual é o seu problema mesmo? "ou" Qual é o seu problema? (Isso soa com um pouco de descaso, ao invés de interesse... Para se mostrar interessado (a) com a doença, busque estudar o transtorno bipolar do humor em sites da internet (aqui no Bipolar Brasil tem um monte de artigos, por exemplo que você deveria ler e discutir com seu amado (a) e então servir de ponto de partida para questionamentos etc).

5. Eu não posso te ajudar, afinal a doença é sua. (Isso é o pior que um bipolar pode ouvir depois de receber um diagnóstico, ou até mesmo os bipolares mais antigos. É óbvio que você pode ajudar. E deveria se você se interessa pelo seu amado (a). É certo que a doença é do portador, mas é perfeitamente possível ajudar o paciente quando nos habilitamos "conhecendo" mais sobre a doença, e se possível participando do tratamento, seja indo a terapias de grupo, monitorando o tratamento, controlando as medicações, verificando sinais de crises etc etc. Você é inclusive muito importante para o bipolar.

Se interessar pelo relacionamento amoroso bipolar e escolher as palavras é muito importante!
E se eu fosse listar algumas coisas que você NÃO BIPOLAR poderia dizer ao BIPOLAR o que seria...

1. Isto é uma doença e definitivamente você não tem culpa disso (Você pode até utilizar uma analogia que eu gosto muito: diabéticos tipo 1 escolhem essa condição?)

2. Eu estou aqui com você e vamos tratar dessa doença juntos! (Um bipolar que ouve isso multiplica por 100 as chances de sucesso no tratamento. Isso dá coragem para o bipolar saber que mesmo que as tarefas sejam difíceis - até porque são mesmo - ele está amparado no seu conforto e amor).

3. Você e sua vida são importantes para mim. (Esse ponto é importante você reforçar sempre que possível. Não se esqueça que o bipolar é um sujeito que vive oscilações de humor, e como tal vivenciará momentos de depressão por vezes "severas", ouvir que ele (a) é importante para você, é fundamental num momento por exemplo de ideações suicidas etc.

4. Você não está sozinho. (Igualmente ao argumento anterior).

5. Eu não posso saber como você se sente, mas estou aqui para apoiá-lo. (Isso é importante, porque não precisamos saber o que o outro está sentindo, mas dispostos a estar por perto quando o outro precisa. E certamente isso vale para o bipolar também. O bipolar tem momento de estabilidade, e, deve sustentar o não bipolar nesse sentido também. Alias, em todos os pontos que estamos discutindo até aqui.

6. Sua doença não define quem você é. Você ainda é você, com esperanças e sonhos que você pode alcançar! (Fale isso para o bipolar, pois ele (a) se esquece disso com muita facilidade, e eu acho o ponto mais importante de todo processo de tratamento. Não deixe que o bipolar deixe a "peteca" cair. Não é a doença que define quem o "bipolar" é! E lembre-se você que não é bipolar, por quem você se APAIXONOU. Sempre lembre-se disso! Você se apaixonou por alguém, e não por uma doença, compreende?


Autor:Will do Bipolar Brasil
Fonte: http://www.bipolarbrasil.net/search/label/relacionamentos

15 comentários:

Anônimo disse...

Eu tenho lido aqui a opinião de alguns parentes e namorado(a)s de bipolares. A impressão que fica é que os relacionamentos são horriveis e vão ser sempre horriveis. Minha namorada está surtada, está se tratando e eu vim aqui buscando informações sobre como apoia-la. Mas depois de ler o que li, eu fiquei pensando: então vai ser sempre horrivel? Quanto mais eu me ligar a ela, mais infeliz eu vou ficar? E ela vai continuar infeliz do mesmo jeito? É tudo inutil e só tende a piorar?

Mente inquieta disse...

Anônimo,
Claro que não, é só uma fase.
Se você gosta dela e apoia-la, isso não significa que as coisas vão ser fáceis, mas vocês juntos vão superar melhor do que ela sozinha.
Depois de um tempo, quando ela acertar no tratamento, na medicação, ela ficará estável e as coisas voltam a ser normal. Inclusive casais que superam as dificuldades juntos, a relação amadurece mais, o amor cresce mais.
Não tem uma receita de bolo para lidar com essa situação, e você ir vendo ate aonde vai seu limite, pois tem algumas fases que é bem difícil mesmo. Mas, como eu disse quando ela ficar estável as coisas melhoram e voltam ao normal.

" Não a mal que dure para sempre e nem bem que nunca acabe"

OBS: Outra coisa quando as pessoas estão bem geralmente não entram em sites pra falar, nem casais que estão bem e superaram, mais já tem muitos casos de pessoas que estão bem e casais que estão bem. Beijos!

cohen disse...

Bom dia,
Sou Pedro Cohen e tenho acompanhado seu blog. Sou bipolar e acabei de criar um blog; gostaria muito que voce acrescentasse meu blog na sua lista,
http://cohenpedro012.blogspot.com/
um abraco

Anônimo disse...

Alguem pode me ajudar......Tenho reparado por quase 3 anos que o pai da minha filha eh bipolar, mas ele nao admite e nem faz nada para ver se realmente estou certa. Separamos muitas vezes e voltamos novamente. Mas nao estou aguentamdo mais, ele nao faz nada para se ajudar. Eu nao sei o que fazer preciso de alguns conselhos e conversar com gente que conhece muito sobre o assunto. Me ajudem por favor, meu email eh rosany.pixo@hotmail.com .

Obrigada

Anônimo disse...

Meu grande amor é bipolar. Nunca vi e acompanhei tamanho sofrimento. Hoje já não estamos mais juntos pois em uma de suas crises ele foi agressivo e me ameaçou. Não tenho raiva, nem medo. Apenas amor por uma pessoa doente e que sofre dia e noite.

Quem quiser conversar sobre:
Msn: cielkamilla@hotmail.com
E-mail: ciellkamilla@gmail.com

Robson Bueno disse...

Lendo todos os posts, desde o começo pois descobri o blog hoje.

Carol Silva disse...

Já perdi pessoas por ser Bipolar... Em alguns momentos eu odeio ter essa doença, em outros creio que quem perdeu foi quem partiu...
Enfim ... O preconceito é grande e o ideal é viver e com pessoas que no mínimo respeitem .

Anônimo disse...

Minha mãe é bipolar e já tenho uma certa experiência com pessoas bipolares...
A questão é, comecei a namorar uma pessoa bipolar e, querendo ou não um relacionamento amoroso é diferente de um relacionamento mae-filho... Ela tem o diagnóstico mas não está se tratando. Por favor, me indique jeitos para convencê-la a se tratar

Mente inquieta disse...

Anônimo,

É muito difícil convencer uma pessoa que não quer ser ajudada.
Tem pessoas que para aceitar o tratamento precisam passar por um grande sofrimento, ai depois disso, que a pessoa não da conta mais da própria vida aí que ela vai procurar ajuda.
A doença é devastadora e numa crise a pessoa pode perder muita coisa: emprego, relacionamentos afetivos, fazer muitas dividas, etc.
Sem contar que com o tempo as crises aumentam a intensidade, pois a doença é progressiva.
Infelizmente tem uma parcela de bipolares que só quando cai no fundo do poço que aceitam ajuda, ai nesse caso vc tem que esperar a pessoa piorar o suficiente para querer ser ajudada.
O querer, aceitar o tratamento tem que partir dela.
Vc como familiar, ou namorado, pode conversar orientar...mas tudo que vc conte para alertá-la, só vai surti efeito se ela estiver disposta e aberta para começar um tratamento.
Se ela não quiser, ai só te resta esperar que ela mesma sofra o suficiente para ela perceber que precisa de ajuda.

Abraços,

English And Fun disse...

Estou confusa. Extremamente confusa. Angustiada. Delois de três anos e meio de relacionamento a pessoa do nada sai de casa, diz que me ama, mas não temos mais condições de ficar juntos. Pede um tempo. Culpa meu filho mais velho . Faz um inferno. Eu fico arrasada. Destruida. Sem entender. Imploro para voltar. Volta. Tudo as mil maravilhas. Mas gastou o dinheiro todo em 3 dias E depois de 15 dias , vai embora de novo. Sem nem me olhar nos olhos. Tem uma irmã bipolar. E as caracteristicas dele todas se encaixam num caso de bipolaridade também. Nao sei que agradeço a Deusou se me desespero de tanto amor e saudade.

English And Fun disse...

Estou com muito, muito medo. Amo meu marido. Mas ele saiu de casa pela segunda vez aparentando estar em crise. Nao tenho um diagnóstico mas todo o comportamento bate . Tenho medo de perde_lo e ao mesmo tempo tenhmmedo de nao suportar o fardo se a gente continuar. Nao sei se ele vai qierer se tratar. Ele simplesmente parece nao qierer saber de mim. Nao sei o que faço. Preciso de ajuda. Mes filhos qe nao sao filhos dele nao vao aceitar que ele volte e se ele voltar e for pior para mim e para todos. Estou rezand para ienele nao me procire. Mas estou sofrendo.

samanta disse...

Li esses depoimentos chorando. Sei bem como é amar um bipolar...resumindo: Ele foi o melhor homem do mundo pra mim, mas do nada disse que nosso relacionamento desgastou. Pediu um tempo e me deixou arrasada. Chorei horrores, sofri e ainda sofro. Detalhe: Ele foi diagnosticado como bipolar, toma remédios e de um tempo pra cá anda bebendo muito. Situação desesperadora, pois ele fica mal e esta negando a doença. Oro por ele dia e noite...estou precisando de ajuda!!! Ele não me escuta. Parece q é outra pessoa....e pra piorar tudo eu não consigo esquecer ele. É tudo muito recente.

Anônimo disse...

São as pessoas mais maravilhosas do mundo, mas também machucam muito porque mudam de repente e sem motivo. No meu caso, meu namorado simplesmente desaparece, deleta redes sociais e até bloqueia os e-mails. Some por meses...daí, quando nem se espera mais, ele retorna, dizendo que está com saudade...inventa um motivo para o sumiço que você sabe que não é aquele...e, 1 semana depois, some de novo, do nada. Dói, dói muito. O que mais dói é a preocupação devido à falta total de comunicação porque eles cortam literalmente. Acho que deva existir algo espiritual nisso porque não é normal...mesmo tratando as crises são frequentes...só o pode de Deus mesmo para os curar e trazer felicidade, tanto a eles quando aos que convivem com eles. Só muito amor mesmo para a aguentar.

Anônimo disse...

É exatamente assim.

Pyerlla Ribas disse...

Estou casada há 8 meses . Meu marido é bipolar, namoramos 1 ano e meio e até então já estava em tratamento quando o conheci. Mas interrompeu tentou suicídio, o namoro e noivado ele era muito possessivo a ponto de inventar coisas p usar contra eu mesma p me aterrorizar aí começou nossas brigas, no começo até conseguia ajudar mas depois ficou extremamente pessoal comigo, o amor dele sempre na frente 100 por cento emoção, por persistência dele no relacionamento depois de muitas decepções que tive, nos casamos, eu amo ele, mas sofro muito . Em agosto ficou 15 dias internado numa clinica pelos surtos, claro que por culpa do relacionamento pois eu não tinha mais psicológico para ajudar ele é com isso ele só piorou . Pois quando nos casamos ele parou com os remédios mas mentiu p família toda que estava tomando e cada vez só piorava, até que veio o internamento. Estamos levando no momento separados pois moramos pertinho da minha sogra e qualquer coisa ele vai p lá. Realmente não tem capacidade de resolver os problemas pois é muito dependente . Cria os problemas mas não dá conta . Ele fala fala pira minha cabeça. Há 3 semanas atrás entrou com Antidepressivo . E esta muito.frio comigo fala que não sabe se quer voltar, agora é 100 por cento razão, só Lembra das coisas ruins que fiz a ele. Pois me tornei agressiva de tanto que ele me.sufocava, antes era uma maneira de me defender das palavras e provocações dele . Mas hj ele só vê isso e cobra isso . Sei que não justifica a agressividade só piora ele. Tbm preciso de ajuda no momento. Ele faz terapia toda semana está tomando certo os remédios . Mas ainda muito instável. Diz agora que nesse 100 por cento razão ele está feliz. Que parou de ser idiota . Mas eu sofria demais. Com as coisas que ele me fazia nunca quis deixar ele pior .