Euforia (para bipolares e familiares)

 

Euforia é um estado em que a pessoa se encontra em que ela se sente muito bem. Alguns sintomas da euforia são:
  •     Autoestima elevada
  •     Excesso de confiança
  •     Pensamentos acelerados
  •     Fazer vários coisas ao mesmo tempo
  •     Ter muitos planos e muitas ideias
  •      Irritação
  •      Falta de paciência
  •      Ansiedade
  •      Pouca necessidade de sono ou insônia
  •      Excesso de compras (descontrole financeiro)

A diferença da hipomania, euforia e mania é o grau ou intensidade que aparece a euforia. Grau menor é a hipomania, se não se cuidar evolui rapidamente para uma euforia, que também  evolui para uma quadro maníaco.  Estando num  estado maníaco, já aparece alguns sintomas psicóticos, daí a pessoa vai esta vivendo um surto psicótico.

Como evitar tudo isso?

O ideal seria se cuidar para prevenir entrar em euforia.
Mas, quando não é possível  prevenir, a melhor saída é detectar o mais cedo possível, pois quanto mais cedo é detectada a euforia mais fácil é para desacelerar.

Geralmente a euforia surge num momento em que a pessoa está fazendo muitas coisas ao mesmo tempo, esta se sobrecarregando.
Todos nos temos os nossos próprios limites e os nossos ritmos que devem ser respeitados, quando ultrapassamos esses limites adoecemos.

Na euforia é mais difícil o bipolar procurar ajuda, alguns até procuram, mas é mais comum procurar ajuda na depressão, pois na depressão a pessoa se sente mal, se ver como doente.
Na euforia, ao contrario, a pessoa se sente super bem, cheio de energias e ideais.

Quando a pessoa é iniciante, nunca teve uma crise ou  só teve uma crise, geralmente os bipolares que tiverem pouca experiência tem dificuldade de reconhecer que não estão bem.
Os bipolares que já passaram por varias crises sabem reconhecer melhor, pois passam a desconfiar quando estão entrando em euforia e geralmente detectam isso com mais antecedência, pois como já passaram por muitos momentos difíceis, até mesmo para evitar o pior, procuram ajuda.

Tanto o bipolar pouco experiente, que só teve uma ou duas crises, como os bipolares mais experientes que tiverem mais crises é muito importante eles escutarem os seus familiares.
É a família que vai dizer que você não tá bem, que vai lhe mostrar que os seus comportamentos não estão tão adequados ou estão exagerados.

É claro que o próprio bipolar pode ver um pouco disso também, mas a opinião da família é fundamental, pois eles estão vendo o todo de fora, conseguem ver melhor do que você (paciente).
O problema é que têm bipolares, principalmente os iniciantes, mas também isso ocorre em alguns antigos, que não aceitam a opinião do familiar.

E, se o familiar insistir, falam que quem esta doente é ele.
O familiar também não sabe muitas vezes abordar o paciente.
Às vezes é invasivo de mais, às vezes pega muito no pé...

A gente tem que compreender o lado do familiar, pois é muito difícil ver uma pessoa que você ama entrando em crise e a pessoa não tendo a consciência do real perigo e você não conseguir ajudar a pessoa. É totalmente compreensivo que o familiar tome atitudes para proteger o paciente e muitas vezes são atitudes que o paciente não gosta mesmo, ate por que o familiar está muito preocupado, às vezes ate desesperado com a situação, então ele faz o que ele acha ser o melhor para proteger o paciente.

Nessas horas, quando você detecta que o paciente esta entrando em euforia ou já esta na crise, você tem que  tomar uma atitude o mais rápido possível:
- 1º Antecipar a consulta do psiquiatra ou  ir num psiquiatra de emergência;

No momento que detectou que esta em euforia ou em crise tem que ir ao medico imediatamente falar com ele de tudo que o paciente está fazendo. Geralmente o medico vai aumentar a medicação do paciente e orientar a família de como deve cuidar.
Além do medico, é bom procurar orientação dos psicólogos ou grupos terapêuticos, pois eles ajudam tanto  a orientar a família e como também o paciente nesse momento difícil.

Mas, se o caso chegar a um quadro maníaco e não for possível reverter, talvez o médico chegue a conclusão que o melhor seja internar. (isso é o ultimo recurso).Normalmente o que os médicos fazem é evitar que chegue nesse ponto. Antes disso tentam todos os recursos, tratando em casa mesmo, aumentando a medicação, dando licença pro paciente do trabalho, etc.
O paciente tem que entender que por mais que existam medicações eficazes e fortes, o comportamento do paciente faz toda a diferença. Se o paciente tem que desacelerar o médico vai passar varias recomendações para o paciente desacelerar, essas recomendações tem que ser seguida para o tratamento obter êxito.

Seguir as recomendações do médico (tanto na fase de euforia como na fase da depressão) é essencial para se obter uma recuperação, só as medicações não são suficientes. Se o paciente ajudar a recuperação chega muito mais rápido. 

Portanto, quanto mais cedo detectar a euforia ou a crise, mas fácil de combatê-la  para  evitar um estrago maior. O mais importante é o paciente se cuidar para evitar a crise e sempre ouvir os familiares, pois os familiares querem o seu bem. Mas, no caso de uma crise já instalada procure o mais rápido possível o médico. Lembre-se caminhando juntos (pacientes e bipolares) conseguem ser mais fortes e com isso enfrentar melhor um momento de crise.


Acompanhe no Facebook  e no Instagram e Inscreva-se no canal Viviane Vaz Coach no Youtube.  Mais Informações acessem o site coachesdesuperacao.com 

3 comentários:

História de um surto disse...

Ei pessoal, fiz um vídeo com o meu depoimento sobre o uso do topiramato, medicamento usado para o transtorno bipolar e, também, para o emagrecimento. Espero ajudar os seus seguidores. Um forte abraço http://www.youtube.com/watch?v=lxSMREf1U3U&feature=player_detailpage

M.D. L. disse...

Todo santo dia eu sou acometido de uma euforia sem razão como se algum sonho ou plano meu fosse se realizar por hora, e de repentne tudo mudo e sou tomado por uma angustia e um vazio devastadores. O Sentimento de morte me permeia. A cada dia eu tento um novo passo, o fato é que desses pequenos passos nunca se forma um caminho, ficam perdidos a esmo, a depressão é artinhosa, de agarra de tantas formas, forma um nó na sua vida que você simplesmente não acha a ponta e se rende ao emaranhado. Te convido a acompanhar meu blog, onde escrevo de forma bem cura e orgânica sobre um sentimento depressivo que me segue pela vida, ficaria satisfeito de contar com sua leitura, uma vez que me enxergo em muita coisa do que você escreve! Marcus. http://daysofdespondence.blogspot.com.br/

Fabbão, Coveiro de Si Mesmo disse...

belíssimo texto, muito bem escrito e de fácil entendimento... vou copiar alguns trechos e colocar no meu blog ( Coveiro bipolar ) visite:
http://coveirobipolarmoribundo.blogspot.com.br