COMO A FAMÍLIA E AMIGOS PODEM AJUDAR?




COMO A FAMÍLIA E AMIGOS PODEM AJUDAR?

O tratamento medicamentoso é essencial mas não suficiente no Transtorno bipolar do Humor.
A doença possui expressões psicológicas e sociais, com repercussões na escola, no trabalho e na família. Uma das formas de minimizar seus efeitos é obter suporte da rede social e em especial da rede familiar. A família é o principal cuidador do paciente e deve-se buscar, com esta, uma firme parceria através da difusão de informações quanto ao diagnóstico, tratamento e evolução da doença. Desta forma, a família se instrumentalizará melhor, sentindo-se mais capacitada para, junto com o paciente, buscar maior eficácia no enfrentamento da doença. É importante ressaltar que, apesar disso, cada novo episódio representa um novo desafio porque nele interferem problemas de natureza individuais, bem como as características e peculiaridades de cada família diante das questões que lhe cabem resolver.

Muitos pacientes apresentam diminuição da sua auto- estima, tendência ao isolamento ou excessiva exposição, dificuldades de identificar os sintomas , limitações para retomar atividades ou de assumir novos papéis na sua vida. Frente a estes fatores, as famílias são encorajadas a:

1) proporcionar uma atmosfera amistosa, com estímulos adequados e com estrutura e limites claros;

2) ajudar o paciente a manter o medicamento na dose prescrita pelo psiquiatra;

3) estimulá-lo a comunicar ao médico quando as medicações estiverem causando efeitos colaterais;

4) auxiliá-lo a identificar sinais de recaída;

5) comunicar imediatamente ao médico idéias de suicídio ou de desesperança;

6) buscar entender a diferença entre jeito de ser (característicos de cada pessoa) e sintomas;

7) evitar tomar atitudes que reforcem a discriminação e o preconceito;

8) estimular o retorno do paciente às atividades da família ( lazer, rotinas domésticas, festas) evitando demasiadas exigência ou super proteção ;

9) reforçar o paciente a retomar sua vida ocupacional, social e afetiva;

10) evitar que a doença do paciente domine o ambiente familiar.


obs1: Não tem como OBRIGAR o bipolar a procurar o tratamento, vc pode incentivá-lo a ir, acompanhar ele, mas quem tem que ter consciência é ele. Pois, é ele que vai fazer o tratamento, é ele que vai tomar os remédios. Se ele ainda não tem essa consciência é a primeira coisa que o familiar tem que buscar, ajudá-lo a obter. Pois, sem isso o tratamento infelizmente não anda.

obs2: As vezes é necessário a família também fazer terapia, pelo menos por um tempo.. Não apenas para entender o paciente, mas para entender a si mesmo. (A postura, tudo que está acontecendo com o familia, etc..). Muitas vezes, as pessoas põem a culpa na doença, ou no doente. Mas se esquecem, que geralmente quando um adoece a família também adoece. E ninguém ficou doente por que quis! Por isso, os familiares também precisam de cuidados. Para que todos juntos consigam se ajudar uns aos outros.

20 comentários:

BIPOLARBRASIL disse...

Parabéns pelo post. Infelizmente eu não tenho apoio da família (acham que eu sou "manhoso"). Sei exatamente a importância do acompanhamento, assim como elencou no seu texto. Por fim, eu creio que bons amigos também podem ajudar, são poucos... Mas sempre há alguns. Boa sorte a todos nós!

Roselene disse...

Parabéns pela iniciativa do blog e pela mensagem. Graças a Deus, sou abençoada por ter uma família maravilhosa, que me auxilia desde o início do diagnóstico.
O bipolar deve ser incentivado a não ser escravo das situações e sim, o protagonista da sua história. Buscar uma postura altiva diante das dificuldades melhora e muito o quadro clínico. E a família deve ser importante para este ciclo.

MENTES BRILHANTES disse...

Não é facil pr mim
dizer aqui que minha família
não me compreende
ou se afastou de mim
ou eu deles...
Sei que perdi contato com irmão, cunhada, subrinhos, etc... eles acharam melhor desisitir de mim
do que me ajudar.
Sinto muito...
Isso me faz muito mal.

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog! Minha mãe é bipolar. No começo, foi difícil de acreditar e mesmo agora, é difícil ter a clara consciência de que suas crises vêm do seu transtorno. É por isso q o item n.10 pra nós tem sido o mais difícil de lidar. Sua bipolaridade abalou e abala todos nós, suas crises afetam nossa rotina, nos traz sofrimentos. Ela chega até a dizer mentiras pra jogar uns contra os outros. Neste momento, ela está com um princípio de depressão. Diz q não quer mais viver, sente muita culpa e chora muito. Temos q sempre falar com ela de maneira muito delicada e cuidadosa pq ela distorce as palavras, só entende o quer. Às vezes, me dá medo pq isso é tão claro q parece loucura.

Anônimo disse...

Minha mãe é bipolar também, e minha família demorou muito tempo pra acreditar. Alias, tem gente que ainda não acredita, diz que ela engana o médico... Essas coisas. Sou a filha mais nova, e ainda não sei como lidar as vezes quando ela esta mal. Sinto que é a minha responsabilidade cuidar dela, já que por muito tempo o resto da família sequer acreditou e mesmo que seja errado tentar cuidar da própria mãe eu me sinto bem assim. Claro que as crises acabam comigo, mas sei o quanto ela me ama e precisa de mim. O melhor é que todos aceitem essa doença, entende? Na família principalmente, é preciso ter o apoio. Enfim, parabéns pelo blog, é sempre bom ter um lugar para entender de uma forma mais humana sobre o transtorno bipolar.

juh - soO BipOlaR disse...

Meus Parabens ! eu tambem sou mais uma bipolar que inclusive acabei de sair de um hospital em São José dos Campos e agora estava aqui na minha casa na net ressolvi pesquisar sobre o assunto e nao me arrependi,acho q o conteudo vai me ajudar bastante na minha recuperação, alem do apoio da minha familia. .apesar de eu me revoltar contra minha mae quando estava em crise depois ela me ajudou muito,nao tem jeito mãe é mãe né .

Anônimo disse...

eu me sinto num paradoxo: ao mesmo tempo que me culpo pelo desastre que se tornou nossas vidas, culpo minha família pelo meu desequilibrio.... que desespero!!!!

Anônimo disse...

HOJE, OUVI FALAR SOBRE BIPOLARIDADE;
NA MESMA HORA SE ENQUADROU NO MEU CASAMENTO!! TRABALHO 12 HORAS POR DIA FAZENDO HORA EXTRA; E QUANDO CHEGO EM CASA MINHA ESPOSA AFIRMA Q EU ESTAVA COM UMA AMANTE E GASTEI DINHEIRO COM ELA, ENTÃO DISCUTIMOS ATÉ O PONTO DO MEU FILHO CHORAR!! (1 ANO E 4 MESES)!! ELA FALA TODOS OS PALAVRÔES POSSÍVEIS PARA MIN!! ATÉ AO PONTO DE FALAR Q UM TRAFICANTE É MELHOR DO Q EU COMO ESPOSO!! AO PASSAR NO MÁXIMO 40 MINUTOS ELA SENTA-SE AO MEU COLO E DIZ Q ME AMA INCESSANTEMENTE TENTANDO ME BEIJAR!! EU, ENFURECIDO COM O Q ACABEI DE ESCUTAR, TENTO DORMIR POIS AMANHÃ É 5 DA MADRUGA!! ELA NÃO ME DEIXA DORMIR ATÉ Q FAÇA SEXO COM ELA!!!
DÁ PRA ENTENDER?????????? PRECISO D AJUDA!! ESTOU FICANDO LOUCO!!!!
SÃO TODOS OS DIAS ASSIM!!!! IMAGINA QUANDO EU NÃO TRANSO COM ELA!!!!!! VIIIIIIIIIISHIIIII!!?!?!?!?ESTOU PAGANDO TODOS OS MEUS PECADOS!!!?!?!?!?!?!?!?!??!?

Anônimo disse...

Hoje tive a impressão de que a minha namorada é bipolar. Estamos muito bem e de repente ela começa a ter crises de ciúmes terríveis, começa a desconfiar de tudo e de todos, começa a achar que eu a estou traindo com alguma mulher qualquer ou com alguma amiga. Brigamos muito até que ela perde o controle e quase me deixa louco, aí começa a chorar, pede perdão, fazemos as pazes... uma semana depois começa tudo de novo.

E o problema não é só este, vira e mexe ela tem crises de depressão, se isola, não aceita conversar comigo, o que as vezes acarreta outras brigas/discussões. As vezes eu chego ao ponto de eu nao aguentar mais e querer acabar com o namoro.

Ela diz que a culpa de tudo é minha... eu pergunto o caso dela é mesmo transtorno bipolar? Obrigado.

Anônimo disse...

Como tocar neste assunto com o bipolar, pois ele nao vai admitir que é bipolar, que é doente. Preciso de ajuda para começar a conversar sobre este assunto. Ele vai dizer que eu que sou doida, tenho certeza. Tenho medo da reaçao dele, ultimamente esta na fase de ser grosseiro, insuportavel. Nao sei se é o momento de entrar no assunto ou esperar ele mudar de comportamento????? Ultima vez me mandou mens. dizendo que : o limite dele estava se esgotando. E que nao sabia pq ainda nao deu um basta no casamento.... Estou precisando de ajuda....Sera que eu poderia escrever algo e mandar por mensagem para ele??? Eu o amo muito e em nenhum momento pensei em deixa-lo, mas ele ja falou varias vezes em separaçao, que eu era insuportavel, que ninguem me aguentava... me deixando arrasada, com medo... Preciso de ajuda para começar a falar sobre como ajuda-lo. Agradeço de coraçao.

Anônimo disse...

POR VÁRIOS ANOS MINHA FILHA FOI DIAGNOSTICADA COMO TRANSTORNO DE BODERLINE, TOMAVA REMÉDIOS DE FORMA CORRETA MAS A CADA ANO SÓ PIORAVA. ESSE ANO O PSIQUIATRA DELA ADOECEU, PROCUREI OUTRO PSIQUIATRA; PRECISAVA DE AJUDA ELA ESTAVA COMPLETAMENTE AGRESSIVA, DIZIA QUE EU NÃO ERA A MÃE DELA E SIM O DEMÔNIO. COM O PASSAR DOS DIAS ALÉM DE PIORAR ELA TENTOU SE MATAR; LEVEI AO PSIQUIATRA E DISSE QUE ELA É BIPOLAR E PRECISAVA SER INTERNADA URGENTEMENTE. SEI QUE MINHA JORNADA ESTÁ APENAS COMEÇANDO MESMO DEPOIS DE TREZE ANOS SÓ PEÇO A DEUS QUE ME DÊ SAÚDE E FORÇA PARA AJUDÁ-LA.

Norberto Dias disse...

Caros colegas, é algo dificil coompreender esta doença que tende a afastar as pessoas mais proximas do doente...quando vejo pessoas na rua abandinaas, taxadas como Loucos...imagino que os familiares desistiram pelos motivos que os mesmos tem, o cansasso é natural, somos de carne e osso, ter um familiar doente nao significq adoecer junto, mas entender como o doente se comporta, minhq mae sofre com esta doenca a 25 anos devido ela ter engraviado e ser abando naa por meu pai biologico, nao sou especialistq mais todos temos um pouco dwata doenca, a questao é o que faz ela ser ativada....Tenho uma batalha enorme com minha mao, QUANDO ELA ME OFENDE EM SUAS CRISES procuro nao me envolver e sim medicala, alias os remedios nao curam mas controlam...mas amigos nunca esquecam de crer em Deus...pois esta doenca transfigura coisas que podem desunir uma familia e isso nqo é uma coisa de Deus....desejo a todoa forca e que Deus abencoe a vcs e seu familiares doenes....quanto a minha mae ela oscila maa eu a amo muito...e nao desistirei

Anônimo disse...

gente muito obrigada por ter este post, descobri a uns dois dias que meu namorado tem bipolaridade ele infelizmente esta internado em uma clinica,mas estou lendo tudo o que acho sobre esta doença, pois resolvi que não vou sair do lado dele de jeito nenhum. Muito Obrigada mesmo, por tudo q consegui ler aqui já consegui entender um pouco mais esta doença

Anônimo disse...

Estou há 7 anos com meu namorado. No início ele era um amor de pessoa, mas já tinha algumas crises estranhas de ciúme. Com o passar do tempo ele revelou quem realmente era: possessivo, ciumento, agressivo, ignorante, arrogante.Me xingava/xinga de tudo que é possível, diz que eu sou a responsável pelas desgraças da vida dele, já me agrediu algumas vezes e me ameaça de morte constantemente. Ele foi diagnosticado com bipolaridade, mas não continuou o tratamento. Ele bebe e fuma maconha, mesmo sabendo que só atrasa a vida. Por mais que digam que temos que ter paciência, é muito difícil e eu estou muito mal. Tento há anos me separar dele, mas ele não aceita. Já fiz BO por causa de uma agressão, mas não adiantou nada. Ele me perseguia na faculdade, trabalho, ficava me esperando na frente da minha casa, ligava incansavelmente e chorava que nem uma criança. Foi a única vez que consegui me separar dele, mas por toda a perseguição decidi voltar pra ter um pouco de paz. Não era uma maravilha, mas pelo menos ele não me seguia. Sou xingada, agredida e ameaçada de morte constantemente, pois ele diz que a culpa dos problemas da vida dele é minha. Eu tento não ligar, mas é difícil... Choro muito, fico com dor de estômago, fraca e desanimada. Como conseguir ajudar alguém desse jeito? Como ajudar alguém que acha que remédio não adianta nada? Ele diz que não vai se separar de mim como castigo por tudo o que eu fiz na vida dele, mas na verdade eu não fiz nada. Tenho muito medo que essas ameaças se tornem verdade. Queria que ele buscasse tratamento, mas sem mim do lado, pois eu não aguento mais.

Anônimo disse...

Preciso saber se internação traz benefícios reais ao bipolar, por favor me ajudem, estou a um passo de tomar essa decisão por uma pessoa com esse transtorno, que causa muita dor a toda família, estamos todos muito abalados e desorientados com tanta desordem comportamental. Tenho medo de após a internação tudo voltar ao q ja era , aí seremos culpados por mais isso, segundo o doente.

Mente inquieta disse...

Anônimo (22.11.15),
A internação às vezes sim é necessária quando o paciente esta em crise em mania ou em surto psicótico ou em depressão profunda.
Dependendo da gravidade a melhor saída ou as vezes única saída é internar.
Mas, para internar tem que escolher uma clinica séria, que tenha bons profissionais e que tenha o tratamento humanitário, (tratar o paciente como um todo) tendo diversas atividades: terapia, médicos, terapia ocupacional, artes, esportes, etc. Essa é uma clinica ideal.
Uma boa internação dá muitos resultados positivos, mas lembrando que a internação é para tratar somente a crise, a pessoa sai da crise durante a internação, ai a pessoa vai pra casa continuar o tratamento em casa.
Antes de a pessoa retomar a sua vida pós internação tem um período de transição (ou adaptação) para depois ir voltando para as suas atividades. O psiquiatra ou equipe de saúde deve orientar a família em todas as fases do processo.
A internação é muito útil em alguns casos, mas há a importância de se verificar se ela é realmente necessária.
Se for procure uma boa clinica.
O ideal é que o paciente concordar com a internação para ir de livre e espontânea vontade, mas se isso não ocorrer e a família junto com o medico achar que a melhor opção é a internação, então interna o paciente e ao longo do tempo vai trabalhando junto com a equipe de saúde para ir mostrando para o paciente que naquele caso a internação era a melhor ou única opção. Que vcs só queriam o bem dele.
Tem alguns médicos que são contra a internação que só indicam no último caso e que preferem indicam (quando o paciente esta em crise) pra pessoa ficar presa no domicilio “ internação domiciliar”.
Eu, na minha opinião, acho melhor a internação na clinica, se for pra ficar preso em casa é melhor a clinica pois o espaço é maior, tem profissionais qualificados e tem atividades que ajudam na recuperação do paciente.
Abraços

Gleisse disse...

Sou ciumenta e possessiva,já acredi minha namorada por ciúmes.
Tenho ciumes de amigos do filho enfim eu sofro demais com isso, já tentamos morar juntas mais não deu certo.
Sou bipolar?
Me ajudem se eu for vou buscar tratamento.

Mente inquieta disse...

Gleisse

Não tem como saber. Essas características se manifestam em gente de outros transtornos e tem bipolar que nem é ciumento.
São características muito relacionadas à personalidade da pessoa.
Quando a pessoa tem um transtorno e esse transtorno ainda não está controlado, nessa fase a doença vai intensificar as características que a pessoa já tinha. Por exemplo, se a pessoa é ciumenta, fica mais ciumenta, etc.
Pra vc saber se tem a bipolaridade vc deve procurar fazer um acompanhamento psiquiátrico, pois só o médico pode te diagnosticar.
Abraços

Anonimo disse...

Meu marido tem transtorno afetivo bipolar e só conseguimos chegar a este diagnóstico e medica-lo adequadamente te com um trabalho conjunto de psicólogo e psiquiatra, que conduziram uma longa investigação de sua história pessoal e antecedentes familiares. A identificação de evidências em pai, mãe, avós e outros familiares, mesmo que dolorido, foi importantíssimo. Inicialmente a hipótese inicial foi de depressão porque entendo, hoje, que está situação é sempre mais fácil de identificar. Mas estas dificuldades de interpretação, o gasto demasiado bem além das possibilidades, o agir freneticamente até terminar uma atividade (mesmo que dure 2 ou 3 dias), entre outros, precisam ser observados por quem convive com o paciente...

TudoDF disse...

LIDO COM UMA BIPOLAR TODOS OS DIAS. Ela me ama. Sei disso! Na crise nega! Ela mente, dissimula, fala palavrão, disse que vai se separar e que não sou nada!! Mas com tudo isso, sei que Deus é maior e que mesmo sabendo que não tem cura, Deus é meu guia e minha luz!! Ela resiste em tomar a medicação. Sou o chato!! Quero crer que tudo vai dar certo e que as informações que estou coletando na internet vão me dar a base para trata-la da melhor maneira possível!! Por vezes ser duro é o necessário. É o carinho disciplinar que rege o relacionamento com quem tem TBH. Paciência é a chave!! Quando for ofendido, mande coração!! Beijos!! Faça com que ela perceba que o medo agressivo da pessoa não é maior que seu amor!! Tenha fé!! Ore!! Busque sabedoria no Senhor, nosso Deus!! Deus os abençoe!!