LOUCURA



Não existe loucura, existe sim muita ignorância sobre o assunto".




Aquelas pessoas que são consideradas loucas são porque a ciência ainda não consegue entendê-las. Dá a elas rótulos, como uma maneira de catalogá-las. As excluem da sociedade, não por maldade, mas por ignorância. Por não saber lidar com algo que não é padrão, com algo novo (mesmo para a ciência). O que é diferente exige adaptação. Porém, só a pessoa tendo que se adaptar é árduo, sabendo que a sociedade caminha lento nisso. Quero dizer que a pessoa que possui alguma diferença sofre muito, pois tem de fazer um esforço extremo para se adaptar. Infelizmente ainda têm casos que a pessoa não consegue se adaptar e fica à margem da sociedade. Isolá-la embora seja uma crueldade é a solução mais fácil no momento para familiares e médicos. Na verdade não se está tratando direito do assunto e sim assumindo que não consegue lidar com ele e simplesmente desistem do indivíduo.
Este abandono não é tão incomum, alguns acham até coerente pois estas pessoas atrapalham suas vidas e agem de maneira a livrar de um fardo. Mesmo quando não excluem totalmente, excluem parcialmente. É não deixando a pessoa assumir determinadas responsabilidades; é como dependendo do caso é declarar a pessoa - Você não tem capacidade, não acreditamos em você! E esse não acreditar muitas vezes não é passageiro, pois alguns familiares interditam a pessoa dizendo: - é pro seu bem. Ou pior, com isso você vai receber pensão do INSS. As vezes isso até é necessário por um certo período, porém, o problema é que esse comportamento está se tornando frequente. Pior ainda, é que interditar é fácil, mesmo tendo que se ter o consentimento da pessoa. Porém, quando ela melhora e quer ter sua vida de volta a desinterditação é muito difícil. Há pessoas de vinte e poucos anos, por exemplo, que estão nessa situação, fadadas a viver assim por muitos anos, talvez pelo resto da vida. Não podem trabalhar formalmente, ter conta bancária, ou até se casar, etc.
O caminho de se acreditar no ser humano, na sua recuperação e adaptação à sociedade, é muitas vezes um caminho longo e difícil para todas as partes. Mas, acredite, o resultado é surpreendente, pois a pessoa só tem felicidade quando ela tiver sua vida própria, andar com as “próprias pernas”. Por mais que ao interditado não falte nada como dinheiro, laser, etc. ele dificilmente vai ter auto-estima. E dignidade é inerente ao ser humano, é a pessoa sentir as próprias lutas e conquistas. Privá-las disso é dizer que não acredita na sua capacidade. E ainda, este ser tem um alto poder de atualização no sentido de sempre buscar as coisas, a melhora para si, mesmo que isso leve um tempo; mas cada um tem o seu próprio tempo.
Como o mundo não pode esperar ele dita atitudes de curto e médio prazo. O longo prazo exige paciência, precisa de compreensão, é o mais difícil. Portanto requer recurso financeiro, logo, é um investimento oneroso. E como é demorado o longo prazo, a ansiedade própria do ser humano muitas vezes faz com que a pessoa não consiga esperar. E infelizmente isso também ocorre com os entes queridos. Quando eu digo falta de se adaptar não falo só da família, pois isso o ocorre nas escolas, nos locais de trabalho, nas igrejas, entre outras instituições. Excluir é a solução mais fácil e barata naquele momento. Talvez se o meio tiver realmente interesse em investir no ser humano reuniria forças para minimizar esses fatos. É claro que já existem movimentos nesse sentido, mas ainda falta muito para mudar a nossa realidade e construir uma sociedade mais humana, de inclusão social.



Acompanhe no Facebook  e no Instagram e Inscreva-se no canal Viviane Vaz Coach no Youtube.  Mais Informações acessem o site coachesdesuperacao.com 

4 comentários:

Karla Oliveira disse...

queria demonstrar minha satisfação ao encontrar esse espaço que ainda não pecorri totalmente mas de alguma forma... sei lá...
no meio de tanta bobagem e superficialidade que rola na net poucas coisas parecem fazer sentido, acho que essa é uma delas...

abs

dora disse...

pelos vistos cheguei tarde...parece que este blog está inactivo. mas não queria deixar de dizer que o blog é extremamente interessante. sou bipolar II diagnosticada há 7 anos. vou no entanto lê-lo do inicio, faz-nos sempre bem saber o que vai na alma de outros bipolares.

bem haja.

Kleiton disse...

Belíssimo texto.
Não bastasse as correntes às quais nós mesmos nos amarramos, fatores externos põe à prova toda nossa capacidade criativa e pró-ativa.
Acho que aos poucos as coisas e a concência de algumas pessoas vão mudando a respeito do assunto mas a barreira ainda é grande.
Mas o que seria da conquista se não houvesse o desafio?

MENTES BRILHANTES disse...

Gostei muito do que li e vi aqui
vejo que mesmo com a bipolaridade ainda é possivel caminhar.