HOSPITAL DIA

HOSPITAL DIA

(embora tenham alguns Hospitais dias públicos, na postagem eu me refiro principalmente aos particulares)

É triste ver que depois de tanto tempo ainda tem pessoas que continuam a freqüentar os hospitais dia. Pessoas estas que começaram um tratamento e que ainda permanecem lá, muitas estão por 2 anos, 3 ou mais freqüentando o mesmo local.

“Os hospitais dia atendem pacientes psiquiátricos que estão sendo reintegrados ao convívio social, sendo que o atendimento é intensivo, ou seja o paciente freqüenta a unidade hospitalar diariamente durante o período diurno, passando o restante do dia com a família e a comunidade onde reside.”

É impressionante que esses locais que era pra ser “passageiro” as pessoas acabam permanecendo lá por muito mais tempo que imaginavam. Lugar este que deveria ser um apoio e preparo para inclusão social, do paciente a sua vida cotidiana, acaba sendo mais um local de depósito de gente. Não um deposito comum, mais um deposito diário, em que a família deixa o paciente o dia todo e só pega a noite para levar pra casa.
Claro que não são todos os pacientes que ocorrem isso, alguns usam o hospital dia como passagem e voltam pra sua vida normal, de antigamente.
O problema é que há um número imenso de pessoas que ainda vão permanecendo no hospital dia, sem conseguir alta e sem ter para onde ir fora o hospital dia.Muitos deles são jovens, que no momento não trabalham e nem estudam, e ficam permanecendo lá sem nenhum incentivo ou oportunidade pra começar ou refazer sua vida fora de uma clinica.
Lógico que em primeiro lugar é a melhora, a saúde do paciente.O segundo e sua adaptação e convivência em casa com sua família, as atividades sociais e lazer com esta.
Mas isto só não basta.Pois, o homem é um ser social ele precisa se comunicar e se relacionar com outras pessoas. Ele precisa batalhar, andar com suas próprias pernas, vencer suas próprias vitórias, conquistar, pois é conquistando, lutando que se dá valor. Ele precisa de si mesmo e ter sua independência financeira se ainda não a tiver.
Ate porque ninguém quer ser paciente pra sempre!

Conscientemente ninguém quer.Ninguém quer viver depositado numa clinica, ninguém quer ser institucionalizado. Quando digo institucionalizado, não me refiro a clinica apenas, me refiro aos hospitais dia e a todas as instituições que as pessoas ficam para “serem cuidadas”, ficando por muito tempo, anos, sem viver sua própria vida.
É claro que período internados em hospital dia são muitas vezes necessário, pois o tratamento ajuda muito na recuperação de muitos pacientes. O que é questionável é a permanência desses pacientes ,ate que ponto a duração contribui para a melhora? ate que ponto o financeiro é importante para permanecia ou alta do paciente? Muitas vezes me faz pensar que o financeiro conta mais que a recuperação do paciente..
A inclusão social, acadêmico, profissional, não é fácil para quem faz tratamento. Não tem um programa do governo que ajude as pessoas que passam por tratamento a se inserir no mercado de trabalho. Por isso, é essencial o apoio da família, amigos, medico, terapeuta, ou seja, de todo o apoio possível para o paciente ter motivação, para conseguir ter uma vida normal. Pois com o apoio, com as condições favoráveis é muito mais fácil, o paciente conseguir se erguer e retomar sua vida.

3 comentários:

Jheferson Henrique disse...

É bom ver textos como o seu. Que divulga um pouco mais sobre esse lado do ser humano que poucos conhecem. Isso ajuda a quebrar preconceitos e agregar o conhecimento dos leitores.

Parabéns.
\o

Anônimo disse...

É com imensa gratidão, q posso sentir -me aliviada, não por não ser mais BIPOLAR, mas por tirar um rótulo q carregavae q a todo momento era jogado conta a minha pessoa, já fui expostas tantas vezes ,por pessoas q se diziam "amigos" , fui chamada de "louca" milhões de vezes, não q ser chamada de louca me incomodasse ,mas a forma como fui chamada é q me destruiu nakele momento. Me disseram num velório,olha só ! se eu ja tinha tomado o meu neuroléptico???????? eu tomo amato( não é neuroléptico!!!!) e falei para a Enfermeira q me disse isto e cunhada, e ele afirmou na frente de todos q eu tomava sim. q era anti psicótico ,neuroléptico. insisti e disse " eu tomo amato e não é neuroléptico"!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Foi após vários estudos com psiquiatra , que continua me acompanhando, pois ainda tomo medicações com um futuro promissor de tratar-me somente com psicólogos e psiquiatra, pois anos de medicação , são anos de medicação!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Enfim , tenho Transtorno de Personalidade Limítrofe, outro cid, perspectivas de vida, e sem medicação. apenas terapia contínua. Eu tenho fé,acredito q a Bipolaridade que vivi mais de 25 anos, só me ajudou a me tornar um ser humano bem melhor. obrigada. obrigada.
Agora, continuarei lutando, pois continuo querendo ser cada vez um ser humano melhor e tentar entender o q o TPL pode me trazer de crescimento pessoal.
obrigada.
Nunca esqueçam de agradecer a Deus. Adriana.

Andreia disse...

Oi querida,

Tb sou de BsB e cheguei ao seu blog por meio de uma pesquisa sobre suicídio, não q pense em me matar rsrs, mas, não sei pq o assunto me fascina um pouco... faço tratamento para transtorno depressivo e comecei este mês a registrar em um blog: http://ohovodecolombo.blogspot.com/
faço isso para o médico acompanhar o meu desemprenho nos remedios e para me resguardar, pois encontro-me em licença para tratamento de saúde...
adorei encontrá-la aqui neste mundo virtual.
Bjos