Análise do perfil do assassino de Realengo

A Notícia

No dia 07/ 04 ocorreu um massacre numa escola municipal do Rio de Janeiro. O autor dos disparos que causaram a morte de 12 estudantes, Wellington Menezes de Oliveira, 23 anos, foi aluno da Escola Municipal Tasso da Silveira, palco da tragédia. Segundo familiares, Wellington era uma pessoa reservada e que não tinha amigos. Filho adotivo, ele saiu da casa onde morava com a irmã havia oito meses e se mudou para Sepetiba, no Rio.
Com duas pistolas na mão, Wellington matou 12 alunos, sendo 10 meninas e dois meninos.
No telejornal entrevistou uma das alunas que disse que ele perguntava se a menina era virgem, se disse-se sim ele matava.Após o massacre, o atirador deu um tiro na própria cabeça ao ser surpreendido por um soldado da Polícia Militar que atirou em sua perna.

Surto Psicótico
Eu acho que ele estava em surto psicótico com características fortementes religiosas.
Ele poderia até ter algum motivo de vingança, pois ele estudou lá e na época sofreu bullyng.
Mas, eu acho que não seria só por isso..
Os motivos que o levaram a cometer isso acho que ninguém sabe.

Mais, durante o surto  psicótico podem ocorrer manifestações de paranóia, alucinações e delírios.

O surto geralmente dura algumas semanas e pode ser encurta caso alguma medicação com efeito aintipsicótico seja introduzida, sem a medicação ele pode durar por muito mais tempo.
No caso dele parece que ele já estava surtado há varias semanas ou até meses.

Não tem como afirmar ao certo, quando começou, que tipo de transtorno ele tinha, pois ele não foi examinado por nenhum psiquiatra. Mas, o que se sabe é que a mãe dele biológia tinha esquizofrenia diagnósticada.

A carta
 
Na carta podemos ver vários trechos que se referem ao estado mental dele. Que era um ato programado e ele premeditou, inclusive o final - a sua morte. A forma como ele escreve a carta fica claro que ele sabe que está cometendo algo de errado, mas ele pede que orem por ele para Deus perdoar do último ato. Pede para só as pessoas puras tocarem no corpo dele. Ele devia esta envolvido de uma forma até fanática  com alguma religião ou seita. E, com certeza, ele tinha um motivo muito forte para fazer aquilo, que na cabeça dele isso não o condenaria pra morte eterna, pois ele acreditava que ele seria salvo.


Opinião de psiquiatras
Fonte: Extra Online  texto adaptado
Wellington Menezes de Oliveira, atirador de Realengo provavelmente sofria de transtorno de personalidade e não de doença mental, revela psiquiatra
RIO – O atirador Wellington Menezes de Oliveira provavelmente sofria de algum transtorno de personalidade, segundo Antônio Geraldo da Silva, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Difícil é dizer qual seria esse transtorno: paranoide, esquizoide, borderline, narcisista, histriônica, obsessiva compulsiva ou antissocial? Para saber exatamente, só se algum médico tivesse examinado o atirador.

Diferentemente de uma doença mental, como depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno biplolar e outras fobias adquiridas e desencadeadas por algum fator ou acontecimento, no transtorno de personalidade a pessoa já nasce com o problema, explica Geraldo. E não há tratamento.

— É um tipo de comportamento chamado em inglês de mass murder , ou seja, assassino em massa. Geralmente são indivíduos entre 20 e 30 anos, solitários, que não param em emprego, com poucos laços com família, amigos e vizinhança. Eles costumam ter traços paranoides, como por exemplo achar que todos são sacanas com ele, olham estranho ou estão falando e tramando contra ele. Procuram o isolamento social e às vezes podem estar tristes ou mostrar sinais de depressão. Buscam vinganças contra perseguidores reais e imaginários — diz Geraldo.
Segundo o psiquiatra, essas pessoas sabem exatamente o que estão fazendo e planejam seus atos.

— Indivíduos com essa estrutura frágil podem ser seduzidos por doutrinas e seitas, como parece ser o caso do atirador — diz Geraldo. — Por que ele decidiu atacar? Difícil dizer. Provavelmente porque sentiu vontade naquele momento.


Para outro psiquiatra Eias Abdalla também da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em entrevistas com Correio Brasiliense ele diz que não há elementos que o fazem pensar em piscicopatia.
O leque de explicações é amplo pois diversos disturbios mentais podem levar pessoas a cometer crime.
Esquizofrênicos e piscicopatas estão na lista dos portadores de trasntorno de personalidades que chocam a sociedade.
O piscicopata não é um doente mental pois não delira, não aluciana, entende muito bem o que está se passando..
Na piscicose há sintomas de delírios, que são crenças falsas ou alucinações, quando se percebe qualquer objeto por qualquer um dos cinco sentidos que não existe.

Já para o pesquizador da Universidade de Brasília - Raphael Boechat - acha que classificar o assassino como piscicopata por causa que que ele planejou o crime com todo cuidado é uma atitude precipitada.É importante analisar com cuidado pois para os casos que os agressores sobrevivem ao ataque, é importante diferenciar os casos para ter puniçãoes legais. "Piscicopata são pessoas que não têm delírios.Eles sabem o que estão fazendo, não escutam vozes."

6 comentários:

Anônimo disse...

Interessante ! Nessa hora tenho medo, penso, será que num surto pisicótico seriamos capazes de fazer mal ? Assim, já surtei e tomo remédio, mas nunca fiz algo ruim p alguém. Mas, essas notícias fazem com que desconfiemos de pessoas com problemas mentais, inclusive nós mesmos. Ou será paranóia minha? Exagero?

Mente inquieta disse...

Acho exagerada sua preucupação, não é pertinente, pois os casos de surto piscicótico de fazer mal a outro é a minoria, muito raro.Só casos de piscicoses muito graves e geralmente ligada a esquizofrênia grave ou esquisoafetivo.No caso de um surto picicótico do bipolar o que mais ocorre é fazer mal a si mesmo,um exemplo disso são os suicídios..

Sirena disse...

piscicótico??? Gente, que irresponsabilidade escrever errado assim num blog!! Tira totalmente a credibidade!

Mente inquieta disse...

Oi Sirena, obrigada pela observação já corrigi psicótico na postagem, só ficou no comentário acima errado, que eu já tinha respondido anteriormente. Às vezes eu escrevo errado, mais obrigado por avisar!

Mensagens abencoadoras!!! disse...

Oi, penso que um bipolar não faz mal a ninguém, digo mal fisico.
O mal que ele pode fazer e faz , é tratar com indiferança aqueles a quem ele ama. E se parar o tratamento, acaba por prejudicar todos que o cercam, pois todos nos preocupamos com aqueles que amamos!
Sabe, mente inquieta, se vc for passear no meu cantinho vai achar lá a seguinte frase "Nao sou expert com as palavras, mas aprendi a ser sincera", acho a sinceridade mais importante do que escrever "corretamente".
Parabéns pelo seu blog!
Marly
Marly

Mente inquieta disse...

Obrigada!